quinta-feira, 19 de novembro de 2009

ALIMENTO VIVO - Torta de Jaca com Banana

,




Meu marido colheu uma jaca pau do nosso terreno, maravilhooosa!
Eu ia dar uma Oficina do Alimento Vivo, na Ecobrinque - uma brinquedoteca que inaugurei com umas amigas e onde estou podendo me ralizar outra vez no vivo.
No meu planejamento já havia uma torta, que seria de manga mas, diante de tal maravilha e, como todos gostavam de jaca, troquei.
Fizemos também docinhos recheados com uva.
O ideal seria usar uma fruta doce neles, por causa da combinação, mas as uvas já estavam compradas, expliquei e fizemos assim mesmo.

DOCINHOS
Ingredientes
amendoim germinado descascado,
castanhas do Pará, nozes, cardamomo, ameixas, tâmaras, passas hidratadas
uvas

Preparo
Bater tudo no processador, pegar a uva e envolvê-la com a massa.

TORTA
Pega-se a mesma massa do docinho e molda-se a crosta da torta.

Ingredientes do Recheio
jaca, banana, cardamomo, limão

Preparo do Recheio
Bater no processador a jaca com a banana, sementes de cardamomo e um pouco de suco de limão para não escurecer a banana. Se quiser bater no liquidificador ajude com um pepino.
Colocar esse creme no centro da crosta.
Enfeitar com rodelas de banana, nozes e tâmaras.

Cantamos a música dos índios tupis/guaranis, em agradecimento à terra pelo alimento, batemos palmas para aquela lindeza e nos deliciamos!
Espero que você faça o mesmo e me conte como foi!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

ALIMENTO VIVO - Mandala de Frutas



Mandala – significa círculo, em sânscrito. A mandala é geralmente criada na forma de um círculo ou quadrado e contém formas geométricas ao redor de um ponto central. As mandalas representam o eu inteiro e todo o universo. Carl Jung considerou o surgimento espontâneo de uma mandala como um símbolo de cura e transformação.
As Formas Que Sustentam o UNIVERSO Por Denise Linn

Resolvi colocar a mandala de frutas que eu e a professora da escola onde trabalhamos, fizemos com os alunos do 2º ano do fundamental. É uma boa sugestão, principalmente para quem tem crianças e para um prato de Natal.
Houve um ano em que, ao invés de fazer uma salada de frutas, fiz uma grande mandala.
Ficou linda na mesa!

MANDALA DE FRUTAS

Ingredientes e Preparo

GERGELIM BRANCO E PRETO
Germinados.
PASSAS
Lavar passas e colocá-las de molho na água para hidratar, depois colocar para escorrer na peneira e colocar no prato.
CREME DE GOIABA COM ABACAXI
Cortar ao meio as goiabas, retirar o miolo e a casca, bater no liquidificador com abacaxi sem o miolo, coar.
CREME DE ABACATE COM ABACAXI
Bater o abacate com abacaxi sem o miolo. fazendo um creme bem duro, ajudar com um pepino servindo de socador, se precisar.
MAMÃO
Descascar, tirar os caroços e cortar em cubinhos.
KIWIS
Descascar, cortar em rodelas não muito finas nem grossas.
MORANGO
Lavar, retirar o cálice, cortar em 4, ao comprido, formando triângulos.
UVAS
Retirar os caroços e cortar ao meio.
MANGA
Descascar, cortar em palitos.
MAÇÃ
Descascar, retirar os caroços, cortar em lascas passando no limão para não escurecer, lavar para retirar o excesso de limão (normalmente não uso maçã, colocamos a pedido da turma).

Fazer o seu desenho usando todos os elementos.

Ano passado fizemos uma farofa de castanha do Pará hidratadas, no lugar do gergelim branco. Pode incrementar com outras frutas secas hidratadas.

Importante: colocar só frutas doces com neutras ou cítricas com neutras.

Obs.: Eu tenho uma tabela das combinações que ainda não sei como colocar no blog.
Vou pesquisar como fazê-lo.

domingo, 1 de novembro de 2009

DICAS: PORQUE NÃO SE DEVE COMER BATATAS

Refleti muito antes de fazer esta postagem, pois vai contra uma expectativa das pessoas de terem batatas na Rede. No entanto, minha função é informar. Cada um decide o que vai fazer com a informação.
Confesso que ainda como batatas (a explicação talvez seja porque ela é viciante), só que, após ter essa informação, reduzi drásticamente seu consumo.


PORQUE NÃO SE DEVE COMER BATATAS


Como o açúcar, também o uso de batata inglesa, do tomate (que segundo pesquisa do Dr. Keshawa, médico indiano, que vive na Venezuela, não é alimento, inclusive nenhum pássaro o come na horta), da beringela e do pimentão, provoca sérios distúrbios em nosso organismo. Eles pertencem à família das solanáceas, da mesma categoria do fumo.

A solamina contida na batata inglesa contém os seguintes compostos principais que são conhecidos até agora:

Estricnina - 269º C
Nicotina - 247ºC
Morfina - 245ºC
Brucina - 178ºC
Quinino - 177ºC
Atropina - 115ºC
Codeína - 115ºC
Cocaína - 98ºC
Solubilizam-se na proporção de 25mg por litro de água, decompondo-se a temperatura de 285ºC aproximadamente. É encontrada na batata inglesa na proporção de 0,01% a 0,04%, aumentando na época da germinação.
Sabe-se que a solamina enfraquece o sangue, paralisa o eixo nervoso central do movimento, dilata o aparelho digestivo provocando distúrbios no estômago e no intestino, bem como vertigens, sonolência, hemorróidas, diarréias e outras moléstias crônicas. É ainda uma das causas da amigdalite, da asma e de certas doenças do coração.
A solamina provoca a morte de um coelho, se for usada na proporção de 0,45g por quilo de peso do corpo do animal.

Além de tudo o que foi mencionado, a batata inglesa ainda contém uma dose muito alta de potássio, o que acarreta sérias dificuldades ao equilíbrio orgânico.
Os alimentos da família das solanáceas são muito negativos e, por isso, quando usados por doentes de natureza positiva (carnívoros), podem trazer temporariamente sensação de bem-estar e de equilíbrio.
Os maus efeitos não se manifestam em seguida, mas com o tempo, inevitavelmente aparecerão.
A batata era totalmente desconhecida na Europa até a descoberta da América, donde foi trazida.
Fonte: Macrobiótica Zen

domingo, 18 de outubro de 2009

SALGADAS - MINI-MORANGA RECHEADA COM PALMITO E CATUPIRY



No dia 12/10 eu e meu filho fomos à VI Feira de Agricultura Familiar, que estava muito boa.
Pena que muitos estandes já estavam vazios.Fizemos uma Visita Guiada pela Bibi, que foi muito legal.
Um dos locais que visitamos foi o estande da ACS AMAZÔNIA (Associação de Certificação Socioparticipativa da Amazônia). Lá, conhecemos uma agricultora de 21 anos, chamada Pequena e compramos dela essas duas belezinhas que vocês estão vendo.
Depois de muito especular com o meu filho como elas seriam recheadas surgiu a idéia.

MINI-MORANGA RECHEADA COM PALMITO E CATUPIRY
Ingredientes
2 Mini-morangas
tempero alho e sal

Ingredientes do Recheio
1 dente de alho
azeite
Sal a gosto
2 rodelas de palmito
3 raminhos de coentro
½ tomate sem pele e sementes (eu preferia pimentão vermelho mas não tinha em casa)
queijo catuiry
2 castanhas do Pará raladas

Preparo
Cortar a tampa das moranguinhas, retirar as sementes, passar os tempero de alho e sal por dentro delas, cozinhá-las no vapor com a boca para baixo até enfiar o garfo na casca e ele entrar. Após cozida, cave mais um pouquinho as moranguinhas por dentro, tendo o cuidado de não furá-la. Coloque o recheio, a castanha do Pará ralada por cima, tampe e leve ao forno para dar uma derretida no queijo.

Recheio
Fazer um refogado com alho e azeite, tomate, palmito, sal, um tiquinho de água e deixe cozinhar um pouquinho. Desligue o fogo e coloque o coentro picado, o queijo à gosto e misture.

OBS: Peguei a raspa da abóbora que sobrou, coloquei na panela onde fiz o recheio, acrescentei um pouco de queijo e ficou uma delícia. Esse também poderia ter sido o recheio.

SALGADAS - CURRY DE ABÓBORA COM TOFU

Recebi de Karen, do Núcleo Niterói, uma receita com o comentário abaixo.
“Adaptei a receita da australiana Jody Vassallo. O prato é da indonésia e a versão original leva uma pasta chamada satay, que substitui pelo açafrão e missô. Coloco mais tofu do que pede na receita original (pede 200 gr), porque fica uma delícia.
Quase todos os ingredientes temos na Rede.”

CURRY DE ABÓBORA COM TOFU

Ingredientes
uma colher de sopa de óleo
meia colher de chá de açafrão da terra
uma colher de sopa de missô escuro
duas colheres de sopa de gengibre fresco bem picado
500 gr de abóbora picada em cubos pequenos
200gr de tomate cereja cortado ao meio
400gr de tofu escorrido e picado em cubos (se achar muito pode reduzir esta quantidade)
500 ml de leite de coco
sal a gosto
uma xícara de coentro fresco picado
100 gr de folhas de espinafre

Preparo
Refogar o açafrão, o gengibre e o missô, sem deixar queimar. Misturar a abóbora e refogar uns cinco minutos até pegar o sabor da mistura.
Acrescentar o tomate, o tofu e o leite de coco. Deixar em fogo baixo por trinta minutos.
Temperar com sal a gosto.
Acrescentar por último as folhas de espinafre e o coentro.
Servir em seguida com arroz branco.
Para 4 pessoasOBS: Eu retiraria o espinafre (em Dicas você encontra a explicação).

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

SALGADAS - Empadão Integral


Esta receita foi enviada por Paulo Bittar, nosso produtor de queijo.

EMPADÃO INTEGRAL (da mãe de naturebas)

Ingredientes

2 xíc. farinha de trigo integral fina

½ xíc. farinha de trigo especial

½ xíc. fubá

3 col. sopa de manteiga

1 col. sopa de pó Royal

2 ovos caipiras

shoyo

leite integral até dar o ponto de abrir

Recheio

O que a imaginação e os restinhos da geladeira mandarem.

Preparo

Pincelar um ovo batido por cima da massa.

Untar pirex pequeno e assar no forno por aprox. 30 minutos.

BEBIDAS - Milk shake


Cumprindo o que prometi, aqui vai mais uma receita de bebida.


Ela me foi dada por Sandra Moreira, que trabalha comigo na escola do estado.


MILK SHAKE

Ingredientes

3 bananas

5 castanhas do Pará

500ml água de coco

5 tâmaras (ou 5 ameixas ou um punhado de passinhas)

Preparo

Hidratar as castanhas e as tâmaras, escorrer e bater tudo no liquidificador.

domingo, 20 de setembro de 2009

SALGADAS - Guacamole

No V Encontro da Rede cada núcleo ofereceu um “Café da Manhã” para o produtor visitante. Em seu relato, Maira nos diz que no Núcleo da Tijuca teve “vaca-amarela, não, não é amarela... rsrs, acho que é fria... rsrsrs sei tudo de comidas! Tava uma delícia! Hugo trouxe abacates, picou tomatinhos cereja, colocou salsa e tempero misto, ficou ótimo! Receita pra incluir no blog!”
Aí vai, Maira e demais, a receita a que ela se refere é Guacamole, típica da culinária mexicana, servida com uma grande variedade de pratos.

GUACAMOLE

Ingredientes
1 unidade de abacate
2 dentes de alho amassado
2 unidades de tomate picado sem pele, sem sementes
1/2 cebola picada
coentro picado
cebolinha verde picada
pimenta malagueta (quando eu coloco prefiro a dedo de moça)
4 colheres (sopa) de suco de limão
sal

Preparo
Amasse o abacate, misture os demais ingredientes.
Sirva com salgadinhos, torradinhas, como molho de saladas....

Rendimento 10 porções

Fonte: http://pt.wikibooks.org/wiki/Livro_de_receitas/Guacamole

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

DOCES - Bolo de Fubá

Este Bolo de Fubá foi oferecido pela Ana Lemos ao Núcleo Niterói, no sábado passado, para a comemoração do aniversário do Núcleo e estava muuuuuuito gostoso.

Receita de Bolo de Fubá

Ingredientes
1\2 xícara de óleo (foi sugerido de milho) mas prefiro girassol ou arroz
2 xícaras de fubá ( caso seja fubá fino – 1 1\2 xícara)
1 1\2 xícara de açúcar ( uso açúcar cristal que pode ser orgânico)
40 gr de manteiga ( acho dispensável, pode acrescentar mais um pouco de óleo)
1 xícara de leite (se quiser pode trocar o leite por água – fica mais saudável pode substituir por coalhada, dá um toque diferente)
1 colher de café de sal
3 ovos
2 colheres de sopa da queiro parmesão ralado (uso queijo meia cura e despedaço)
1 colher de sopa de fermento químico

Preparo
Misturar o óleo, o fubá, o açúcar, a manteiga!!!, o leite!!!, e o sal em uma panela e levar ao fogo até a massa levantar fervura, mexendo sempre. Depois deixar esfriar, acrescentar os ovos, um de cada vez, mexendo bem. Por fim, são adicionados o queijo e o fermento.
Levar tudo ao forno em temperatura média e...
... Bom Apetite.

Obs: Acho que leva muito ovo. Quando eu fizer vou colocar menos ou substituir. Se alguém fizer me fale.

Autoria mineira, adaptação Sra.Laura Góes, Pousada Alcobaça, Corrêias, Petrópolis Livro A cozinha da Alcobaça, Receitas e Histórias, Editora Terceiro Nome

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

BEBIDAS - Refrigerantes


Colocando os marcadores no Blog (Finalmente consegui!), me liguei que só tínhamos uma receita de bebida, por isso vou investir um pouco nesse tema.
Aqui vão as primeiras, que são de refrigerante.

COCA

Ingredientes
12 ameixas pretas sem caroço 1 copo de suco de limão 1 rodela de abacaxi com casca açúcar mascavo a gosto 5 litros de água

Preparo
Bata tudo no liquidificador, menos a água. Coe, acrescente os 5 litros de água e sirva.



GUARANÁ

Ingredientes
2 copos de suco de limão 1 pedaço de gengibre 1 rodela de abacaxi com casca 1 kg de açúcar mascavo 10 litros de água naturais

Preparo
Bata tudo no liquidificador, menos a água. Acrescente 10 litros de água natural, deixe descansar 48h, coe e sirva.

BEBIDAS - Leites Vegetais



LEITE DE CASTANHA DO PARÁ, DE AMÊNDOAS OU DE CASTANHAS DE CAJU

Ingredientes
½ xíc. de castanha do Pará
½ litro de água fervente.

Preparo
Bata no liquidificador e coe.
Tome ao natural sem açúcar e sem sal.

LEITE DE AVEIA

Ingredientes
1 colh. de sopa de aveia em flocos ou em grão
1 copo de água

Preparo
Coloque a aveia na água de deixe descansar por 2 horas.
Bata no liquidificador, coe em pano, ferva um pouco e tome.
Se necessário acrescente mais água.
Pode servir crua também.

LEITE DE ARROZ INTEGRAL

Ingredientes
1 xíc. de arroz integral cru
pitada de Sal marinho ou mel
água

Preparo
Deixe o arroz de molho. Mexa de vez em quando. Quando a água estiver espessa, leve ao fogo brando, mexendo sempre. Acrescente mais água e coe em pano de algodão.
Sirva morno com pitada de sal marinho ou frio com mel.

É o melhor leite para o bebê no lugar do leite materno.

Essas receitas de refrigerantes e leites são da apostila Saúde e Integralidade da Terapeuta Rosele Marry Alves.

SALGADAS - Palmito com abóbora ao forno

Que legal! Estou com uma ótima colaboradora agora!
Vamos ver se mais alguém se anima!

Recebi essa receita criada por Dani.
Outra coisa legal foi que ela resolveu contemplar nossos produtores.
Achei uma ótima ideia, pois assim nossos leitores ficam sabendo quem está plantando e produzindo produtos orgânicos! Alimento de qualidade!

"Gente... Outro dia não estava com muito tempo para cozinhar, fui juntando uns ingredientes e inventei essa receita. É bem fácil e fica bastante gostosa com arroz integral e uma saladinha!" (Dani)


PALMITO COM ABÓBORA AO FORNO

Ingredientes
½ Kg de abóbora (Sítio Santo Antônio - Itaboraí)
cebola
alho
Sal a gosto
Temperos frescos misto (Serorgânico - Seropédica)
1 vidro de palmito em rodelas (RECA - Rondônia)
Tomate cereja (Serorgânico - Seropédica)
Queijo parmesão ralado - opcional (Fazenda Serra da Boa Vista – Manejo, MG)

Preparo
Cozinhe bem a abóbora. Refogue cebola e alho e faça um purê com a abóbora acrescentando um pouquinho de água. Desligue o fogo, adicione os temperos e deixe a panela tampada para pegar o gosto.
Em um pirex, intercale camadas de purê com camadas de palmito (lave-os antes). Por último, coloque o purê. Corte os tomates em quatro e arrume por cima.Se quiser, sapilque queijo parmesão ralado e leve ao forno por 20 minutos.

sábado, 29 de agosto de 2009

ALIMENTO VIVO - TORTA VIVA DE DOCE DE LEITE COM FRUTAS


Hoje Dani, me enviou esta mensagem: "eu tenho testado algumas receitas e, ao longo da semana e do mês, vou passar as experiências para colocar no blog!!"
Vou ficar torcendo, Dani!
Ela fez uma oficina com o pessoal do Terrapia e depois assistiu a uma palestra com o Dr. Alberto Gonzalez. “DEMAIS!! Não tenho palavras para dizer como foram enriquecedoras essas experiências!! Há um tempo sou adepta de uma alimentação natural, saudável e gostosa, mas tinha algumas dúvidas em relação ao alimento vivo. A palestra do Dr. Alberto me proporcionou alguns ensinamentos que foram fundamentais. Inclusive, vou testar algumas receitas para o meu aniversário ser o mais saudável-gostoso possível!

Então, aqui vai a receita que devo fazer para cantar os parabéns com muita vida!!!"

TORTA VIVA DE DOCE DE LEITE COM FRUTAS

Ingredientes:
Massa:
castanhas do Pará hidratadas
tâmaras secas

Doce de leite:
abacate
mamão
tâmaras secas e passas

Para decorar:
frutas

Preparo:
Moa (de preferência num processador, mas liquidificador também serve) as castanhas do Pará. Separadamente, bata as tâmaras secas. Amasse os dois ingredientes e abra a massa em um prato raso modelando a torta (eu uso um azulejão branco que dá um aspecto visual melhor).
Bata os ingredientes do doce fazendo um creme. A quantidade ideal é no olho. Vá adicionando os ingredientes aos poucos até ficar uma cor de doce de leite.
Coloque o creme por cima da massa e decore com as frutas!! Coma com muito amor!!

A minha maior dificuldade no Alimento Vivo é encontrar todos os ingredientes orgânicos para preparar as receitas.

OBS: Frutas secas roubam água do nosso organismo para serem digeridas, portanto é sempre bom hidratá-las antes de preparar. As duras você pode deixar mais tempo, as moles menos, porque senão elas encharcam e deixam a massa muito molenga.

domingo, 23 de agosto de 2009

DOCES - GRANOLA


Sábado, 18/07, após a Assembléia da Rede eu e Isabela voltamos conversando e ela me disse que gostaria de fazer uma granola.
Tenho essa receita há muitos anos, já fiz muito e fica muito boa.
Esse sábado ela me cobrou e aqui vai.

GRANOLA
Ingredientes
1- Amendoim, amêndoa, avelã, aveia, castanha de caju, castanha do Pará, gergelim, nozes (+ ou - 100g de cada).
2- germe de trigo, açúcar mascavo, gersal.
3- Ameixa seca picada, passas sem caroço, damasco picado, tâmaras picadas.

Preparo
Pulsar no liquidificador os ingredientes 1 e misturar com os ingredientes 2.
Levar ao forno médio por mais ou menos 30 min, mexendo sempre com uma colher de pau.
Após esfriar, colocar os ingredientes 3 que é para não ficarem duros.
Você pode acrescentar outros ingredientes a gosto (como linhaça, semente de melancia, flocos de milho, farelo de arroz etc...).

Quando fizer, Isabela, deixe aqui seu comentário para sabermos como ficou e se gostou.

Beijocas para você e boas viagens com a granola como companheira.
P.S.: Isabela fez novamente a greanola e me enviou as fotos. Que bom! Ésinal de que ela gostou mesmo!

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, TALOS E OUTROS - TORTA DE FOLHAS E TALOS DE BETERRABA

Esta receita foi enviada por Karen do Núcleo de Niterói.
Quando, na entrega de secos, ela viu as beterrabas com aquelas folhas lindas, disse que ia preparar uma torta com elas. Pedi-lhe, então, que compartilhasse conosco.
A foto ficou um pouco escura mas valeu o esforço. Assim que tivermos uma mais clara, substituiremos.

TORTA DE FOLHAS E TALOS DE BETERRABA

Ingredinetes
1 maço de folhas de beterraba com os talos (mais ou menos vinte folhas)
talos de um maço de espinafre
2 colheres de sopa de azeite
Sal a gosto
1 ovo levemente batido
100gr de queijo minas curado cortado em cubinhos
pimenta branca moída na hora

Preparo
Pique as folhas e os talos em pedaços de mais ou menos 2 cm.
Refogue-os em fogo baixo com o azeite, sem cozinhar muito. Tempere com o sal. Escorra um pouco da água se achar que tem muita. Misture com o ovo e os cubinhos de queijo minas. Coloque em uma forma de vidro untada com pouco óleo (o vidro é melhor para ver o cozimento). Salpique a pimenta branca.
Leve ao forno de 180 graus até que dourem o queijo e os ovos.
Servir imediatamente.
Serve duas pessoas.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

SALGADAS - PASTA PARA PASSAR NO PÃO 1

Daniele me disse que está querendo diminuir o seu consumo de queijo e gostaria de receitas salgadas que pudesse passar no pão, fiquei de postar algumas para ela. Fiquei muito feliz porque ela me disse que está entrando no Blog e vai me ajudar com receitas e fotos das comidinhas que preparar. Nós temos que já foram postadas anteriormente no Blog, receitas do queijinho de amendoim, a salada de berinjela, pastinhas com inhame e tofu mexido. Na falta de outras coisas já fiz uma pasta de gersal com azeite e passei no pão. A receita abaixo foi retirada da apostila de Rosele (aquela terapeuta da qual já falei).

THAINE
Ingredientes
Gergelim Óleo de milho, de girassol Um dente de alho Missô

Preparo
Torre o gergelim até ficar dourado, leve ao liquidificador ainda quente e moa acrescentando o óleo, alho e missô. Use para passar no pão, nas torradas. Serve também para comer com inhame, aipim ou arroz.

ALIMENTO VIVO - PASTAS PARA PASSAR NO PÃO 2


Ainda atendendo ao pedido de Daniele, aí vão mais algumas receitas para passar no pão.

MOLHO DE MISSÔ
Ingredientes
2 colheres de sopa de missô
2 dentes de alho amassados
1 xícara de água natural
alho nirá picado
óleo de gergelim torrado ou azeite.

Preparo
Misture tudo e sirva.
Para pão integral, saladas e massas frias

PATÊ DE GERGELIM COM ERVAS
Ingredientes
½ xícara de gergelim hidratado
½ xícara de água mineral
cheiro-verde
manjericão, alecrim
sal marinho
limão

Preparo
Bata primeiro o gergelim com a água até virar um creme , adicione os temperos e sal e limão a gosto.

PASTA DE BROTO DE GRÃO DE BICO
Ingredientes
2 xícaras de brotos de grão de bico
1 dente de alho
1 colher de sopa de azeite de oliva extra-virgem
½ xícara de água
1 colher de sopa de suco de limão
sal marinho
shoyo, orégano
cominho etc

Preparo
Bater todos os ingredientes no liquidificador.

PASTA DE CASTANHA DE CAJU
Ingredientes
Castanha de caju crua hidratada (4h)
Alho
Cheiro-verde
Sal
Azeite

Preparo
Bata tudo no liquidificador.

PASTA DE INHAME de Bancov e Vilma Carvalho

Inhame, Amendoim germinado, Pimentão vermelho, Cebola, Alho, Sal marinho, Shoyo, Azeite extra virgem

OURO VERDE DO PARAÍSO (pasta de grão de bico) de Marilena Westin

Ingredientes
1 xícara de chá de grão de bico germinado e descascado, 1 cebola picada, 1 limão, 1 pimentão verde, cheiro verde a gosto, 3 pimentas frescas, azeite extra virgem a gosto, Missô

Preparo
Bater no liquidificador na seguinte ordem, Caldo do limão, cebola, Grão de bico (despejado aos poucos), pimentão, Cheiro verde picado, Pimenta, Azeite extra virgem. Temperar com missô e comer com palitos de cenoura, nabo e pepino.

PASTA DE BETERRABA de Antonio Tigre
Beterraba, Alho, Cebola, Sal marinho, Azeite extra virgem, Semente de soja germinada

PASTA DE GRÃO DE BICO de Fernanda

Grão de bico germinado, Azeite extra virgem, Sal marinho, Cebola, Salsa, Cebolinha
Tudo batido no liquidificador

PASTA DE INHAME de Lucimar Azevedo
Pasta:
Inhame
Trigo germinado
Cebola
Alho
Pimentão vermelho

PASTA DE GRÃO DE BICO de Nana

Bater no liquidificador:
Alho, Grão de bico germinado, Água, Limão, Salsa picada, Sal marinho, Azeite extra virgem, Cebola

PASTA DE ESPERANÇA de Socorro

Bater no liquidificador com pouca água:
Grão de bico germinado, Berinjela descascada, Cebola, Alho, Cebolinha
Salsa, Azeite extra virgem, Sal marinho

MOLHO PESTO
Ingredientes
Nozes e castanhas do Pará germinadas (se não der para germinar hidrate, pelo menos)
Manjericão
Alho
Sal
Água de coco

Preparo
Bate tudo no liquidificador, coloca no pote e acrescente azeite.

SALGADAS - QUIBE VEGETARIANO DE FORNO

Geralmente quando preciso levar algo para um almoço faço essa receita de quibe que, originalmente, era feita com inhame. Um dia cheguei no mercado e o inhame estava custando mais de R$4,00. Olhei para o aipim e era R$1,99. Optei pelo aipim, gostei muito mais e agora só faço com ele.
Como na Rede não tem triguilho orgânico, gostaria que alguém experimentasse fazer o triguilho com o trigo que é vendido, como o trigo é muito duro o ideal é deixar de molho primeiro (no momento estou sem). Isso já foi feito no Alimento Vivo pois descobrimos que o triguilho era pré-cozido.
Se alguém fizer fotografe e me mande a foto.

QUIBE VEGETARIANO DE FORNO

Ingredientes
½ quilo de triguilho
1 molho de cheiro verde
1 molho de hortelã
½ cebola média picada
azeite
sal a gosto
pedaços de aipim cozidos

Preparo
Coloque de molho o triguilho de uma dia para o outro para ele ficar bem macio. Escora, esprema bem, misture com o aipim amassado (é para dar liga, não coloque muito). o cheiro-verde, o hortelã e cebola bem picados, sal a gosto e um pouco de azeite. Coloque numa forma untada com azeite, corte em losangos e regue com um fio de azeite ou faça bolinhos. Asse em forno por 20 a 30 min.
Se quiser pode rechear com tofu temperado.
Sirva com salada crua temperada com molho de soja com cebola (sugestão da apostila de Rosele).

domingo, 2 de agosto de 2009

APROVEITAMENTO DE TALOS - PÃO DE TALOS


PÃO DE TALOS

Quando Mariana entrou para a Rede me falou desse pão de talos e agora estou intimando-a a nos passar as dicas sobre ele.
Ela disse que se aventurou a acrescentar talos de espinafre que são muito fibrosos e desagradáveis de mastigar. Deveria tê-los cortado mais fininhos e aproveitado apenas as pontas mais finas (próximas dos brotos).
Acrescentou também que a receita rende bastante e a aparência do pão é realmente como na foto do livro. É indispensável o uso do talo de beterraba para dar o colorido vermelho.
Apesar da recomendação para comer pela manhã, ela achou ótimo como acompanhamento para sopas.

Esta receita faz parte da ficha 04 que acompanha o livro Comer com Sabedoria – O alimento segundo a Medicina Tradicional Chinesa de Ana Beatriz Vieira Pinheiro, Editora Nova Era.
Livro este, muito bom e com receitas ótimas.
Ele nos fala que “cada Elemento nutre a energia do próximo no Ciclo dos Cinco elementos e, consequentemente, cada estação do ano nutre a energia da estação seguinte. Como a próxima estação é Primavera, esta receita está bem de acordo.


PÃO DE TALOS

Ingredientes
1 ½ xíc. de chá de suco de talos (300ml) – preparado com talos, ½ cebola média e água
1 pacote (10g) de fermento biológico seco ou 2 tabletes (30g) do fresco
1 colh de sobremesa rasa de frutose ou açúcar mascavo ou demerara (10g)
2 ovos
¼ de xíc de chá de óleo (50ml)
3 ½ xíc de chá de far trigo (350g)
3 ½ xíc. de chá de far trigo integral fina (350g)
1 colh sobremesa de sal (7g)
1 xíc de chá de talo de beterraba (100g) picado
xíc de chá de talo de aipo (100g) picado
xíc de chá de cebolinha (50g) picada

Preparo
Preparar o suco de talos batendo no liquidificador os talos que tiver (como aipo, beterraba, couve, agrião etc...) + ½ cebola média e água (colocar pouca para que não haja sobra). Bater bem, coar e reservar os 300ml.
Esfarelar o fermento no fundo da vasilha da batedeira e polvilhar o açúcar por cima. Deixar agir por alguns minutos.
Caso o fermento não se dissolva totalmente, misturar com uma colher o fermento e o açúcar, até que se transformem num líquido.
Acrescentar os ovos, o suco de talos e o óleo. Bater.
Após, aos poucos, colocar o trigo e o sal e bater (usando batedeira ou colher de pau), até a massa ficar bem lisa.
Acrescentar os talos (beterraba, aipo e cebolinha) picados e misturar.
Untar bem as formas com óleo (usar forma para pão de forma), colocar a massa de modo que só ocupe metade da altura da forma, pois a massa irá crescer e dobrar o tamanho. Deixar a massa descansar por 30 min. Sendo que no clima frio, o ideal é colocar a forma envolvida para abafar, deixando espaço para a massa crescer. Colocar no forno, apagado para descansar.
Assar em forno préaquecido, por cerca de 30 min, sendo 15 min em fogo fraco e mais 15 min em fogo médio.

Obs: os talos picados poderão ser substituídos por outros de sua preferência, desde que sejam talos frescos e não em conserva.

Rendimento: 2 pães de 600g cada
Indicação de estação: Primavera
Indicação de Horário: manhã
Comentário: este pão é muito saboroso, bonito e diferente, além de permitir o aproveitamento de qualquer talo. Sua ação é mais específica na circulação de energia já que a essência do talo tonifica o fígado.
Entre no site http://www.couzinharte.com.br/receitaidx.html lá você vai encontrar mais informações e receitas de Ana Beatriz Vieira Pinheiro.

domingo, 26 de julho de 2009

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, SEMENTES E OUTROS - MULTIMISTURA



MULTIMISTURA


Na entrega da Rede do dia 18/07, falamos sobre a MULTIMISTURA que vem da APAT e que alguns querem saber como usar.

Primeiro, não poderia deixar de citar a Dra. Clara Takaki Brandão, Pediatra, Nutróloga e criadora da MULTIMISTURA, que você vê na foto acima.
Conheci seu trabalho quando entrei para a Unibiótica em 1995. Dedico a ela minha profunda admiração, pois já salvou muitas crianças desnutridas (principalmente no Norte e Nordeste do Brasil) com a MULTIMISTURA e seus ensinamentos sobre a forma mais completa e correta de se alimentar.
Assisti, num vídeo, as grandes transformações sofridas por crianças que chegaram até ela só pele e osso e que, em alguns meses, estavam tão fortes que você nem dizia que eram as mesmas.
Se alguém tiver notícias recentes, após os problemas que enfrentou no governo no ano passado, por favor, me conte.
Em seu livrinho Alimentação Alternativa, ela nos fala que “a MULTIMISTURA vai dar muita qualidade pela variedade. Não existem alimentos fortes (carne, leite, ovo,frango) ou fracos, mas complementares. O nosso corpo precisa de variedade. A MULTIMISTURA vai enriquecer, com pequenas quantidades, o que você come todos os dias, sem mudar a preparação ou o sabor do que você gosta. Ela contém: farelo (de arroz ou de trigo), pó de folhas verde-escuras, pó de sementes e pó de casca de ovo.
A MULTIMISTURA além de enriquecer o que comemos, ajuda a manter a saúde; a recuperar a criança desnutrida; a comer menos, porque os pratos ficam mais completos; a aumentar o leite do peito; a diminuir as infecções; a diminuir a anemia e muitos outros sintomas que você vai ter oportunidade de observar no dia-a-dia.”
O uso deve ser diário, como o sal: pouco e sempre.
Usar 1 a 2 colheres de sopa (rasas) para cada pessoa, por dia, dividida nas refeições. Serve para todas as idades.
Além de como usar, coloco abaixo as receitas, caso alguém deseje fazê-la.

FARELO DE ARROZ
O farelo deve ser sempre novo, sem cheiro de ranço ou de mofo.
Peneirar aos poucos em peneira fina para separar a casca e o arroz quebradinho. Pode-se passar mais de uma vez na peneira se tiver ainda muita palha.
O farelo de arroz deve ser imediatamente preparado e torrado. Torrar em panela grande, com colher de pau, mexendo sempre por, no mínimo, 25 minutos em fogo baixo(Depois que a panela e o farelo estiverem quentes).
Não colocar mais de um terço (1/3) da capacidade da panela, para se conseguir um farelo torrado homogeneamente.
Esfriar e guardar em vasilhas fechadas ou no freezer.

MODO DE USAR
1 a 2 colheres de sopa (rasas) para cada pessoa por dia.
Misturar em sopas, mingaus, vitaminas, arroz, feijão, bolos, cuscuz, beiju, pão, molho de macarrão...
Dividir em todas as refeições usadas durante o dia.

O Óleo de farelo de arroz pode ser frito várias vezes e não se decompõe. Tem álcool triterperno, que acelera a formação e a fixação da memória e outras propriedades mais. Os farelos neutralizam o componente nutricional da TPM, cólica menstrual, do alcoolismo e contribuem para uma qualidade de vida melhor. Normaliza o crescimento dentro e fora do útero, reduz a anemia, regulariza a função intestinal, melhora a dor nas pernas, o calcanhar rachado, a cicatrização, a assadura etc.

FARELO DE TRIGO (contém glúten)
Passar em peneira não muito fina. Convém torrar para ser usado em preparações que não vão ao forno ou fogo.
Para crianças pequenas, tem de ser passado em peneira fina.

MODO DE USAR
1 a 2 colheres de sopa (rasas) para cada pessoa por dia.
Dentro do princípio da MULTIMISTURA, se você tiver os 2 farelos, pode misturá-los e usar na mesma quantidade acima recomendada.

Hoje, conhecemos os efeitos maléficos dos metais pesados como o mercúrio, chumbo, cádmio, alumínio, níquel, porém, nutrientes contidos nos farelos e nos pós de folhas verde-escuras comestíveis podem neutralizar sua ação total ou parcialmente, dependendo da sua concentração, assim como outros alimentos, como as frutas, verduras, cereais integrais, que também têm componentes funcionais ou inteligentes.

PÓ DE FOLHAS VERDE-ESCURAS
São ricas fontes de vitamina A, vitaminas do complexo B, vitamina C etc... além de Ferro e Cálcio. Existem muitas folhas que podem ser usadas, eis algumas delas: abóbora, alfavaca, batata-doce, beldroega, caruru, chuchu, coentro, dente de leão, hortelã, jambu, língua-de-vaca, mandioca, manjericão, ora-pró-nobis, picão branco, pimentão, serralha, taioba, uva, vinagreira etc...
A folha de mandioca além de ser a mais rica, é a mais fácil de ser preparada.

PREPARO
Secar as folhas em lugar ventilado, à sombra, ou em forno entreaberto até se tornarem crocantes. Amassar bem e passar no pilão, no liquidificador, no moedor de cereal ou peneira fina.
Com esse processo elimina-se o ácido cianídrico.

MODO DE USAR
Acrescente uma (1) pitada do pó de folhas no prato já pronto, em todas as refeições.

PÓ DE SEMENTES
São alimentos de grande valor que a natureza colocou à disposição. Concentram muitos sais minerais, vitaminas, óleos essenciais e proteínas muito importantes para o funcionamento do organismo.
Ex.: sementes de abóbora, amendoim, babaçu, gergelim, girassol, castanha de caju, castanha do Pará, jaca, melancia, melão, pecã, sapucaia etc...

MODO DE USAR
Use no preparo de paçoca, farofa, granola, mingau, bolo, cuscuz etc...

PÓ DE CASCA DE OVO
Os nossos bisavós já usavam o pó da casca de ovo porque é uma grande fonte de Cálcio, importantíssimo para: o crescimento, a gravidez, a amamentação, a recuperação da saúde, a conservação dos dentes e a prevenção da osteoporose (lembrar de tomar sol).

PREPARO
Lavar bem as cascas dos ovos. Fervê-las por 20 minutos e lavar bem para retirar a espuma branca. Deixar de molho por 30 minutos em 1 litro de água para uma colher de (sopa) de hipoclorito ou água sanitária. Secar ao sol ou ao forno. Liquidificar ou pilar, é bom passar em pano fino para ficar como talco.

Nota: usar máscara na hora de liquidificar para impedir a contaminação e a aspiração do pó.

Colocar 1 colher (chá), por pessoa, de suco de limão. Esperar ferver (como sonrisal) e tomar. Antes de usar, pode deixar também em vinagre (prefira o de maçã ou arroz mas o limão é o ideal), por algumas horas, para ser melhor aproveitado pelo organismo.

Usar em sopas, mingaus, farofa, paçoca, bolo etc...

Pode-se enriquecer a alimentação do dia-a-dia com uma farinha composta de:
70% de farelo (arroz e ou trigo) tostado,
15% de pó de folhas (mandioca, batata-doce, etc.),
15% de pó de sementes (gergelim, abóbora, linhaça, girassol).
Se tiver pó de cascas de ovo, a mistura fica assim:
70% de farelo tostado,
10% de pó de folhas verde-escuras,
10% de pó de sementes,
10% de pó de casca de ovo.
ESSA É A MULTIMISTURA.

No site http://www.multimistura.org.br/multimistura.htm que você encontrará mais informações.

domingo, 19 de julho de 2009

DOCES - Geleia de Pimenta


Ontem, na Assembleia da Rede, Cristina e João, de Seropédica, levaram uma geleia de pimenta muito boa. E olha que eu não gosto nem de sentir o cheiro de pimenta... Provei e gostei. Vou experimentar fazer com a pimenta biquinho, que quase não arde, se ainda vier na próxima entrega.
Eis a receita que ela me passou hoje por e-mail.

GELEIA DE PIMENTA

Ingredientes
2 pimentas dedo-de-moça sem as sementes, picadas em tirinhas bem finas
3 maçãs grandes (uso a Gala ou a Fuji), cortadas em fatias bem finas
Casca de uma laranja tipo Bahia, Natal ou Pera (lavar bem a laranja pois entra toda a parte da casca e a polpa branca), cortada em tirinhas bem finas
Metade do caldo da laranja
3 colheres de sopa de açúcar (quem gosta de mais doce pode acrescentar mais 1 colher)

Preparo
Levar ao fogo até dar o ponto de geleia.
Envazar em um vidro esterilizado e guardar na geladeira.

Atenção: não é conserva esterilizada, portanto não deve ser feito muita pois pode mofar se guardada por muito tempo.

Como esterelizar os vidros
Leve bastante água para ferver numa panela grande, que dê para cobri-los; coloque os vidros e suas tampas na panela e deixe ferver por, no mínimo, 15 minutos.
Para retirar os vidros e as tampas, utilize uma pinça de cozinha e deixe-os escorrer sobre um pano de prato limpo.

Atenção: não coloque os vidros sobre nenhuma superfície muito gelada, como mármore, pois os vidros podem estourar. Só use depois que eles esfriarem totalmente.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

DICAS - salsa, cebolinha, manjericão roxo e branco, sálvia e outros


Nessa última entrega recebemos um molho de tempero misto com salsa, cebolinha, manjericão roxo e branco e sálvia. Como muita gente não sabe como usar (eu, inclusive, a sálvia), fui pesquisar. Incluí também outras verduras e temperos que me perguntaram como usava e a pimenta biquinho.

Aipo
: hortaliça de sabor marcante cujas folhas são utilizadas para temperar caldos ou sopas. Seu talo pode ser consumido cru em saladas (Salada de aipo com maçã, nozes e passas fica uma delícia!) ou cozido em ensopados. Ótimo também em canapés e ensopados. Aipo Marrom ou sal de aipo ou aipo em pó: aromatiza o sal. Principalmente usado em pratos com saladas de batata e cozidos com vegetais. Tempero feito principalmente com a semente, também chamado aipo em pó: tempero de salada de folhas ou legumes, molho de tomate, sopa de legumes, de cebola e caldo verde. Muito usado na Europa e Estados Unidos para temperar assados, sopas, picles e saladas. Origem Europa. Na Grécia antiga, era considerado sagrado e foi utilizado em emblemas de nobres.

Alho poró: é uma hortaliça com sabor muito semelhante ao da cebola. Utiliza-se tanto o bulbo (parte mais branca) quanto as folhas. De sabor suave e levemente adocicado, é empregado em sopas, saladas, ensopados e quiches. As folhas também são usadas secas como tempero. Parece com a cebolinha, porém maior.

Louro: largamente utilizado em molhos, marinados, ensopados, conservas, ficam particularmente bem com legumes como o feijão, sopas, vinha-d’alhos e chás.
Faz parte do Bouquet Garni (Bouquet de ervas aromáticas frescas ou secas amarradinho com barbante ou linha. Para ervas secas, faça um sachê com um pedaço de gase e amarre com um fio de algodão. O que você junta e a quantidade, depende da receita e do volume que será preparado. O Bouquet Garni clássico leva salsinha, louro e tomilho. Usado quando você quiser temperar, sem deixar vestígio dos temperos. Faça o bouquet e remova no final da preparação.).
Dá sabor especial ao molho de tomate. Usado principalmente como aromatizante em vinha d’alho e marinada. As aromáticas folhas de louro são utilizadas frescas ou secas e tem um lugar essencial num ramo de cheiros. Ao cozer batatas, junte-as à água. Seu óleo essencial é liberado lentamente, o que o torna mais adequado a cozimentos longos. A folha deve ser retirada antes de servir a comida, pois ela é muito ruim de mastigar. É originário do Mediterrâneo e Ásia Menor.

Manjericão: fortemente aromático, com sabor característico, é muito utilizado em molhos, sopas, pizzas, recheios de massas, macarrão, risotos e saladas. Há duas variedades: verde e roxo. Pode ser encontrado fresco ou seco. Obrigatório na pizza marguerita e no molho pesto. Principal é o odor. Bom ter plantado em casa. Chamado “erva dos reis” na Grécia antiga. Originário da Índia.

Sálvia ou Artemísia
: erva aromática levemente azeda, usada na culinária como condimento para queijos, tomates, recheios, saladas, molhos diversos, suflês, cremes, massas com manteiga, batatas, biscoito, vinha d’alho, pratos da cozinha italiana, excelente para recheios e chá. Dá realce a vários pratos quentes com tomate e queijo. Pode ser usada para substituir o louro em cozidos. Amarga. A sálvia tem um sabor potente, pelo que deve ser usada com cuidado. Use com moderação.
Originária do sul da Europa.

Fonte:
http://br.geocities.com/gil_de_almeida/temperos/Temperos.htm
http://www.mulherdeclasse.com.br/temperos.htm

domingo, 21 de junho de 2009

DICAS E APROVEITAMENTO DE CASCAS, TALOS E OUTROS - Do Caderno Ecológico e outros


Propriedade dos Alimentos da Rede Ecológica

ABACATE – quando usar uma metade, deixar a outra com o caroço.
ABÓBORA - deve ser aproveitada inteira, casca, polpa, sementes, folhas. As sementes torradas podem ser servidas como aperitivos.

Lembro quando eu era criança que minha mãe fazia broto de abóbora refogadinho e era uma delícia.
Tenho feito também o feijão azuki cozido com um pedaço de abóbora com casca(de preferência a de casca escura) e alga. Após cozido bato um pouco do caldo com a abóbora e a alga, recoloco no feijão e refogo-o.

Cozinhe a abóbora em pedaços grandes com casca e depois aproveite a casca cozida fazendo farofa ou misturando-a ao arroz;
Temperos que combinam com a abóbora: sal, cebola, açúcar, alho, pimenta, noz moscada, canela e gengibre.
http://www2.correioweb.com.br/hotsites/alimentos/abobora/alimentos.htm

AGRIÃO - os talos devem ser picados e refogados com temperos, podem ser ingredientes de bolinhos salgados.

Também ficam ótimos picadinhos, temperados com azeite, sal, shoyo, um pouquinho de água para servir por cima da sopa, do amornado de grão de bico, que é muito bom.
FOLHAS DE BETERRABA, NABO E RABANETE – podem ser picadas e servidas em saladas, refogadas, suflês ou conservas.
FOLHAS DE CENOURA E SALSA - devem ser aproveitadas em bolinhos, sopas ou saladas.
LARANJA - sua casca seca serve para fazer chá. A casca fresca pode ser usada em arroz doce e cremes.

Já usei também a casca de laranja da terra ralada em receita no alimento vivo.

SALSA - para conservá-la fresca lavar, deixar secar e cortar bem fininho, guardar em um vidro, coberta com óleo.
SALSÃO - as folhas secas e esfareladas podem ser usadas como condimento em sopas, molhos de saladas ou cozidos.
TALOS – de couve e taioba são ricos em fibras, podem ser aproveitados em refogados, feijões e sopas.
VERDURAS - as sobras podem dar ótimos suflês.
GRÃO DE BICO, LENTILHA, FEIJÃO BRANCO – utlize a água do cozimento para enriquecer sopas, caldos ou arroz.
Fonte: Caderno Temático O Lixo e os 3 R’s – PVE/PUC-RJ e outros

terça-feira, 16 de junho de 2009

DICAS - COMO CONSERVAR BANANAS


Mariana Esteves, da Rede Ecológica, Núcleo Niterói, me mandou essa dica que experimentei e aprovei.
Procurei a origem na internet e a única referência que encontrei foi a de Euzir Nascimento da Casa Gourmet mas me parece que esta é uma dica antiga, daquelas do tempo da vovó.

DICA

Quando comprar banana, chegue em casa e corte todas da penca, da forma que foram cortadas na foto. Com tessoura ou faca.
Evita 2 problemas:
01 - mosquito;
02 - conserva por mais tempo sem deteriorar a ponta.
Corte o mais longe possível da banana que é melhor.

Normalmente a banana madura se separa da penca até mesmo pelo peso.
Quando isto acontece, ela começa a melar aparecendo aqueles mosquitos de fruteira, além de oxidar e estragar mais rápido.

No dia seguinte ao corte, a banana já está com a ponta seca e fechada, conservando-se íntegra por uma semana.
A foto abaixo mostra a banana madura com 1 semana, bem preservada e com a ponta parecendo um umbigo seco.
Experimente!

segunda-feira, 8 de junho de 2009

DICAS - DEZ RAZÕES PARA VOCÊ CONSUMIR PRODUTOS ORGÂNICOS

Comprei o macarrão integral da ECOBIO na Rede Ecológica.
Fiz aquela receita de Macarrão com Verduras que coloquei no dia 20/04/09 e gostei muito.
Percebi que dentro da caixa havia algo. Abri e encontrei esse texto que achei importante colocar no Blog.

O produto orgânico é, na realidade, a forma mais barata do alimento. Um produto convencional pode custar 30% mais barato, mas lembre-se dos custos ambientais e médicos que estão por trás dele.

DEZ RAZÕES PARA VOCÊ CONSUMIR PRODUTOS ORGÂNICOS

1) Sua comida é mais gostosa
Esta é a razão pela qual muitos famosos chefs procuram alimentos orgânicos.

2) As substâncias químicas ficam fora de seu prato
Produzido organicamente significa produzido sem pesticidas, herbicidas, fungicidas tóxicos, fertilizantes artificiais e hormônios.

3) Você protege as gerações futuras
Um relatório recente do Environmental Group diz: “Quando uma criança completa um ano de idade, já recebeu a dose máxima aceitável para uma vida inteira de oito pesticidas que provocam câncer”.

4) Você protege a água
A Terra é composta por 2/3 de água. Pesticidas e metais tóxicos infiltram nos lençóis freáticos e riachos de água, contaminando e se acumulando nas águas potáveis.

5) Você protege os solos
A produção orgânica respeita as áreas de preservação permanente, faz adubação verde, cultivo em nível, sistema plantio direto ou cultivo mínimo.

6) Você tem um alimento mais nutritivo
Pesquisa indicam que os alimentos orgânicos geralmente tem mais vitaminas e minerais que os alimentos convencionais.

7) Você paga o verdadeiro custo do alimento
O produto orgânico é, na realidade, a forma mais barata do alimento. Um produto convencional pode custar 30% mais barato, mas não se esqueça dos custos ambientais e médicos.

8) Você ajuda o agricultor
O produto orgânico agrega valor na cadeia para o produtor e não para as grandes transnacionais de adubos, sementes, agrotóxicos e máquinas.

9) Você ajuda a preservar a biodiversidade
Propriedades orgânicas protegem as matas nativas, as aguadas, as áreas de preservação e de reserva legal. Fazem policultivos e respeitam a fauna e flora nativa.

10) Você ajuda a reduzir o aquecimento global
A agricultura convencional libera enormes quantidades de gás carbônico, metano e óxido nitroso. Atualmente, mais energia é consumida para produzir fertilizantes artificiais do que para plantar e colher todas as safras do mundo.

sábado, 23 de maio de 2009

SALGADAS - Bertalha


A pedido de Miriam, vamos falar da bertalha.
Sempre comi muita bertalha pois tinha na cerca do fundo do meu quintal e quando era criança sempre colhia para minha avó Carmélia que a preparava refogadinha, com ovo ou colocava na sopa. Saudades... Lamento ela não estar viva para absorver mais de sua sabedoria natural e trocar minha experiências.
Mesmo depois de adulta nunca vi outra forma de usá-la diferente dessas.
No alimento vivo experimentei uma receita com ela crua e não gostei.

Eis aqui como eu preparo na minha casa.
Após lavar folha por folha e os brotos mais tenros, costumo jogá-la em um refogado onde uso azeite e alho - quando uso alho não uso cebola porque um corta o efeito do outro mas abaixo tem uma receita com os dois pois copiei tal como estava na fonte. Ela mina água mas se for preciso você pinga mais um pouquinho.
Meu marido já gosta de murchá-la primeiro para depois refogar.
Meu filho gosta com ovo, que joga quando ela está pronta e espera cozinhar em seu caldo.

Procurei em todos os meus livros de receitas e não encontrei nada de diferente. Fui para a internet e aqui vai o que achei.

BERTALHA
A bertalha é cultivada por suas folhas carnosas, muito consumidas no Rio de Janeiro.
Na Índia, chama-se também de espinafre indiano.
A bertalha fica muito gostosa em saladas, refogados, bolinhos, sopas e omeletes.
A bertalha fresca, boa para o consumo, tem folhas de cor verde bem escuro, tenras,limpas, sem manchas nem marcas de insetos. Não compre maços com folhas amareladas, murchas ou rasgadas, isso indica que a verdura foi colhida há muito tempo
De preferência, a bertalha deve ser consumida logo após ser colhida, pois se deteriora com muita facilidade. Se quiser conservá-la por 2 ou 3 dias, embrulhe em papel e guarde na gaveta de verduras da geladeira.
Paiva (1979) recomenda não se consumirem mais de 500 g/ dia, devido ao teor considerável de ácido oxálico, como ocorre com espinafre e com a banana (veja dica que postei no dia 10/04 sobre o assunto).

REFOGADINHO DE BERTALHA COM OVO

Ingredientes
2 molhos de bertalha
3 dentes de alhos amassados
2 ovos inteiros ligeiramente batidos
2 colheres(sopa) de óleo
sal a gosto

Preparo
Coloque a bertalha em uma panela com água e um pouco de sal , leve ao fogo. Deixe ferver só até a bertalha começar a murchar.
Deixe escorrer bem, coloque em cima da tábua de carne, bata com uma faca até ficar bem miudinha.
Coloque em uma panela o óleo, o alho amassado e deixe dourar.
Coloque a bertalha e refogue bem.
A seguir bata ligeiramente os ovos e coloque sobre a bertalha refogada e deixe cozinhar.
Prove o sal e está pronto. É um prato muito saboroso.

SOPA DE ARROZ DO PAI JOSÉ
Campeã das dietas, porque limpa, emagrece e não dá fome.

Ingredientes
1 xícara de arroz integral cru,
16 de água,
6 dentes de alho,
3 cebolas médias,
6 talos de aipo com as folhas,
um alho-poró também com as folhas,
12 ou mais folhas de bertalha,
hortelã, cebolinha, salsinha ou coentro.

Preparo
Ponha o arroz para cozinhar naquele montão de água, de preferência em panela grossa, de pedra-sabão, barro ou ferro esmaltado; quando ferver abaixe o fogo, tampe e deixe cozinhar por três horas, mexendo de quando em vez.
Corte a cebola em gomos, o aipo e o alho-poró em fatias grossas diagonais,
descasque os dentes de alho e ponha tudo lá dentro, aumentando o fogo, para baixar de novo depois que ferver.
Junte mais água se for o caso.
Deixe ferver 40 minutos, misture as folhas de bertalha, apague o fogo e tampe.
Sirva com uma colher (chá) de missô em cada porção e os verdinhos frescos por cima. Pode comer à vontade.
Substitui ao menos uma refeição por dia, com resultados maravilhosos.
Por quê?
Primeiro porque o arroz integral cozido longamente, às vezes a noite inteira, é o alimento mais medicinal que existe: fácil de digerir, fortalece o princípio vital e o sangue, harmoniza o sistema de aquecimento do corpo,
suaviza os intestinos e ajuda a eliminação de toxinas através da urina.O alho é uma cornucópia de virtudes para a saúde. Espanta vírus, fungos e outros hóspedes indesejáveis, desengordura, tonifica, relaxa, faz bem ao fígado e às glândulas, limpa o sangue.
A cebola não fica atrás: também é anti-séptica, limpa e regulariza os rins e a bexiga, baixa a taxa de glicose no sangue, ajuda a absorver oxigênio.
O alho-poró reforça o alho e a cebola e dá um sabor especial.
O aipo, ou salsão, estimula a digestão e os intestinos, limpa os rins, alivia o reumatismo, acalma, nutre e tonifica; suas folhas têm um tipo natural de insulina.
E as folhas de bertalha, Basella alba, trepadeira que dá em qualquer cerca no mato carioca, são riquíssimas em cálcio, ferro, magnésio, clorofila e outras preciosidades, e ainda lubrificam os intestinos. Se não encontrar bertalha, pode colocar chicória.
Contra-indicação: quem já urina muito não deve tomar essa sopa.

Fontes
http://betechef.blogspot.com/2008/03/blog-post.html
http://receitasdetodososdias.blogspot.com/
http://claudioalex.multiply.com/recipes/item/3/3

segunda-feira, 11 de maio de 2009

ALIMENTO VIVO - Pizza com trigo germinado

Pizza

Hum, adoro pizza!
Quando eu estava 100% no alimento vivo quase todo final de semana eu fazia essa para o meu lanche da noite. Até o meu filho caçula que não era do vivo gostava e comia comigo, de tão boa que é.

Ingredientes
Trigo em grão, sal, orégano, alho, pimentão vermelho, manjericão, couve.

Preparo
Lave o trigo (um punhado por pessoa, é uma sugestão de quantidade) e coloque-o para germinar. Se não souber veja o link no blog.
Não molhe muito o trigo quando ele estiver respirando porque senão a massa fica muito gosmenta.
Passe o trigo no processador (ou na máquina de moer carne) com alho. orégano e sal. Retire do processador, amasse tudo com a mão e forme um rolo como um salsichão. Corte rodelas, nem grossas nem finas e vá abrindo com uma garrafa untada com farinha de aipim desidratado, que a gente encontra na Feirinha da PUC (na falta desta, use farinha de mesa orgânica). Faça as mini pizzas.

Molho
Faça um molho com o pimentão vermelho, sal e alho.

Monte a pizza colocando-a sobre um pedaço de uma folha de couve, o queijinho de amendoim germinado (que você encontra a receita no blog) e por cima, o molho de pimentão com folhas de manjericão para enfeitar. Amorne e coma.

Para amornar eu arranjei uma tela de metal, dobrei as pontas e coloquei em uma panela de barro de modo que ela ficasse suspensa do fundo. Não tendo outra opção acenda o forno, deixe esquentar um pouco, desligue e coloque as pizzas, deixando a porta aberta pois a quentura não pode passar de 40º.

A pizza pode ser feita com aveia em grão germinada, sem casca, que fica mais gostosa ainda.
Nessa pizza da foto eu usei guaca-mole, ao invés do queijinho, e rodelas de cebola roxa para enfeitar.

SALGADAS - Salada de trigo


Dayse Pozato me pediu uma receita com grão de trigo.
Lembrei de uma salada que eu comi há muito tempo, num almoço do Grupo da Unibiótica, preparada pela Cida. Aprendi, passei a fazer mas tem muito tempo que não faço. Taí uma boa pedida!

SALADA DE TRIGO

Ingredientes
2 xícaras de trigo integral em grão, 1 pimentão vermelho picadinho, cebola picada, maçã picada, sal marinho, azeite, cheiro-verde.

Preparo
Lavar o trigo e deixar de molho de uma dia para o outro. No dia seguinte cozinhar por mais ou menos 1h em fogo brando com a água do molho, acrescentar 1 colher café de sal e 3 colheres de sopa de óleo (precisa de mais ou menos 2 litros de água para cozinhar). Apagar o fogo quando o trigo estiver cozido e deixá-lo em repouso por 30min. Escorrer e acrescentar o resto dos ingredientes.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

DICAS - Linhaça

Existe a linhaça marrom e a linhaça dourada.
Como todo vegetal, existem muitas variedades de uma mesma família. Entre a linhaça marrom e a dourada podem existir muitos tons, mas a diferença entre elas é muito pequena quando falamos de ômega-3, que é o quesito onde elas foram mais analisadas e comparadas. As condições de cultivo e a variedade podem alterar a quantidade de pigmento da casca, porém internamente a semente costuma apresentar composições muito próximas. E neste aspecto, ao contrário do que alegam os que comercializam a linhaça dourada (importada do Canadá), existe uma discreta vantagem para a linhaça marrom que é 100% nacional.

Para adultos o consumo diário máximo é de 1 colher de sopa/dia. Para crianças até 12 anos é de 1 colher de sobremesa/dia.
Por que este limite?
Todo vegetal, principalmente as sementes, contêm substâncias de defesa para preservarem a integridade da semente até sua germinação. Para o ser humano estas substâncias passam a ser nocivas quando existir um exagêro no consumo.Trata-se do mágico da natureza, onde bom-senso é benvindo. Por este motivo não se deve consumir qualquer semente em excesso: seja castanha do Pará, de caju, amendoim, de abóbora ou de linhaça.

É possível substituir o óleo ou gordura de uma receita por óleo de linhaça.

Outra substituição interessante é trocar 1 ovo por 3 colheres (sopa) de linhaça, para dar liga ou consistência.
Coloque 3 colheres de sopa de semente de linhaça em ½ copo de água, deixe de molho por 4 horas e adicione na receita em substituição ao ovo. 1/3 xícara (chá) de óleo é equivalente a 1 colher (sopa) de semente de linhaça moída.
Use em panquecas, bolos e bolinhos.

O óleo deve ser armazenado em local fresco e ao abrigo da luz solar para evitar a oxidação e o envelhecimento. Uma forma de aumentar a validade do produto é mantê-lo na geladeira ou acrescentar ervas antioxidantes, como manjericão, orégano, gengibre ou sálvia.

Dica retirada do livro A importância da Linhaça na saúde - Conceição Trucom, editora Alaúde.

segunda-feira, 4 de maio de 2009

SALGADAS - molho com gergelim e tempero com gergelim e linhaça

Hoje eu queria mesmo era postar receitas com farinha e óleo de pequi, que está entrando na Rede este mês, só que não consegui achar nenhuma receita que tivesse um e/ou outro.
Se alguém tiver me mande, por favor.
Resolvi então procurar contemplar o gergelim e a linhaça.


Molho Natural para Saladas com óleo de gergelim

Ingredientes:
01 dente grande de alho esmagado, suco de 03 limões galego (rosa), 01 colher(chá) de sal marinho, 01 maço de hortelã pimenta, somente as folhas, lavadas e esmigalhadas, 01 cebola média picada bem miudinho, 02 colheres de sopa de óleo de oliva puro virgem de primeira prensagem à frio, 01 colher de sopa de óleo de gergelim puro virgem de primeira prensagem à frio.

Preparo:
Misture todos os ingredientes e deixe macerar por mais ou menos uns 30 minutos. Sirva na mesa em uma cumbuca de madeira ou de argila. As pessoas devem molhar as folhas de salada dentro deste molho. De resto, apenas bom apetite...

Receita do blog http://marinaheise.spaces.live.com/



Linhaça

Em geral, a ingestão recomendada de linhaça é de 3 colheres de sobremesa ao dia.

Gerlinsal com fibras – receita saudável de fibras

Muitas pessoas que desejam aumentar o consumo de alimento integrai em suas casas acabam encontrando resistência por parte dos outros membros da família. Uma boa opção é o gerlinsal com fibras, uma mistura de óleos nutricionais com sal marinho, que resulta em uma ótima composição de fibras saudáveis. Todos os ingredientes desta formulação são intergrais e crus.

Ingredientes
100g de semente de gergelim cru com casca, 100g de sementes de linhaça, 1 colher de sopa de sal marinho, 100g de gérmen de trigo cru, 100g de farelo de aveia e/ou de arroz

Preparo
Misture no liquidificador (aos poucos) as sementes e o sal, triture tudo. Coloque numa tigela e misture com o gérmen e os farelos.

Dá para 8 potes (com tampa) de 50g, que devem ser mantidos SEMPRE na geladeira ou no freezer e são válidos de 3 a 6 meses dependendo da forma correta de embalagem e estocagem.
Divida com amigos e parentes.
Use para temperar refogados, ensopados, sopas, cremes, patês, maioneses, purês e saladas.
Use 1 colher (chá) para até quatro pessoas.

Importante: sempre que aumentamos o consumo de fibras, que haja também um aumento da ingestão de frutas, vegetais e água.

Receita retirada do livro A importância da Linhaça na saúde - Conceição Trucom, editora Alaúde.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

SALGADAS - Baru


A partir deste mês teremos na Rede produtos com a castanha de Baru. Como eu nunca tinha ouvido falar, acredito que existam outras pessoas que também não.
Então vou aproveitar alguns dados que nos foram enviados por Luis Carrazza, da Central do Cerrado, através de Bibi, para sabermos um pouquinho mais o que é o Baru.
Também vou abrir uma exceção e postar receitas que nós ainda não experimentamos. Vamos experimentar, já que é algo novo, e aguardar os comentários.

Sobre o baru
O baru é uma árvore de até 25 m de altura encontrada em grande parte do Cerrado, em especial nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Noroeste de Minas. Tem copa densa e arredondada e de coloração verde intensa.
Seu fruto é castanho, e em cada um se esconde uma amêndoa dura. Quando maduros, os frutos caem com facilidade da árvore, devendo ser colhidos ao chão. A castanha do baru é o principal item a ser aproveitado – tem gosto parecido com o do amendoim e alto valor nutricional e energético. No entanto a polpa pode também ser aproveitada para consumo humano ou animal.
Castanha - Deve ser comida preferencialmente torrada (não é recomendado o consumo da castanha crua). Pode ser consumida inteira como aperitivo, com ou sem sal, ou utilizada como um refinado ingrediente para enriquecimento de pratos variados, doces ou salgados. Pode substituir a castanha-de-caju, o amendoim, nozes etc., inclusive em receitas como pé-de-moleque e paçoquinha.
Óleo - é de excelente qualidade, apresentando alto grau de insaturação. Apresenta propriedades medicinais, sendo utilizado por algumas populações como anti-reumático. Pode ser utilizado como veículo para medicamentos, cosméticos e/ou para consumo alimentar.
Polpa - adocicada, pode servir ao consumo humano por meio de sua farinha, na fabricação de bolos, pães, doces ou tomada misturada com leite, por exemplo. Bovinos e suínos também apreciam muito essa polpa, que pode ser utilizada para a produção de uma excelente ração.

Receitas com baru
A castanha de baru além de substituir a castanha de caju, a castanha do Brasil, amendoim, nozes etc. em diversas receitas, pode ser utilizada também em granolas, barras de cereais e acrescidas ao arroz, por exemplo. Seguem algumas receitas, que representam uma parcela ínfima do que a criatividade pode fazer com esta nobre castanha.


Pão de Milho com Baru

Ingredientes:
Massa: 50ml de óleo, 2 ovos, 15g de fermento biológico seco, 10g de sal, 50g de castanha de baru, 80g de açúcar mascavo, 200g de flocos de milho, 500g de farinha de trigo.

Recheio: 200ml de leite, 50g de açúcar refinado, 25g de flocos de milho, 50g de açúcar mascavo, 85g de creme de confeiteiro, 100g de castanha de baru moída.

Cobertura: 20g de manteiga, 25g de flocos de milho, 50g de açúcar mascavo, 50g de castanha de baru moída, 25g de farinha de trigo.

Preparo
Massa: junte os flocos de milho, fermento e 100g de farinha. Adicione o leite e deixe descansar por 30min. Em outro recipiente, misture os ingredientes secos, acrescente o fermento, o óleo e os ovos. Misture até obter uma massa lisa e enxuta. Divida em 6 partes e deixe descansar por 20min.

Recheio: misture todos os ingredientes do recheio. Abra a massa em formato retangular. Coloque o recheio. Enrole a massa como rocambole. Pincele a superfície com ovo batido.

Cobertura: misture todos os ingredientes e passe na massa de pão. Coloque na assadeira e deixe fermentar por 20min. Leve ao forno pré-aquecido a temperatura de 170ºC por 25min.

Fonte: Terra Culinária / Itamar Saraiva Ribas http://www.muitomaisreceitas.com.br/receitas/tortas_paes_e_pizzas/pao_de_milho_com_baru.html

Pesto de Baru
O pesto original, da região da Liguria, Itália, é feito com manjericão, pinoli, grana padano e azeite de oliva extra virgem. Pode ser comido com pão, como molho para massas, saladas e outros pratos

Ingredientes:
50g de castanha de baru torradas e descascadas; 2 maços de manjericão ; 50g de queijo de minas curado ou parmesão ralado ; azeite de oliva extra virgem ; 1 dente de alho; sal.

Preparo
•triture as castanhas de baru no liquidificador.
•lave bem as folhas de manjericão, separando dos cabinhos mais grossos, e coloque no liquidificador.
•adicione 4 colheres de sopa de azeite, o dente de alho picado e bata rapidamente no liquidificador
•coloque junto o queijo ralado, mais azeite e volte a misturar.
•Adicione azeite até conseguir que o liquidificador bata o conteúdo sem muita dificuldade, mas sem deixar muito líquido
•Adicione sal a gosto
•Coloque em um recipiente e guarde na geladeira.

Observações·
O baru é a castanha do Cerrado. Outras castanhas (caju, do Brasil) também podem ser utilizadas, dando resultados diferentes.
·O azeite de oliva é importante para o sabor do molho e deve ser de boa qualidade, de preferência extra virgem. Você pode substituir por outro óleo, mas pode perder um pouco de sabor ou, se for um óleo muito aromático, obter um pesto diferente.
·Este molho é muito aromático, e não precisa ser aquecido. Uma colher de sobremesa é suficiente para cada prato de massa cozida.
·Fica muito bom com pão, em sanduíches.
Experimente suas próprias variações da receita, e me conte os resultados.

(fonte: http://www.alimentoparapensar.com.br/receitas/2006/7/9/pesto-de-baru.html, http://saude.abril.com.br/edicoes/0273/nutricao/conteudo_133922.shtml)

DOCES - Baru


Pé-de-moleque Baru

Ingredientes:
4 xícaras (chá) de castanhas de baru torradas, sem peles e socadas; 1 xícara (chá) de farinha de mandioca passada na peneira; 1 colher (sopa) de manteiga; 1 1/2 rapadura; Cravo

Preparo
Fazer um melado com a rapadura e água e coar. Levar ao fogo e quando estiver no ponto de puxa retirar e bater bem. Acrescentar as castanhas, a manteiga e a farinha. Adicionar cravo e bater mais um pouco. Espalhar farinha em superfície lisa. Despejar o doce e cortar em pedaços, quando estiver açucarado.

Bombom de Baru

Ingredientes:
100 gramas de castanhas de baru torradas e moídas; Leite condensado; ½ colher de sopa de manteiga.

Preparo
Misturar a manteiga a farinha de baru. Adicionar o leite condensado aos poucos até obter o ponto de enrolar. Untar as mãos com manteiga e formar pequenas bolas, colocando-as em vasilha também untada com manteiga.

(fonte: http://www.arrozcompequi.com.br/index.php?menu=12&fruto=1&rec=33)

Para saber mais sobre o baru (bibliografia):
ALMEIDA, Semíramis P.; SILVA, J.A.; RIBEIRO, J.F. Aproveitamento alimentar de frutos nativos do Cerrado: araticum, baru, cagaita e jatobá. Brasília: Embrapa-CPAC. Documentos 26(2):83, 1990.
SANO, Sueli M.; Ribeiro, J.F.; Brito, M.A. 2004. Baru: biologia e uso. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados.
TAKEMOTO, E.; Okada, I.A.; Garbelotti, M.L.; Tavares, M.; Aued-Pimentel, S. 2001. Composição química da semente e do óleo de baru (Dipteryx alata Vog.) nativo do município de Pirenópolis, estado de Goiás. Revista do Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, v.60, n.2, p.113-117.
TOGASHI, M.; Scarbieri, V.C. 1994. Caracterização química parcial do fruto do baru (Dipteryx alata Vog.). Ciencia e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v.14, n.1, p.85-95.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

DICAS - Conservação do Queijo Parmesão



A durabilidade do parmesão vai estar muito ligada ao tipo de maturação (baby, meia cura ou curados), ao tamanho do queijo (forma inteira fechada ou pedaços partidos) e à estação do ano (quantidade de umidade no ar e temperatura ambiente).
Se for um baby, que possui muito umidade na sua massa, a durabilidade é menor. Ao passo que um longa maturação de um ano (LM1) já está bem sequinho, portanto vai ter uma durabilidade bem maior.

Se eles (qualquer tipo) foram para geladeira, vão ter uma conservação mais longa, porém vão secar um pouco e ficarão mais duros.
Se ralados, podem ser congelados (freezer ou congelador) sem perderem suas características originais de sabor e textura por muitos meses, já testei até 12 meses sem problemas. Porém é importante lembrar que uma ou duas horas antes do uso, dependendo da temperatura ambiente (verão ou inverno), deve-se tirá-los para aclimatação, porque teoricamente nenhum queijo fica gostoso gelado!

Se aparecer algum mofo na casca do queijo, é só lavá-lo com água corrente e uma escovinha de nylon. Depois deixar secar ao natural e/ou usar papel toalha. Normalmente só ocorrem mofos superficiais (na casca), porém se o queijo já estiver partido e apresentar alguns buracos (olhaduras) naturais típicas do parmesão, faça um exame mais detalhado se não há alguma infestação interna que precise ser removida e descartada.

Finalmente, podemos arriscar a dizer que de novembro a março (no sudeste brasileiro), teremos uma conservação ao natural mais dificultada por conta do calor e da umidade alta.

No mais sugiro que, ao comprar uma peça ou pedaço de parmesão, decida por ralar uma parte e reservar outra para degustação em lascas, lâminas ou cubos.
E bom apetite!

POR PAULO BITTAR – PRODUTOR FAZENDA BELA VISTA

SALGADAS - Macarrão Integral com Verduras da Guigui

Há anos venho fazendo esse macarrão. É uma receita que me foi ensinada por Guigui, uma amiga que fazia Unibiótica comigo. Gostei tanto, que é uma das minhas receitas favoritas. Como está entrando macarrão na nossa lista de compras, aí vai ela.

Ingredientes:
Macarrão integral, sal, azeite, molho shoyo, óleo
Repolho verde, Repolho roxo, Pimentão vermelho, Pimentão amarelo, Couve chinesa, Cebola, Cheiro verde, Alho poró, Florzinhas de brócolis

Modo de fazer:
Primeiro corte em tamanho maior os pimentões e a cebola e o restante das verduras, menor (eles ficarão quase crus), misture e deixe-os reservados.
Cozinhe o macarrão integral (eu gosto mais do fidelinho bem fininho) ao dente em água, sal e óleo.
Quando estiver cozido coloque o fogo bem baixo, despeje-o no escorredor, retire a água e, sem lavar, volte com ele imediatamente para a panela. Acrescente as verduras picadas, um fio de azeite e outro de molho shoyo, misture, desligue o fogo e sirva logo em seguida.

Vi que, de tudo, o que não pode faltar mesmo é um pimentão. Atualmente, coloco nele outros ingredientes que tenho em casa. Já experimentei adicionar azeitonas, champion, cenouras no ralo grosso, alcaparras...

Invente você também e depois me conte!

sexta-feira, 10 de abril de 2009

DICAS - Banana cozida e monóxido de carbono


Já que coloquei uma receita do Alimento Vivo com banana, aproveito para acrescentar essa dica.
Coma só BANANA e ESPINAFRE e Outras Folhas cruas - Fonte de ácido-oxálico, o mesmo para suas cascas que atualmente estão sendo muito aproveitadas em receitas.

O ácido oxálico (matéria orgânica) é encontrado em alta percentagem nas verduras cruas, nas frutas e ervas como no espinafre, banana e confrei, entre outros.
O cozimento transforma o ácido oxálico em matéria inorgânica que, juntando-se ao cálcio, no organismo, irá formar matéria oxálico-calcárea, ocasionando calcificação. Atingindo os rins, formará neles cálculo renal; nas artérias, arteriosclerose; nas articulações, artrose e, nos músculos, reumatismo.
Da mesma forma que o gelo se derrete, transformando-se em água, o ácido oxálico, como matéria inorgânica, dissolve-se no organismo transformando-se em gás carbônico, água e monóxido de carbono, sendo este último um dos causadores de câncer.
Inversamente, o ácido oxálico, como material orgânico (sem cozimento), revitaliza o estômago, a bexiga, a uretra, a traquéia etc... e, pelo estímulo do peristaltismo propicia a excreção satisfatória das fezes e da urina, rejuvenescendo, assim o corpo inteiro.

Fator importante:

O ácido oxálico, quando matéria orgânica (sem cozimento), transforma-se em vitamina C, no organismo, agindo no contra várias enfermidades provocadas por sua carência, conforme foi dito anteriormente.
Os efeitos biológicos das verduras cruas que contêm ácido oxálico orgânico na prevenção e cura de doenças são:
- aumento da capacidade de imunização do organismo;
- eliminação dos líquidos acumulados no corpo;
- cura de inflamações;
- outros casos - na diabete, úlcera (o repolho tem particular efeito neste caso), distúrbios do sistema nervoso, epilepsia, problemas oftálmicos e auditivos, as verduras cruas também atuam eficazmente.

Fonte: ABC da Saúde vol. I, do Dr. Jong Suk Yum, médico coreano, criador da Unibiótica.

ALIMENTO VIVO - Cãojica e Ovos de Páscoa

Semana Santa pede canjica, então vou aproveitar e brindar-lhes com uma receita de AMORNADO.



CÃOJICA
Bata no liquidificador: banana d’água bem madura, com um pouco de cravo e canela em pó e raspa de limão. Coloque na panela de barro e acrescente banana prata cortada em cubinhos e/ou coco seco e/ou amendoim germinado (para imitar os grãos de milho).
Amorne, usando fogo baixo, mexendo com a mão e enquanto ela aguentar (o que significa + ou - 45º).
Sirva em tigelinhas, colocando por cima uma farofa de castanha do Pará e amendoim germinados (bate-se no processador) e/ou coco ralado.

Sou grata a Gesine, de caipira, que me serviu essa delícia na Feirinha do Alimento Vivo da PUC.


Lembrei também do OVO DE PÁSCOA.
Se você quiser ovo pequeno, pode usar uva como recheio e se quiser maior, pera.
Vamos usar a massa dos DOCINHOS VIVOS para a parte externa.
Você também pode partir a pera ao meio, retirar os caroços e colocar um pouco da massa como recheio ou outro recheio a gosto.

RECEITA BÁSICA DA MASSA DE DOCINHO
Ameixas secas, sem coroço, hidratadas*, amendoim germinado, castanha do Pará germinada, pitada de sal, passados no processador.
Pegar a uva ou a pera, envolvê-las com essa massa e embrulhar com papel celofane.

VARIAÇÕES DA MASSA
Você pode acrescentar:
- passas brancas e/ou pretas (dependendo se quer uma massa mais escura ou mais clara, ovo branco ou preto), tâmaras (vai adocicar mais e escurecer), damascos (clareia). Todos hidratados.
- nozes, amêndoas, avelãs germinados.
- Cravo e/ou canela em pó.

Também sou grata a Ana Freitas que nos presenteou em esta delícia lá no BIOCHIP (PUC).

Obs: A castanha do Pará totalmente crua é a com casca, a outra passa por um processo de aquecimento para retirar a casca.

*Lave bem as frutas secas (ameixa etc), deixe-as de molho um tempo (+ ou - 30min), escorra em uma peneira, despreze a água, lave-as novamente e deixe secar um pouco para a massa do docinho não ficar muito molengo.

Boa Páscoa para todos!