terça-feira, 2 de novembro de 2010

DOCES - Bolo de casca de abóbora


Pessoal,
O Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Município do Rio de Janeiro (CONSEA-Rio)
e a Prefeitura do Rio promoveram a Semana da Alimentação Carioca – 2010 “Unidos contra a
Fome – Esta luta é de todos nós” em celebração a Semana Mundial de Alimentação - 2010
“Unidos contra a Fome” (tema definido pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura
e a Alimentação - FAO), de 11 a 17 de outubro, realizando vários eventos no compromisso
com a Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), com o Direito Humano a Alimentação Adequada
(DHAA) e visando contribuir com a divulgação do conceito de alimentação adequada e saudável.

Esta receita foi dada por um grupo do SESI, na Praça da Segurança Alimentar, que aconteceu dia 14/10/10, das 9:00 as 16:00, na Cinelândia. A Rede Ecológica esteve, junto com a ABIO, PACS e a Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico Solidário, em uma das barracas, que se dedica ao tema Aquisição do Alimento.

BOLO DE CASCA DE ABÓBORA

Ingredientes
1 e ½ xícara de farinha de trigo
2 xicaras de açúcar
¾ de xícara de maizena
2 ovos
1 xicara de óleo
2 xicaras de casca de abobora picada
1 colher de sopa de fermento

Preparo
Bater no liquidificador as cascas + óleo + ovos.
A parte misture farinha, maisena, açúcar e fermento.
Junte os liquidos com os secos e bata tudo.
Coloque em assadeira media untada, assar em forno médio.

Cobertura
2 colheres de sopa de leite
4 colheres de sopa de chocolate
4 colheres de sopa de açúcar
Cozinhe até ferver.
Depois do bolo assado coloque a cobertura.

domingo, 19 de setembro de 2010

SALGADAS: Macarrão com molho de beringela com manjericão



Estou radiante!
Encontrei outra forma de gostar de beringela sem ser aquela salada que já postei aqui no blog!
Outro dia, assistindo o programa da Angélica, que sempre vejo pois gosto das receitas, passou essa.

Pelos ingredientes, achei que poderia ser tragável e hoje, quando experimentei, ainda meio com o pé atrás, me surpreendi porque achei muuuito boa!
Fizemos aqui em casa com o macarrão comum para todos, com o integral pra mim e ficou bom com os dois.

MACARRÃO COM MOLHO DE BERINJELA COM MANJERICÃO

Quinhentos gramas de espaguete cozido “al dente”.

MOLHO DE BERINJELA COM MANJERICÃO

Ingredientes
- Meia xícara de chá de folhas de manjericão
- Meia xícara de chá de azeite de oliva
- Uma colher de sopa de queijo parmesão ralado
- Duas colheres de sopa de cebola picadinha
- Dois dentes de alho picadinho
- Duas colheres de sopa de óleo
- Duas berinjelas cortadas em cubos
- Sal a gosto
- Dois tomates sem pele e sem sementes, cortados em cubos
- Cento e cinquenta gramas de queijo mussarela cortado em cubos

Preparo
- Bata no liquidificador o manjericão com o azeite de oliva e o parmesão. Depois, deixe a
mistura reservada num vasilhame.
- Doure a cebola e o alho no óleo. Em seguida, junte a berinjela, ponha sal a gosto e deixe
refogar.
- Quando a berinjela estiver no ponto, separe-a do refogado com uma escumadeira. Em seguida,
refogue rapidamente o tomate com um pouco de sal.
- Com o tomate devidamente refogado, junte a berinjela, a mussarela e o espaguete. Mexa com
cuidado até o queijo derreter.
- Quando estiver pronto, passe tudo para uma travessa e misture com o manjericão batido.

OBS: ao invés de tirar a beringela para refogar o tomate, fizemos o refogado na frigideira e jogamos na beringela. Acrescentamos também um pouco de molho de tomate.

RECEITA DE ELIZÂNGELA NO ESTRELAS
Se quiser pode ver a receita sendo preparada, entre no blog
http://estrelas.globo.com/programa/category/receitas

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

DICAS - Reaproveitamento de Garrafas PET

Recebi uma quantidade enorme de e-mails com esta dica.
Acho que é uma boa ideia!
No entanto, acho que devemos também observar o alerta muito importante de Julia do Núcleo de Botafogo:

"Adorei a dica, mas estou meio dividida com estas dicas em geral:
Por um lado acho o máximo reaproveitar tudo que não podemos evitar. Por exemplo, os saquinhos dos grãos/gergelim/trigo etc. que sobram dos secos - que a gente usa para levar sanduíches quando cada grama importa e/ou não se tem espaço para potinhos na mochila. Também acho ótimo e muito pertinente que a Joana reutilize garrafas PET para os produtos dela de limpeza. Sempre fico com a dúvida se todas essas dicas de reaproveitamento de garrafas PET não podem servir como desculpa para não evitar o uso delas. Tem virado material de arte ou
brinquedo para crianças e, sinceramente, não sei se serve para isso. Pelo que eu saiba as
substâncias que fazem elas molinhas são absolutamente ruins para nosso organismo.
A gente tem de evitá-las.
Se colocar isso no blog ou em qualquer outro meio de comunicação, eu aconselho reservar
uma parte para incentivar o não-uso e deixar claro que o reaproveitamento deve se aplicar aos
vasilhames inevitáveis...
Abraços, Julia."

LEMBRAMOS QUE É IMPORTANTE OBSERVARMOS OS 3 R's E QUE, MAIS IMPORTANTE QUE RECICLAR E REUTILIZAR, É REDUZIR, REDUZIR, REDUZIR!...

REAPROVEITAMENTO DE GARRAFAS PET

Corte logo abaixo do gargalo.









Pode usar nas embalagens de alimentos e também aquelas embalagens que vc quer reaproveitar
para guardar uma outra coisa qualquer.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

SALGADAS - Salada de Chicórea com Laranja



Uma coisa muito simples, que está virando uma paixão aqui em casa por mim e meu filho é a salada de chicórIa com laranja.
Agora que está vindo a chicórIa frisé está melhor ainda!
Comi na escola onde trabalho e adorei.
A laranja suavisa o amargo da chicórIa e a chicórIa suavisa o azedo da laranja. Perfeito!



SALADA DE CHICÓRIA COM LARANJA
Ingredientes
chicórea
laranja
tempero a gosto

Preparo
Cortar a chicórea, descacar a laranja fazendo "feridas", picar, misturar, temperar e se deliciar!

domingo, 25 de julho de 2010

DICAS - Farelo de Arroz

COMO CONSUMIR FARELO

Rodrigo gostaria de saber se alguém já perguntou ou se foi postado algo para ser feito com o farelo torrado de arroz.
Ele é usado também na multimistura e no dia 26 de julho de 2009 eu postei algo sobre esse assunto aqui.

http://ecosdarede-receitasecologicas.blogspot.com/2009/07/receitas-com-dicas-de-aproveitamente-de.html

No livro Sugar Blues, de William Dufty (quem não leu vale a pena ler), existe a seguinte passagem. “Quando a introdução do arroz branco no Japão foi acompanhada pelas explosões de beribéri, logo as pessoas comuns compreenderam qual seria a solução. Os hábitos tradicionais, felizmente ainda frescos em suas memórias, diziam que retornassem ao antiquado arroz integral. Quando seguiam essa ideia, tudo saía bem. Comendo arroz integral, tornavam-se novamente sadios, seres humanos integrais.”

Não é um contra censo? Pega-se o arroz, tira-se a casca dele e, conseqüentemente suas vitaminas, come-se um arroz pobre e compra-se o farelo que lhe foi retirado. Gasto dobrado de mão de obra para descascá-lo, torrá-lo, ensacá-lo e de seu dinheiro pois está pagando duas vezes pelo mesmo produto.

Eu penso que arroz e todo o resto é para ser comido integral. Fazendo isso não se precisa consumir o farelo. A não ser que você esteja com algum problema de saúde e precise comer o farelo em quantidade maior para acelerar sua recuperação. Agora, se você come o arroz branco, então coloque farelo na sua refeição para complementar.

O farelo, após adquirido, deve ser imediatamente preparado (torrado). O que compramos na Rede já vem torrado.
Deve ser sempre novo, sem cheiro de ranço ou de mofo e guardado em vasilhas bem fechadas.
A quantidade recomendada diariamente para a obtenção dos benefícios está em torno de 60 gramas, quantidade equivalente a quatro colheres de sopa do produto.
O farelo pode ser acrescentado a vários pratos, como feijão, tortas, ensopados, vitaminas, molhos e pães, já que seu sabor não é acentuado.
Eu já usei em farofas e granola.

Consulta: http://www.cnpaf.embrapa.br/publicacao/folhetos/arroz_farelo.pdf

domingo, 18 de julho de 2010

SALGADAS - Couve de Bruxelas na Manteiga

Essa semana entrou na Rede a Couve de Bruxelas.

Não imaginava como era o pé e fiquei encantada quando vi as fotos!
Olha que lindo que é, gente!
Lembra pequenos repolhos e por isso, também é chamada de repolhinho. Crescem em grupos de 20-40 unidades no caule de uma planta com cerca de 60 cm de altura. É da mesma família dos brócolos e das couves.
A origem da couve de bruxelas ainda é desconhecida mas pensa-se ser nativa da Bélgica, em especial da região próxima de Bruxelas, que lhe dá o nome. Permaneceu uma cultura daquela área até que a sua utilização se espalhou pela Europa durante a I Guerra Mundial.

Eu acabei não comprando porque confundi com couve de rábano.
Quando cheguei na entrega e vi, me arrependi. Nunca comprei, nunca fiz e seria uma boa oportunidade para aprender.
Renata mostrou-se uma grande conhecedora, então pedi que me mandasse receitas para colocar no blog.
Estava eu, tristinha em relação a isso, quando acabou a entrega e vimos que alguém havia esquecido um pacote. Me enchi de alegria e vim pra casa toda boba!
Quando abri meus emails tinha um de Renata dizendo que havia esquecido um pacotinho de couve de bruxelas no núcleo. Aí, murchei! Disse que ela poderia vir pegar pois estava comigo.
Ela me mandou a seguinte resposta: “Muito obrigada, era destino que você pudesse experimentar... Depois vou escrever tudo que sei para o seu blog, um abraço."

Maravilha! Obrigada, Renata!

Ela me passou a seguinte receita.


COUVE DE BRUXELAS NA MANTEIGA

Ingredientes
Couve de Bruxelas
Água
Sal
Manteiga
Salsa

Preparo
Pode cozinhar assim: joga na água salgada fervente, cozinha dez minutos sem tampa. Tira da água, passa para uma panelinha ou frigideira com manteiga, mexendo 5 minutos com cuidado (são delicados!). Desligue o fogo, jogue poucos pedacinhos de manteiga e salsa picadinha por cima.
SÃO DELICIOSOS!

Vou ficar aguardando mais receitas para passar para vocês!

OBSERVAÇÃO ENVIADA POR DANIELE
Estudando meu livro de botânica, descobri que a couve, a couve-de-bruxelas, o brócolis, o nabo, o repolho e a couve-flor são todas simplesmente a mesma espécie: Brassica oleracea!! Apesar delas parecerem bem diferentes, a planta ancestral deveria parecer-se com a couve, mas aí foi realizada uma seleção artificial, para cada variedade desenvolver melhor uma parte da planta... Eu achei isso suuuper incrível!! heheh... tá... pode ser pelo fato de eu ser botânica e apaixonada pelas plantas... mas no mínimo é interessante, não?
Rss
Um bjo, Dani.

Achei muito interessante mesmo, Dani, até porque quando pesquisei na internet fiquei meio indignada de não encontrar que ela era da família do repolho! Está explicado agora!
Obrigada e bjs.

domingo, 11 de julho de 2010

DICAS - Para amadurecer banana

DICA PARA AMADURECER BANANA

Dayse mandou a seguinte mensagem para o grupo.

"Olá, tenho comprado banana prata e ela tem vindo sempre verde. Até aí tudo bem, mas tem demorado em geral, uma semana para amadurecer. Até aí, tudo bem também.
Sábado passado comprei uma dúzia de bananas e até hoje não amadureceu (7 dias).
O pior é que estão duras, tipo pedra, não tem a menor cara de que vão amadurecer. Estão até ficando pretas na casca e nem sombra de amadurecer. Estão pequenas e já me perguntei se não estão sendo tiradas muito cedo do pé.
Sou leiga, posso estar falando bobagem.
Estou com uma dúzia de bananas que até agora não deram sinal de que vão poder ser comidas."

Brígida mandou a seguinte resposta.

"Também tive o mesmo problema. Então, na quinta-feira, na reunião foi da comissão organizadora do II Encontro Estadual de Agroecologia, conversando com Rui, agricultor da COOPAGÉ-MAGÉ, que faz parte da Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro, ele me disse que provavelmente o cacho está sendo tirado do pé muito cedo, mas me deu uma dica.

DICA
Embrulhar em jornal, juntamente com uma banana bem madura. Parece que o contato com ela acarreta uma aceleração do amadurecimento. Fiz isso na sexta-feira e hoje (sábado), às 18h 30min ela estava começando amarelar."


Às 23h Brígida me manda a seguinte mensagem: "Agora mesmo fui dar uma olhada na banana e já está amarelinha... e quinta feira ela estava verde e dura... eita... funciona mesmo... rs"

Explicações técnicas de Cristina, de Seropédica.
"A banana tem o amadurecimento promovido pelo acetileno.
Na produção convencional, usa-se carbureto para gerar acetileno (uma pedrinha de carbureto na água, forma o gás) e acelerar o amadurecimento dos cachos. Na agricultura orgânica não pode ser usado carbureto.
A banana madura libera acetileno. Por isso embrulhar, ensacar ou fechar em uma caixa as bananas verdes junto com uma banana bem madura, acelera o amadurecimento das verdes.
Agora, quando o cacho é tirado muito verde, as bananas ficam cascudas, com pouca polpa dentro e pouco doces e saborosas.
É que não deu nem tempo de acumular os nutrientes e o açúcar da banana, nem deu para desenvolver o fruto completamente."

domingo, 27 de junho de 2010

SALGADAS - Pastinha de Tofu com Ervas

No dia da Feirinha da VI Semana dos Orgânicos, Paula levou para nós uma pastinha de tofu deliciosa!
Eu lhe disse que estava querendo colocar no blog a receita da pastinha mas gostaria que ela me contasse a historinha dela.
Aí vai a resposta:
- Oi rosangela, não tem história... :'(
O que você quer saber exatamente?
Eu:
- Não acredito! Toda receita tem uma historinha!
Ela:
- Inventei!
Posso dizer que o limão galego fica bom com tudo!
Eu aprendi a comer abacate porque amassei ele com limão galego... acho que pensei nisso na hora que fiz a receita... Do tipo, "se fica bom com abacate fica bom com tofu :)", porque, na minha opinião, nenhum dos dois tem paladar forte....
As ervas e o azeite são os clássicos de pastinhas, fica gostoso, é saudável e não tem erro... O tempero da APAT eu coloquei porque tem alho, cebola e sal... Fica gostoso, é orgânico e não dá trabalho!

Vamos à receita:

PASTINHA DE TOFU COM ERVAS


Ingredientes
300g de tofu
dois punhados - o equivalente a duas mãos fechadas - de cebolinha, salsa e coentro picadinhos
duas colheres de chá - tempero pronto APAT - alho, cebola e sal
1 limão galego - suco - grande
azeite a gosto
Conforme o paladar pode acrescentar mais sal e mais limão.

Preparo
Bater tudo no liquidificador.

domingo, 6 de junho de 2010

SALGADAS - Vagem em Conserva e Bolinho de Vagem

Essa semana, na Rede, recebemos legumes e verduras de uma beleza sem par.
Vou dar destaque especial hoje a vagem francesa divina, vinda de São José do Vale do Rio Preto.
Peguei o papo de Dayse com Patti (com seu portunglês, só dei um pequeno toque) e posto aqui para vocês.
Dayse:
- "As verduras estavam mesmo muito lindas. A vagem, uma coisa!! Espero que eu saiba prepará-la bem."
Patti:
- "O jeito que eu faço vagem é isto (eu cozinho muito simples; com certeza outras pessoas saberão outras maneiras):
Lavo rapidinho, não cortou nada (para que os nutrientes não passam por fora quando estão cozinhando), os colocou em muito poquito água que já está fervendo (ou seja, cozinho ao vapor sem ter um vaporeira) e ficou de olho, checando frequentemente, pois é fácil passar o ponto que eu gosto, na qual os vargem ainda são este color verde forte e mole, mas não muito mole.
Após de cozinhado, retiro eles imediatemente da panela, escorregou a água (tomo a água também).
Eu geralmente como elas frias, então deixou elas esfriar e somente então retiro aquele ponto onde estavam ligadas à planta (não sei como se chama), mas somente este ponto, não o outro.
Aí corto o vargem, colocou elas num recepiente de vidro com um pouco de vinagre de macã e semente de endro (opcional, mas gostoso) e deixou na geladeira para comer assim mesmo, como salada, ou para colocar em um salada de folhas.2 observações:
1) Para que o vapor chega a todos os vargem, eu colocou elas assim: a segunda camada perpendicular à primeira camada, a terceira igual a primeira, etc. Mas provavelmente se você usa panelas de maior tamanho que as minhas, ou uma vaporiera, isto não serie necessária.
2) Sobre as sementes de endro: é aconselhável deixar sementes (todas elas) em molho para umas horas antes de comer elas, para que certas enzimas saem. Sempre pode secar elas depois."

Questionei Patrícia por não ter me enviado a receita para o blog e estar escondendo o ouro e ela me mandou a seguinte resposta: "Quanto a escondendo ouro, desculpe, mas eu cozinho tão, mas tão simplezinho, que nunca considerei que algo minha poderia se considerar uma receita! rs rs"

Valeu, Patti!!! Pode me mandar várias dessas, que eu adoro!!!
Vou experimentar com as vagens que comprei! Deve ficar uma delícia!

Aproveito para colocar a minha receita, muito apreciada aqui em casa, que é o bolinho de vagem.
Sempre que faço vagem refogada, já existe uma segunda intenção: sobrar para virar bolinho.

BOLINHO DE VAGEM

Ingredientes
sobra de vagem refogada, precisa ter um caldinho (há quem faça com ela cozida só na água e sal mas eu acho que assim fica mais saboroso)
1 ovo
farinha de trigo
fermento
sal, se precisar apurar

Preparo
Coloque a gema (às vezes coloco o ovo inteiro), o fermento e um pouco de farinha de trigo na vagem, a quantidade de farinha vai depender da quantidade da vagem, precisa ficar um creme nem muito duro nem muito mole. Misture e apure o sal, se precisar. Bata a clara e misture. Pegue às colheradas e frite ou coloque em uma assadeira untada e leve ao forno médio para assar.

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, TALOS E OUTROS - Folhas de Cenoura

As cenouras ontem estavam lindas e suas ramas também!
O papo rolou então, no núcleo, sobre o que poderíamos fazer com as folhas.
Christian queria receita.
Jil e Ana disseram que faziam uma torta.
Eu, pego as folhas mais trenrinhas e como na salada, não muitas porque elas amargam. Para quem gosta de coisa amarga é uma boa pedida!
Mandei um email pedindo a receita da torta e Jil, nossa nova produtora de Pão Árabe orgânico, me enviou a resposta:
"Segue além da torta outras receitas que faço com as folhas. bjs, Jil"

TORTA DE FOLHAS

Ingredientes
1 xícara de farinha de trigo
½ xícara de farinha integral
2 xícaras de água
1 xícara de óleo ou manteiga
3 ovos
1 colher de fermento sal
1 cebola picada
folhas de um molho de cenouras
2 tomates
2 dentes de alho
1 pimentão (cortaria também)

Preparo
Refogue a cebola, junte as folhas cozidas e picadas, acrescente uma pitada de sal e orégano. Reserve.
Em uma tigela, junte os ovos, a água, o óleo ou manteiga, a farinha de trigo, a farinha integral, uma colher de sobremesa de sal e o fermento e bata.
Junte ao refogado das folhas, o pimentão, o tomate e o alho bem picados e crus. Acrescente a massa esta mistura.
Despeje a massa em forma untada e asse em forno pré aquecido.

PATÊ DE FOLHAS DE CENOURA

Ingredientes
2 colheres/sopa de azeite
1 dente de alho picado
2 ramos de cenoura lavados e picados
2 xícaras de ricota
Sal a gosto
Suco de 1 limão
1/2 colher/café de curry ou orégano

Preparo
Refogue as folhas da cenoura bem picadas com azeite e o alho. Deixe cozinhar abafada por alguns minutos. Bata no liquidificador, a ricota, o sal, o limão e o curry ou orégano. Adicione as folhas de cenoura refogadas e bata até formar uma pasta lisa. Coloque em um pote de vidro tampado.

OBS: Se alguém experimentar substituindo a ricota por tofu, me diga o que acharam.

SUFLÊ DE FOLHAS

Ingredientes
2 ramas de folhas cozidas e picadas *
2 colheres de manteiga
2 colheres de trigo
1 xícara de leite
2 ovos inteiros
1 colher de fermento em pó
Sal a gosto

Preparo
Faça um molho branco: derreta a manteiga, junte o trigo e doure, acrescente o leite, sempre mexendo para não empelotar.
Deixe esfriar e acrescente as gemas. Misture com as folhas e junte o fermento e o sal. Bata as claras em neve e misture-as delicadamente. Coloque em pirex untado e enfarinhado e leve ao forno quente até dourar.

*Podem ser usadas folhas de cenoura, couve-flor, brócoli, rabanete ou nabo, entre outros.

SOPA DE TALOS OU FOLHAS

Ingredientes
1 xícara (chá) de talos ou folhas bem lavadas
2 batatas picadas
1 cenoura picada
1 ½ litro de água
temperos e sal à gosto

Preparo
Pique bem os talos e bata com um pouco de água no liqüidificador. Coloque em uma panela acrescentando o restante dos ingredientes. Leve ao fogo para cozinhar até que os legumes estejam macios.
(Use talos de acelga, couve ou agrião ou folhas de beterraba, cenoura e rabanete).


TORTA DE BATATA COM FOLHAS DE CENOURA
Massa

Ingredientes
5 batatas cozidas
1 xícara de farinha de trigo
2 colheres/sopa de manteiga
Leite para dar ponto *
2 colheres/sopa de queijo parmesão

Recheio
Refogue as folhas da cenoura picadas com alho, cebola, pimentão e orégano. Reserve.

Preparo
Coloque no liquidificador as batatas cortadas junto com todos os ingredientes. Bata até a massa ficar com o ponto de massa de panqueca.
Unte uma forma e enfarinhe, coloque um pouco de massa, o recheio e cubra com o restante da massa. Leve ao forno pré-aquecido. Deixe assar até que doure.

*Se não quiser usar leite na massa substitua pelo caldo do cozimento da cenoura. A batata pode ser substituída por aipim ou inhame.

Acrescento aqui algumas receitas que já tinha pesquisado na Internet antes de Jil me mandar a resposta.

BOLINHOS DE FOLHA DE CENOURA 1
Ingredientes
2 ovos
6 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 e 1/2 xícara (chá de folhas de cenoura lavadas e picadas)

Preparo
Misture todos os ingredientes numa tigela e frite às colheradas em gordura quente.
Rendimento: 10 bolinhos

BOLINHOS DE FOLHA DE CENOURA 2

Ingredientes
1/2 maço de folhas (com os talos) de cenoura (ou +/- 3 ramas), picadas
1/2 cebola (pequena) picada
1 ovo
1 xícara (chá) de leite
+/- 1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (chá) de shoyu
1 colher (sopa) de queijo parmesão ralado
Sal e pimenta a gosto
1 colher (chá) de fermento em pó
Óleo para fritar

Preparo
Misture os ingredientes da massa (ovo, leite, temperos, queijo). Adicione a farinha aos poucos, a consistência tem que ficar como de bolinho de chuva (espessa, mas não muito dura). Adicione o fermento em pó e mexa bem. Junte por último as folhas picadas e a cebola. Cuidado ao fritar, o óleo não pode estar muito quente, pois o meio do bolinho pode ficar cru e queimado por fora. Coloque poucos por vez e tente fazer com um tamanho não muito grande (use uma colher de sobremesa, pingando a massa sobre o óleo) para que fritem de forma homogênea, dando tempo da massa cozinhar por dentro e dourar levemente por fora. Escorra sobre papel absorvente e sirva a seguir.

FAROFA DE FOLHA DE CENOURA
Ingredientes
folhas de cenoura
farinha de mandioca ou de milho
cebola e tempero que preferir
sal

Preparo
Corte as folhas em pedacinhos, refogue a cebola e outros temperos em azeite ou óleo, acrescente as folhas de cenoura refogue rapidamente 1 ou 2 min, acrescente a farinha e um pouco de sal.
Pronto! Coma com feijão ou o que preferir.
ps.Essa receita é legal pois aproveita uma parte da cenoura que geralmente as pessoas jogam fora, que são as folhas.
As folhas da cenoura podem ser usadas em diversas receitas, elas ficam ótimas para colocar junto com os bolinhos de arroz também.

OBS: Tudo eu vou fazer diminuindo a quantidade de ovos para um, cortando o tomate e o pimentão. Depois colocarei aqui pra vocês, dizendo como ficou.

Fonte
http://cozinhamagia.blogspot.com/
http://semvergonha.birosca.org/
http://www.funasa.gov.br/internet/arquivos/biblioteca/potReceitasDmaria.pdf
www.apoema.com.br (Associação Projeto Apoema - Educação Ambiental)
Nestes dois últimos sites você encontra muitas receitas com reaproveitamento.

Humm! Não vejo a hora de experimentar!

domingo, 30 de maio de 2010

DOCES - Bolo de Fubá com banana


Esse é o bolo que Ana, Chistian e Clara ofereceram para degustação na nossa feirinha em comemoração à VI Semana do Orgânico em Niterói.
Ana nos conta: "Essa receita eu consegui em São Bento do Sapucaí/SP com uma senhora,
merendeira de uma escola - moradora tradicional da cidade, que passou a receita para minha mãe. Na receita original usava-se 2 copos de açúcar branco e 4 ovos ("prá engordá a moçada e dá sustância pra trabaiá"). Mas como hoje em dia a rotina diária não é mesma e sabemos todos os efeitos dos agrotóxicos e do açúcar para o nosso organismo, troca-se o açúcar branco pelo mascavo e, de preferência, pelo orgânico, assim como o fubá orgânico e ovos caipira (apesar do fubá ainda ser feito na própria roça nas cidades do interior). Também aproveita-se as bananas quando todas amadurecem ao mesmo tempo.
Com o tempo, foi feita uma adaptação da receita tradicional pela minha mãe e posteriormente por mim!

BOLO DE FUBÁ COM BANANA

Ingredientes
2 copos (americano) de fubá orgânico
1 copo e meio de açúcar mascavo orgânico
2 copos de leite integral
1/2 copo de óleo
3 ovos caipira
1 colher de sopa de fermento
canela em pó

Preparo
Numa panela despeje o fubá, o açúcar, o leite e o óleo. Cozinhe em fogo baixo até soltar do fundo da panela (como um mingau). Deixe esfriar.
Bata claras em neve e depois acrescente à elas as gemas. Acrescente as claras ao mingau já frio.
Coloque uma pitada de canela e depois o fermento. Corte bananas em fatias bem finas e decore o bolo acrescentanto mais canela. Asse por mais ou menos meia hora.

Observação minha: Se for fazer essa receita com constância sugiro usar maçã ao invés de banana. Se quiser saber porque vá em dicas, lá tem algo sobre bananas e espinafre cozidos.

terça-feira, 25 de maio de 2010

DICAS - Aipim

AIPIM
Vi reclamações sobre aipim.
Saibam que aipim tem época e como dizia minha avó:
Aipim bom só em mês que não tem erre!!! Ou seja, maio, junho, julho, agosto. Nos outros meses será sempre aipim aguado.
Toma sabedoria popular!
Abraços, Cristina (Produtora de Seropédica).

Dario, do Núcleo de Vila Isabel, acrescenta que em último caso, se ele estiver duro demais, é só botar pra congelar e depois cozinhar.

Dona Jurema, do sítio de Itaboraí que visitamos, também nos disse que, ao colher a mandioca, se ela for jogada, fica ruim.

Pra mim, esse aipim da foto é o que acho bom.

Acrescentei outras informações que encontrei na Internet.
As melhores mandiocas para consumo devem ser as médias, com uns 3 cm de diâmetro. As finas são difíceis de manuseio.
Ao descascarem uma dessas finas, não sobrará muito depois.
Para saberem se a mandioca está velha, podre, até mesmo mofada, cortem ao meio. Nem que seja na pontinha. Se estiver tudo branquinho, sem nenhum ponto escuro, deve estar boa.
Só que, mesmo assim, quando a gente leva pra casa a mandioca, aí é que vamos descobrir como ela é no seu intimo.
Desta forma, procurem sempre ter mais mandiocas do que o que é necessário para suas necessidades. Pelo menos, umas três ou quatro.
O período de safra da mandioca vai de janeiro a julho.
Para você saber se a mandioca é boa, na hora da compra espete-a com a unha, se ela furar sem dificuldade, sinal que é boa.
A mandioca é de origem brasileira e desde quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil a mandioca já era apreciada pelos índios que viviam por aqui.
Sendo originária do Nordeste e das regiões centrais do país, o Brasil é o maior produtor mundial da mandioca.

LENDA DO MANDI
Conta-se que um casal de índios esperou muito tempo a chegada de uma filha mulher.
Quando a menina nasceu, deram-lhe o nome de Mandi, que significa “Branca” , por ter nascido com a pele muito clara.
Um dia, ela ficou muito doente e morreu, apesar de tentarem tudo para salvá-la. Seus pais resolveram enterrá-la no centro de uma oca para que pudessem estar sempre perto de seu corpo. Choraram tanto sobre o túmulo da menina que nasceu ali uma planta. Sua raiz era clara como a pele da Mandi, então eles batizaram a planta de mandioca.

Fonte: http://ultrapassandobarreiras.blogspot.com/

Hoje lendo o comentário de Dila falando sobre a macaxeira que dá boa em Maceió o ano todo, lembrei da música de Djavan, que gosto muito, Farinha. Me deu vontade de ouvi-la, cantá-la e fiquei com vontade de tê-la aqui no blog para o meu deleite e de todos que gostam da música e do autor. Vamos ver se isso dá certo.

Para quem quiser cantar aí vai a letra da música.

Farinha (Djavan)
A farinha é feita de uma planta da família das
euforbiáceas, euforbiáceas
de nome manihot utlíssima que um tio meu apelidou de macaxeira
e foi aí que todo mundo achou melhor!...
a farinha tá no sangue do nordestino
eu já sei desde menino o que ela pode dar
e tem da grossa, tem da fina se não tem da quebradinha
vou na vizinha pegar pra fazer pirão ou mingau
farinha com feijão é animal!
o cabra que não tem eira nem beira
lá no fundo do quintal tem um pé de macaxeira
a macaxeira é popular é macaxeira pr`ali, macaxeira pra cá
e em tudo que é farinhada a macaxeira tá
você não sabe o que é farinha boa
Farinha é a que a mãe me manda lá de Alagoas


video

domingo, 23 de maio de 2010

SALGADAS - Palmito in natura

Recebi a notícia de que teríamos o palmito da Coopagé na Rede e pensei que era palmito em conserva.
Quando descobri que era o in natura, gelei!
Quer dizer então que eu teria que pegar aquela haste, descascar, cozinhar etc...
Ai! Só de pensar já desanimava!
Fui procurar receitas para prepará-lo, pois nunca havia comido nem visto ninguém preparar.
Descobri que, com casca, dizem que ele vem em tolete.
O palmito, que por definição, é uma folha que não se desenvolveu por completo, tem um processo delicado de crescimento: fica enrolado dentro do caule da palmeira, em camadas, até que a natureza o faça emergir.
Ao contrário das palmeiras juçara e açaí, a vantagem da pupunheira é que, depois de extraído o palmito, a pupunheira se regenera e brota novamente, em processo semelhante ao de bananeiras.
Com isso, ganha força a cultura da pupunheira como opção de fornecimento de palmito sem que se tenha que por abaixo a palmeira.

Sábado, na Feira em comemoração a VI Semana do Alimento Orgânico, no Núcleo de Niterói, provei o palmito cru que veio da Coopagé (já descascado, para minha alegria) e achei muito gostoso. Hoje (terça-feira) comi cru na salda e preparei um pouco cozido, como manda a receita. Deixei cozinhar por 30 minutos. Achei que ficou muito bom. Coloquei um pouco de sal e limão a mais, então acrescentei um pouco mais de água ao caldo que restou, coloquei em um vidro e levei à geladeira.




PALMITO IN NATURA

Processo para o palmito in natura conservar-se por 3 semanas ou mais em geladeira e aproximar-se do paladar tradicional da conserva.

Ingredientes
água (um pouco menos de 1 litro)
300g de palmito
vinagre ou limão
sal

Preparo
Use mais ou menos 1 litro de água (para 300g), adicionando limão até sentir seu gosto na água. Coloque sal e ferva até ficar macio ao toque do garfo. Espere esfriar e leve à geladeira com a água da fervura. Servir, de preferência gelado.
Obs.: o limão pode ser substituído pelo vinagre

Receita adaptada de http://www.palmitock.com/

SALGADAS - Palmito in natura Cru Desfiado, Palmito na Braza e Palmito assado

PALMITO IN NATURA CRU DESFIADO
Ingredientes
palmito
água
limão
azeite
salsinha
sal

Preparo
Passe o palmito num ralador de batata palha no sentido do comprimento, para obter um aspecto desfiado.
Mergulhe por 20 min em água com leve sabor de limão. Escorra e adicione azeite de oliva e salsinha picada.
Sal a gosto.

Fonte: http://www.palmitock.com/

PALMITO NA BRASA
Ingredientes
1 pedaço de palmito in natura (com casca)
Alecrim
Azeite
sal a gosto

Preparo
Prepare a churrasqueira com uma boa brasa. Embrulhe o palmito no papel laminado e coloque
na grelha por aproximadamente 02 horas, virando o palmito a cada 30 minutos. Depois desembrulhe o palmito
e deixe-o na grelha por mais uns 30 minutos, ou até que a casca comece a escurecer e a soltar do palmito.
Neste momento, enfie a faca no fundo do palmito, se estiver mole, já está no ponto de tirar do fogo. Parta o
palmito ao meio e corte-o em pedaços, coloque azeite, sal e o alecrim e está pronto para servir.

Fonte: http://nacozinha.wordpress.com/



PALMITO ASSADO
Ingredientes
1 pedaço de cerca de 40cm de palmito pupunha fresco
azeite
sal
recheio a gosto
açafrão
cheiro-verde
molho bechamel

Preparo
Cortar o palmito ao meio, no sentido transversal, besuntado com uma emulsão de sal e azeite. Levar ao forno à 250 graus,
coberto por papel alumínio. Em uma panela fazer um refogado para o recheio de sua preferência temperado com cúrcuma
(açafrão da terra), salsa, cebolinha e sal. Com meia hora de forno, retirar o palmito do forno e o cobrir com o recheio.
Por cima, um pouco de molho bechamel. Deixar no forno por mais uma hora.

Adaptado da fonte: cozinhapequena.com/?p=327

domingo, 16 de maio de 2010

DICAS - Queijo Parmesão

Diante dos problemas ocorridos com o queijo parmesão na nossa última entrega, resolvi postar hoje as orientações que o Paulo Bittar (nosso produtor de queijos) me enviou uma vez em que tivemos um problema aqui em Niterói. Espero que seja útil a todos!

CONSERVAÇÃO DO QUEIJO PARMESÃO

A durabilidade do parmesão vai estar muito ligada ao tipo de maturação (baby, meia cura ou curados), ao tamanho dos queijos (forma interira fechada ou pedaços partidos) e à estação do ano (quantidade de umidade no ar e temperatura ambiente).
Se for baby, que possui muita umidade na sua massa, a durabilidade é menor. Ao passo que o de longa maturação de um ano (LM1) já está bem sequinho, portanto vai ter uma durabilidade bem maior.
Se eles (qualquer tipo) foram para a geladeira, vão ter uma conservação mais longa, porém vão secar um pouco e ficarem mais duros.
Se ralados, podem ser congelados (freezer ou congelador) sem perderem suas características
originais de sabor e textura por muitos meses, já testei até 12 meses sem problemas.
Porém é importante lembrar que uma ou duas horas antes do uso, dependendo da temperatura
ambiente (verão ou inverno), deve-se tirá-los para aclimatação, porque teoricamente nenhum
queijo fica gostoso gelado!
Se aparecer algum mofo na casca do queijo, é só lavá-lo com água corrente e uma escovinha de nylon. Depois deixar secar ao natural e/ou usar papel toalha. Normalmente só cocorrem mofos superficiais (na casca), porém se o queijo já estiver partido e apresentar alguns buracos (olhaduras) naturais típicas do parmesão, faça um exame mais detalhado se não há alguma
infestação interna que precise ser removida e descartada.
Finalmente, podemos arriscar a dizer que de novembro a março (no sudeste brasileiro),
teremos uma conservação ao natural mais dificultada por conta do calor e da umidade alta.
No mais, sugiro que ao comprar uma peça ou pedaço de parmesão, decida por ralar uma parte e reservar outra para degustação em lascas, lâminas ou cubos.
E bom apetite!

POR PAULO BITTAR - PRODUTOR DA FAZENDA BELA VISTA (MG)

Eu tive esse problema com o mofo, fiz como ele sugeriu, sequei com a toalha e deixei secando um pouco ao natural também e eles ficaram ótimos. Comemos sem nenhum problema.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, TALOS E OUTROS - Geleia de Casca de Tangerina


Minha avó fazia licor com as cascas de tangerina e ficava muito bom!
Vou ver se consigo resgatar a receita.
Hoje fiquei muito contente pois recebi a receita abaixo de Inny!

"Olá Rosangela!!

Agora que na Rede temos tangerinas, tenho feito uma receita que é uma delícia e aproveita a casca da tangerina: a Geleia de Tangerina.
Desta forma, diminuímos a quantidade de lixo!
Eu como os gomos da tangerina, com as folhinhas que vêm no talo eu faço um chá (delicioso!) e com a casca, eu faço a Geleia!!

Aí vai a receita super simples:

GELEIA DE TANGERINA
Ingredientes
cascas da tangerina
água
açúcar mascavo orgânico

Preparo
Juntar na geladeira as cascas da tangerina em um pote com água. Trocar a água, desta forma, tira o amargo da casca. Quando já tiver uma boa quantidade de cascas de tangerina, jogar aquela água fora. Colocar as cascas em uma panela com um pouco de água nova, para cozinhar em fogo baixo, até as cascas ficarem bem macias. Quando as cascas estiverem macias, desligar o fogo, jogar a água fora e esperar esfriar um pouco. Em seguida, cortar as cascas em tirinhas ou batê-las no liquidificador, dependendo da consistência que quer dar à sua geleia.
Em uma panela, colocar um pouco de açúcar mascavo orgânico, um pouquinho de água e as cascas de tangerina (as medidas vão depender da quantidade de cascas que tiver juntado).
Deixar em fogo baixo, até ganhar uma certa homogeneidade e prontinho!! É só esperar esfriar e se deliciar!

terça-feira, 4 de maio de 2010

SALGADAS - Maionese Verde e Molho Branco

Fazendo uma limpeza na minha caixa de e-mails, encontrei essas receitas que Mariana me enviou já tem um tempo e que acabei deixando passar.
Ela me diz o seguinte:
"Aproveito para passar duas receitas com tofu daquelas cartelinhas da Couzinharte que
são ótimas para substituir maionese, requeijão e creme de leite."



MAIONESE VERDE

Ingredientes

* 1 tofu pequeno (270g)
* 5 talos de salsa inteiros (5g)
* 5 talos de cebolinha inteiros (15g) -tirar apenas a raiz
* 1 colher de sobremesa de suco de limão (4ml)
* 1 colher de sopa de azeite extravirgem (8ml)
* 1 colher de café de sal

Preparo
Prensar o tofu para retirar o excesso de água.
Colocar todos os ingredientes no liquidificador e bater muito bem, até ficar um creme liso, na consistência de maionese.
Se necessário, colocar um pouco de água para facilitar o trabalho do liquidificador.
Colocar no máximo 2 colheres de sopa de água, para que não perca o ponto.

Comentário da cartela: “A maionese à base de tofu e temperos verdes, além de mais
saudável que a versão original das maioneses, é saborosa e de fácil digestão,
podendo ser utilizada em várias outras preparações, inclusive em pães e torradas.”

Acompanha muito bem salada crua e sem os temperos verdes vira uma base neutra
para receber outros temperos.



MOLHO BRANCO

Ingredientes
* 1 tofu pequeno (270g)
* 3 colheres de sopa rasas de aveia em flocos finos (20g)
* 4 colheres de sopa de azeite (32ml)
* 1 colher de sopa de suco de limão (7ml)
* ½ xícara de chá de água (100ml)
* ½ cebola média (50g) picada
* 1 colher de sobremesa de azeite (5ml)

Preparo
Bater no liquidificador o tofu, a aveia, o azeite (2 colheres de sopa), o suco de limão e a água.
Refogar a cebola no azeite (1 colher de sobremesa).
Acrescentar a mistura do liquidificador e mexer até obter um ponto de molho branco.
Se necessário, acrescentar um pouco mais de água.

Comentário da cartela: “...o molho não leva leite e ainda é enriquecido com as fibras
e o poder da aveia de tonificar a energia...”

"Uso em diversas receitas, sempre que preciso de molho branco, quente ou frio. "

Fonte: livro Couzinharte de Ana Beatriz Vieira Pinheiro

sábado, 24 de abril de 2010

SALGADAS - Feijão Azuki

Estava pensando que receita eu postaria dessa vez e fui a nossa planilha ver qual produto
ainda não estava contemplado aqui no blog. Como eu já ia postar uma receita de bolinho
de arroz, pensei: perfeito! A combinação básica brasileira: feijão com arroz! Então hoje
teremos feijão azuki com bolinho de arroz.
Antes, eu comia o feijão azuki e ficava sempre achando ruim ele não se
incorporar ao caldo como os outros feijões. Um dia uma amiga - o dia que eu lembrar quem
foi eu conto - me ensinou esta receita, que deixa o caldo bem grossinho. Experimentei
e agora faço sempre.

O feijão azuki, originário do Japão (plantado há milhares de anos - 9.000), é uma leguminosa
selvagem. Este feijão fermenta menos do que os outros. Os japoneses utilizam-no na
preparação de doces com sabor suave. Na alimentação vegetariana é o ingrediente principal
de feijoadas ou chili, por ser leve e saudável. Também é usado na preparação de sopas e saladas.
O consumo de arroz com feijão azuki fornece ao organismo uma combinação nutricional completa.

Antes de qualquer preparação, este feijão deve ser deixado de molho durante 10 a 12 horas.
Deve cozinhar-se, preferencialmente na panela de pressão, durante 30 minutos, sem sal.
O sal deve ser adicionado depois da cozedura e de se deixar a água evaporar, com a tampa destapada
e a chama moderada.

FEIJÃO AZUKI

Ingredientes
Feijão azuki
Louro
Alho
Óleo
Algas marinhas Kombu em pedaços grandes
Abóbora em pedaços grandes, com casca, de preferência a japonesa

Preparo
Coloque o feijão de molho como todos, de um dia para o outro.
No dia seguinte lave as algas e coloque de molho uns 30 minutos antes. Lave a abóbora, escovando bem sua casca e coloque tudo na pressão, inclusive a água em que ficou de molho a alga.
Após ficar pronto, pegue um pouco do feijão junto com a alga e a abóbora e bata no liquidificador.
Junte esse caldo ao feijão que ficou na panela. Tempere do mesmo modo que os outros, fazendo
um refogado com óleo, alho, louro e sal a gosto.

Mais informações e propriedades medicinais você encontra no site
http://www.centrovegetariano.org/

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, TALOS E OUTROS - Bolinho de Arroz


Nós estávamos com sobra de arroz em casa e lembrei dos deliciosos bolinhos que minha
boa “migona” Elza fazia. Ah, que saudades! Dela e dos bolinhos.
Fizemos e ficaram ótimos, do meu ponto de vista, é claro, porque meu marido e meu
filho acharam que precisava ter algo mais “saboroso” como recheio. A falta de paladar
deles já é muito grande devido ao fato de comerem tantos refinados, açucarados etc...
Para contentá-los fiz alguns recheados com queijo minas. Não alterou nada pois o queijo
não tem sabor forte.
Eu achei uma delícia de todo o jeito!
Qualquer dia vou experimentar com arroz integral.

BOLINHO DE ARROZ

Ingredientes
arroz cozido
1 ovo
cheiro-verde picado
sal a gosto
farinha de trigo
queijo parmezão ralado
fermento em pó
Óleo para fritar

Preparo
Numa tigela coloque o arroz cozido, o ovo, o cheiro-verde, o queijo ralado, o fermento
e misture amassando bem com as mãos. Polvilhe farinha de trigo, volte a misturar bem
para ajudar a dar a liga. Apure o sal.
Com a ajuda de duas colheres de sopa modele os bolinhos, enchendo uma com um pouco de
massa e alisando com a outra. Deixe o óleo esquentar bem e coloque os bolinhos um a um.
Eles estarão prontos quando estiverem levemente dourados (se tostar muito as extremidades
ficam duras).

domingo, 18 de abril de 2010

APROVEITAMENTO DE FOLHAS, TALOS E OUTROS - Aperitivo com semente de abóbora

Outro dia fiz abóbora e a semente estava tão bonita que resolvi aproveitá-la.

APERITIVO COM SEMENTE DE ABÓBORA

Ingredientes

sementes de abóbora
azeite
sal a gosto

Preparo
Lave as sementes para retirar toda a abóbora e seque-as.
Coloque em um pirex ou tabuleiro. Unte com azeite e coloque sal misturando bem.
Leve ao forno por mais ou menos 15 minutos.
Se ouvir uns estalos não se assuste.
Deixe esfriar e coloque rapidamente em um vidro bem limpo e vedado.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

SALGADAS - Torta Salgada de Milho

Estávamos, eu e Camila Weber, da Rede Niterói, essa semana, planejando a Oficina de Consumo Consciente para Crianças, que vamos realizar no I Festival de Economia
Solidária da Baixada Fluminense, nos dias 8 e 9 de abril, na Praça Rui Barbosa, em Nova Iguaçu, de 9 h às 18 h, onde a Rede Ecológica estará presente, quando ela me falou dessa receita que criou, na tentativa de fazer um prato sem leite e sem ovos.
É claro que não podia deixar escapar essa oportunidade de colocá-la no Blog, ainda mais porque temos tido espigas lindas vindas de nossos produtores de Seropédica, o Serorgânico!

TORTA SALGADA DE MILHO

(pequena - dá para 3 pessoas)

Ingredientes
6 espigas
1 colh chá de manteiga
½ cebola grande
queijo branco em cubos
cheiro verde picado
sal a gosto

Preparo
Debulhar o milho, cozinhar em água suficiente para retirar a casca que sobe após cozido.
Escorrer, reservando a água, bater no liquidificador com a água que cozinhou, que dê para ficar um creme, junto com a manteiga, a cebola e o sal. Misturar o queijo e o cheiro verde e colocar num pirex untado.
Levar ao forno por mais ou menos 20 min para secar e dar consistência.

terça-feira, 30 de março de 2010

DOCES - Cookie de canela com ghi

Há muito tempo eu queria provar o GHEE, agora sugiu a oportunidade já que ele será vendido na Rede.
Aqui vão algumas informações, dicas e uma receitinha para vocês.

GHEE - Ghi - grafia original e ghee - grafia em inglês

É livre de lactose, não contém glúten, sem sal, não contém corante nem conservante, dispensa refrigeração, promove longevidade, manteiga gourmet e medicinal.
Os benefícios do ghee não se restringem a isso. ''Ele também estimula o raciocínio e a memória, além de melhorar a digestão e nutrir os sete tecidos do corpo'', explica Luiz Guilherme, coordenador da Clínica de Medicina Ayurvédica Dhanwantari, em São Paulo.
O ghee seria tridosha, pois atuaria nos três humores, equilibrando o organismo.
Para o especialista em medicina ortomolecular Marcio Bontempo, apesar de o ghee ser melhor que a manteiga, deve ser consumido com moderação.
Depois de frio, o ghee deve ser guardado em recipiente fechado, em lugar fresco, para que se conserve por muito tempo.

Algumas considerações:

1- O ghee se solidifica à temperatura ambiente e se conserva sem refrigeração, pelo fato de ser 100% composto de matérias oleosas, uma vez que os resíduos de leite e a água foram retirados.

2- Quando dourar temperos no ghee, tenha-os à mão, pois, uma vez aquecido, o ghee queima muito facilmente.

3- Antes de guardar o ghee, verifique se o recipiente em que está sendo colocado está completamente seco. Evite deixar cair água no ghee quente, pois esta combinação provoca uma explosão que respinga gordura quente de forma violenta. Nunca misture água no ghee destinado à fritura.

4- Para frituras prolongadas a temperatura do ghee estará no ponto quando dourar um pedaço de massa ou de outro alimento em 1 minuto. Daí em diante, abaixe o fogo. Não mergulhe muitas porções do alimento a ser frito no ghee de uma só vez, isto fará com que a temperatura baixe muito e a fritura não saia satisfatória.

5- Pode-se utilizar o ghee para frituras várias vezes. Basta lembrar de filtrá-lo e livrá-lo dos resíduos da fritura anterior que modificam a cor e o sabor do alimento seguinte.

Bem, vamos à receita!

COOKIE DE CANELA COM GHI
(rendimento 18 cookies)

Ingredientes para a massa
2 xíc de farinha branca (ou 1 xíc de farinha branca + 1 integral)
1 xíc de açúcar mascavo
2 colh de chá de fermento em pó
1 xíc de leite
1 colh de sopa de ghi
1 colh de chá de essência de baunilha
½ xíc de uva-passa
½ xíc de nozes (amêndoa, pecan, castanha sem sal.....)

Preparo
Aqueça o forno a 170 graus Celsius. Misture todos os ingredientes. Espalhe a massa em uma forma untada. Asse-a por 20 min. Enquanto os cookies assam, prepare a cobertura.

Ingredientes para a cobertura
½ xíc. de ghi
½ xíc. de açúcar
1 1/2 colh de chá de canela em pó

Preparo
Misture todos os ingredientes da cobertura e espalhe uniformemente por cima da massa. Asse por mais 10 min. Deixe esfriar e corte em quadrados.

Fontes
www.ghibrasil.com.br
http://shalashanti.blogspot.com/search/label/ghee%20-%20manteiga%20clarificada
http://www.drmarciobontempo.com.br/preview/reportagens/citacao08/citacao08n.asp
http://www.gheenadaprema.com.br/

SALGADAS - Salada de Arroz Confeitada

Mais uma receita com ghi para vocês!

SALADA DE ARROZ CONFEITADA

(prato ideal para o verão)

Ingredientes
2 ½ xíc arroz cozido
½ pimentão amarelo
½ pimentão vermelho
1 talo salsão com folhas
4 colh sopa salsinha picada
1 ½ colh sopa ervas picadas: manjericão, estragão, erva-doce...
sal e pimenta a gosto

Molho
Adicionar 5 colh de sopa do molho abaixo
¼ de xíc ghi
1 colh sopa água morna
1 colh sopa suco limão ou vinagre
¼ colh chá sal

Preparo
Enquanto o arroz ainda estiver quente, misturar os legumes cortados, ervas e molho. Enfeite com pouco de salsinha picada. Pode ser servido frio ou quente.

terça-feira, 23 de março de 2010

ALIMENTO VIVO - Pãozinho de Queijo


PÃOZINHO DE QUEIJO

Camila, da Rede Niterói, Nutricionista e nossa mestre cuca para quitutes infantis, está fazendo suas experiências para nos abastecer. Essa semana ela me pediu uma receita salgada.
Aí vai uma para Camila e demais interessados em experimentar.

Essa receita faz parte da Revista Especial Kids de Fevereiro 2010 e transcrevo abaixo o comentário nela contido.
"Quando recebi essa receita da professora Jane Susie não acreditei.
Mas curiosa que sou, e como fã de carteirinha da Jane, decidi testá-la.
E, não deu outra: é curiosamente gostosa!Como sempre, minha sugestão
é que a criançada participe em pelo menos alguma etapa do preparo,
principalmente na montagem das bolinhas e no controle da secagem ao sol.
Vamos lá!"

Ingredientes
1 xíc chá de grão-de-bico germinado e descascado
1 xíc chá de amendoim germinado e sem pele
sal marinho
se possível use também o missô
1 alho picadinho
1 cebola pequena picada (minha observação: eu uso um ou outro)
orégano a gosto (Outras opções para saborizar são alecrim ou salsa ou manjericão. Vá testando e conhecendo os sabores da sua turma.)

Preparo
Coloque tudo no processador até ober uma pasta homogênea. Acerte o sabor. Retire do processador. Dependendo do seu processador, talvez precise passar pelo liquidificador para acertar o ponto de textura da massa. Ela fica macia e fácil de modelar.
Faça bolinhas de máximo 2 dedos de diâmetro, arrumando-as num pirex ou placa de vidro untados com um fio de azeite. Dar uma leve amassada com um garfo. Assar no sol. Quando a parte superior estiver sequinha vire para desidratar a parte que ficou para baixo e assim acelerar o processo de secagem. Deixe esfriar e coloque num pote de vidro com tampa.
Se estiver bem desidratado irá durar até 3 dias. Sirva no lanche da tarde ou na lancheira da escola.

Sugestões
1) Comece bem cedo e num dia ensolarado para que a secagem termine no mesmo dia. Caso não tenha sol ou não dê tempo de terminar a secagem ao sol, asse no forno mínimo com a tampa entre-aberta.
2) Essa massa pode ser usada como cobertura de canapés, de pizzinhas, em barquinhas de tomate cereja ou endívias, decoração de saladas e onde sua criatividade alcançar.

No nosso blog você pode ver como germinar.

A Revista Especial Kids faz parte do site Doce Limão de Conceição Trucom que é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a alimentação natural, bem-estar e qualidade de vida. http://www.docelimao.com.br

terça-feira, 16 de março de 2010

SALGADAS - Legumes Assados

LEGUMES ASSADOS
Essa receita, feita por Angela, comi num almoço no curso Despertando Educadores Terapeutas, que por sinal foram maravilhosos (os almoços e o curso)!
Essa semana resolvi fazê-la, mandei um e-mail para ela e eis aqui sua resposta:
"Faço na intuição, não tenho receita.
Numa assadeira coloque:

Ingredientes
1 pimentão amarelo cortado em tiras (eu não tinha e coloquei vermelho)
1 cebola cortada em quatro na vertical
1 cenoura (coloquei abóbora no lugar)
1 tomate cortado na vertical (não coloquei)
1 abobrinha verde (não tinha e coloquei chuchu, batata doce, batata inglesa e brócolis)
ramos de tomilho (coloquei alecrim no lugar)
azeite extra virgem
sal grosso

Preparo
Regue com azeite extra virgem, coloque o tomilho, o sal grosso (uso sal comum). Se necessário, acerto o sal depois de cozidos. Leve ao forno coberto com papel de alumínio.
Na verdade os legumes podem ser grelhados ao invés de assados.
Pode servir quente ou frio, como tira gosto."
Deixei 30 minutos no forno.
Ficou uma "dilícia"!

terça-feira, 9 de março de 2010

LANCHE DA GAROTADA - Biscoitos

Esses biscoitos já fiz aqui em casa e ficam muito bons.

BISCOITO INTEGRAL DE AVEIA
Ingredientes
2 xíc de aveia
1 xíc de açúcar mascavo
1 xíc de farinha integral
2 colh bem cheias de manteiga

Preparo
Amasse tudo, faça os biscoitos e leve ao forno.


BISCOITO INTEGRAL DE GERGELIM
Ingredientes
1 xíc de gergelim
1 xíc de farinha integral
1 xíc de açúcar mascavo menos 2 dedos
2 colh bem cheias de manteiga

Preparo
Amassar, fazer bolinhas e apertar com o garfo. Levar ao forno.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

DOCES - Doce de Mamão Verde

O Gilson, marido da Tania Alice, pediu a Maira uma receita com mamão verde.
Depois de muitas promessas de Simone, da Rede, de histórias de uma viagem com comidinhas gostosas que ainda não vi (rsrsrs), saíram duas receitas de doce de mamão ralado.
Santo mamão! Espero que ele frutifique em mais receitas, viu Simone!

Como tem gente que gosta do doce de mamão espelho, acrescentei esse também, que encontrei no site http://www.livrodereceitas.com

Quanto ao leite do mamão, Simone nos diz que no mamão verde não temos que nos preocupar em retirar. Só se faz isso quando ele está maduro.
Ela nos alerta também a ter atenção pois se o mamão verde cair no chão ele amarga. Por isso cuidado ao retirá-lo do pé. Use uma vara com um saco na ponta.

Vamos às receitas, então.

DOCE DE MAMÃO VERDE RALADO SEM COCO
"Esta foi uma das melhores que comi, só que é absolutamente de olho. Um desafio para os cozinheiros de primeira viagem, mas um ótimo treino para despertar essa mágica que é cozinhar, de preferência em fogo brandíssimo e com muita paciência". (Simone)

Receita da Helena
Ingredientes
mamão verde ralado
açúcar
cravo da índia

Preparo
Colocar o mamão em uma panela com o açúcar e deixar apurar (em fogo baixíssimo), naquele caldinho que vai se formando. Cuidado para não queimar. Quando pronto, colocar o cravo.

DOCE DE MAMÃO VERDE RALADO COM COCO
Receita da Marise
Ingredientes
mamão
água
açúcar
cravo
coco

Preparo
Lavar o mamão, partir e ralar os pedaços em ralo fino. Escaldar com um pouco de água fervente, escorrer. Colocar na panela com açúcar, cravo e coco. Cozinhar em fogo brando.



DOCE DE MAMÃO ESPELHO
Ingredientes
1kg de mamão verde
casca de limão
1/2kg de açúcar
1 xíc de água
cravos
sal (eu gosto de sempre colocar uma pitada de sal nos doces)

Preparo
Riscar o mamão para escorrer o leite. Pouco depois descascar, cortar ao meio e retirar as sementes com uma faca bem amolada. Cortar o mamão em tiras bem finas. Fazer uma calda rala com o açúcar, 1 xícara de água, as cascas de limão e os cravos. Juntar os espelhinhos de mamão depois de bem lavados e deixar até ficarem macios. Se preferir o doce com calda mais fina, levar tudo junto ao fogo.

SALGADAS - Mamão Verde


Esta receita de mamão refogado também foi enviada por Simone e é assim que eu faço aqui em casa.
Além dela, achei a do Suflê Pantaneiro no site http://www.livrodereceitas.com, que adaptei.

MAMÃO REFOGADO
AS
Ingredientes
mamão verde
alho ou cebola (não se deve colocar juntos pois um corta o efeito do outro)
sal
se precisar um pouquinho de água

Preparo
Refogar do mesmo modo como qualquer refogado de legumes, em quadradinhos bem pequeninos.

SUFLÊ PANTANEIRO

Ingredientes
1kg de mamão verde
1 litro + 1 copo (americano) de água
2 colh sopa de manteiga
5 colh sopa de farinha de trigo
2 cebolas raladas
3 colh de sopa de óleo (eu colocaria menos)
urucum (coloquei em lugar do tomate)
fatias de mussarela o suficiente
orégano a gosto
sal a gosto
água do cozimento do mamão (coloquei em lugar do leite)

Preparo
Descascar o mamão, cortar a polpa e cozinhar em 1 litro de água com sal, tomando cuidado para não desmanchar (ao invés de cozinhar só em água e sal eu prefiro cozinhar num refogado pois fica mais gostoso). Escorrer e reservar separadamente o caldo e o mamão. Numa panela, colocar o caldo, a manteiga, a farinha e o sal. Misturar bem até formar um mingau grosso (eu gosto de colocar a farinha dissolvida em água, quando ferve). Reservar. Refogar a cebola no óleo. Acrescentar o urucum, mexer bem. Juntar a água fervente restante e reservar. Num refratário, colocar os cubos de mamão, o mingau, cobrir com a mussarela e o molho. Polvilhar com orégano e levar ao forno alto até a mussarela derreter. Servir bem quente.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

LANCHE DA GAROTADA - Sugestões de 18 meses a 3 anos


MERENDA ESCOLAR
Coloco aqui, com algumas adaptações, o que tirei do site http://www.receitasweb.com.br para crianças de 18 meses a 3 anos.

18 MESES
  • Torrada: o lanche preferido das crianças nessa idade. Experimente passar uma leve camada de geleia que a deixará mais nutritiva.
  • Queijo em fatias ou cubinhos: o que funcionar melhor. Se descobrir um tipo de queijo que a criança goste, vá em frente.
  • Sucrilhos: coloque o cereal puro. As crianças nessa idade adoram comer um a um.
  • Pão: uma excelente opção de lanche. Corte-o em pedaços pequenos. Sirva com pastas (aqui no blog tem algumas receitas) ou purê de frutas.
  • Já que a maçã EVA orgânica está chegando à Rede, vou colocar uma receita com ela. Elas vêm do sitio Candeias do Vale,em São José do Vale do Rio Preto. Segue pequena apresentação do produtor, Paulo Sergio Ferreira:
    "Relativamente às variedades de maçãs e ameixas exploradas, temos as ameixas FLA 87-7 (ou Gulfblaze) e as maçãs EVAS.
    AS mudas são todas provenientes do Estado do Paraná, através de integrantes do corpo técnico do IAPAR.
    Os primeiros plantios ocorreram em 2005 e, depois, foram sendo incrementados anualmente, sempre no final do mês de agosto.
    Hoje temos cerca de 4.300 pés de maçãs e de 1.300 pés de ameixas.
    Sou funcionário aposentado do Banco do Brasil onde, no início de minha carreira naquela instituição, tive o privilégio de conduzir a carteira de crédito agrícola de uma de suas principais agências localizada no interior do Estado do Paraná.
    A produção é assistida por um PhD em frutas de caroço, com formação na Holanda e no Canadá, e por uma Eng.Agr. especializada em produtos orgânicos."
  • PURÊ DE MAÇÃ - Pegue pedaços pequenos de maçãs (eu costumo cortar em fatias finas), passas cortadas ao meio, um pedaço de casca de limão e leve ao fogo brando. Deixe por uns 20 min, se secar vá pingando água (o ideal seria não pingar). Apague o fogo e deixe a panela repousar. Use assim ou passe pelo liquidificador. Outra opção é endurecê-la com um pouco de araruta (ou similar). Do livro Sugar Blues de William Dufty. Se você ainda não leu, leia pois vale a pena!
2 ANOS
  • Torrada, pães, biscoitinhos: qualquer produto à base de grãos, por não terem sabor forte, as crianças nessa idade adoram.
  • Fatias de maçâ colocadas previamente de molho no limão e lavadas, laranja e ameixa (que teremos na Rede no futuro, fornecidas pelo produtor das maçãs). Não há nada melhor!
  • Frutas desidratadas, cortadas em pedacinhos. Lembre-se de tirar o caroço da ameixa seca. As crianças nessa idade adoram beliscar essas frutas. Você encontra um bom material ensinando a desidratação de frutas no site http://www.solefrutas.esalq.usp.br/docs/desidratacao.pdf
3 ANOS

Com tantas atividades durante o dia e sua crescente imaginação, seu filho de 3 anos está sempre ocupado, o que torna a nutrição ainda mais importante.
  • Torrada, pães, biscoitinhos: qualquer produto à base de grãos, por não terem sabor forte, as crianças nessa idade também adoram.
  • Fatias de maçã colocadas previamente de molho no limão e lavadas, laranja e ameixa também.
  • Frutas desidratadas, cortadas em pedacinhos. Lembre-se de tirar o caroço da ameixa seca. As crianças nessa idade continuam gostando de beliscar essas frutas.
  • Pães - de todos os tipos - os feitos em casa são mais saudáveis e depois, os do Ricardo Mendez, nosso produtor de pães, é claro!
  • Biscoitos: opte por biscoitos feitos em casa, com pouco ou nenhum açúcar. Bolinhos e biscoitos salgados.
  • Quando a criaça participa do preparo de seu próprio lanche, a probabilidade de comê-lo aumenta. Portanto deixe seu filho participar!
  • Evite alimentos com alto teor de sal, gordura e açúcar!
  • Para beber, veja as sugestões de bebidas do Blog.
  • Ainda no Blog temos docinho de bagaço de cenoura, torta de maçã...
PARA MAIORESDE 3 ANOS - Vou pesquisar mais e aguardo contribuições.

LANCHE DA GAROTADA - Biscoitos


BISCOITOS

Ingredientes
300g de farinha de trigo
100g de açúcar
200g de manteiga sem sal

Preparo
Peneirar a farinha e o açúcar. Acrescentar a manteiga e o aromatizante de sua preferência, se for o caso. Misturar os ingredientes com os dedos até formar uma massa que desprenda das mãos. Cortar com moldes de formas divertidas e levar ao forno médio preaquecido por mais ou menos 20min. Para variar, aperte o meio dos biscoitos com o dedo e coloque um pouco de geleia antes de levar ao forno.

Fonte: www.crescer.com.br

LANCHE DA GAROTADA - Esfiha de Queijo


ESFIHA DE QUEIJO

MASSA
Ingredientes
60g de fermento biológico
1 colh sopa de açúcar
3 1/4 xíc chá de água
125 ml de óleo
1 colh sobremesa de sal
1 200g de farinha de trigo
1 shoyo para pincelar

Preparo
Em uma vasilha, misturar o fermento com o açúcar até dissolver bem. Adicionar o óleo, a água e o sal ao fermento e misturar até ficar homogêneo. Colocar a farinha de trigo aos poucos e amassar até desgrudar das mãos. Fazer bolinhas da massa e reservar.

RECHEIO
Ingredientes
500g de queijo (ou outro recheio a gosto)
2 colh sobremesa de orégano
sal a gosto

Preparo
Amassar o queijo com o garfo, temperar com o sal e orégano.

MONTAGEM DAS ESFIHAS
Abrir as bolinhas de massa e colocar o recheio, fechar, pincelar com o shoyo, colocar em uma assadeira untada com óleo e farinha de trigo e assar.

Rendimento: 60 porções (40g cada)

Fonte: www.crescer.com.br

LANCHE DA GAROTADA - Cookie de Linhaça


COOKIE DE LINHAÇA

Bom para todas as idades.
Quando é preparado o leite de linhaça (ver no site), fica sobre a panela furada uma massinha de fibras da linhaça, que usamos para fazer esse saboroso cookie.

Ingredientes
cerca de 4 colh sopa da massa de fibras da linhaça, que é bem liguenta
1 banana nanica (caturra) bem amassada
2 colh sopa de uva-passa preta sem semente
raspas e gotas de limão a gosto
gotas de baunilha a gosto (opcional)
2 colh sopa de cacau orgânico ou chocolate sem açúcar em pó (opcional)
aveia integral em flocos pequenos suficiente para dar a consistência final (para os que não podem ingerir glúten usar flocos de arroz)

Preparo
Junte todos os ingredientes em uma tigela. Vá acrescentando a aveia em flocos até a consistência ideal para manusear a formatação dos cookies.
Arrume os cookies com a ajuda de 2 colh sobremesa. O formato ideal é de quadradinhos de 3x3 cm ou bolachas com este diâmetro e 2cm de altura. Não precisa afastar muito um do outro pois não irão crescer. Dê uma amassadinha final com um garfo para ajudar na desidratação.
Asse em forno mínimo (porta entre aberta) ou via desidratação solar. Se ficarem bem desidratados, pode-se colocar em potes de vidro com tampa e guardar por até 5 dias.

Fonte: www.docelimao.com.br

LANCHE DA GAROTADA - Hamburguinho de cenoura


Depois de muito pesquisar, vou começar essa nova seção de receitas de lanches saudáveis, a pedidos, para maiores opções da merenda escolar, principalmente.
Não sei ainda que nome dar a ela, portanto, vai com um nome provisório.
Estou aceitando sugestões e receitas também!

HAMBURGUINHO DE CENOURA

Ingredientes
1 xíc chá de cenoura ralada
2 colh sopa de linhaça hidratada por 4h em 10 clh sopa de água (ela quem dá a liga)
1/2 xíc chá de nozes germinadas (sem pele)
1/2 xíc chá de amêndoas germinadas (sem pele)
1/2 xíc chá de semente de girassol sem casca germinada
4 colh sopa de azeite extra-virgem
sal marinho a gosto
1 colh sopa de manjericão (ou salsinha) picado
1 dente de alho amassado (opcional)

Preparo
Triturar tudo no processador. Espalhar no papel impermeável e abrir a massa com 1,5 cm de espessura. Cortar com um copo de boca estreita (mini-hamburguinhos). Assar no forno mínimo (porta aberta) ou desidratar. Servir sozinho ou com pão integral caseiro.

Fonte: www.docelimao.com.br

sábado, 30 de janeiro de 2010

SALGADAS: Mandioca ao Curry

Aqui vai uma receita com aipim, após polêmica na Rede sobre a qualidade do mesmo.
Esta receita foi tirada da Revista dos Vegetarianos nº 34, da qual sou assinante.

MANDIOCA AO CURRY

Ingredientes
5 xícaras de mandioca cozida, aproximadamente
1 colh de café de curry, curcuma ou açafrão
salsinha picada a gosto
1/2 vidro de leite de coco
1 colh sopa de amêndoas torradas
1 colh de sobremesa de sal
8 colh sopa de azeite

Preparo
Esquentar o azeite em uma panela (de preferência de barro) e refogar nele toda a mandioca. Tapar a panela e deixar a mandioca no fogo por uns 7 min. Acrescentar o curry e mexer a panela. Colocar o sal, as castanhas e o leite de coco, misturar os ingredientes até se incorporarem. Enfeitar com salsa fresca e servir quente.
Serve: 4 pessoas

DOCES - Pudim de Pão Integral

Eu adorava pudim de pão! Minha mãe fazia um delicioso pra mim mas nunca provei uma versão com pão integral. Quando vi essa receita me animei, pois há muito tempo não o como. Qualquer dia desses experimento!

PUDIM DE PÃO

Ingredientes
5 fatias de pão integral
1 1/2 xíc. de leite (podemos experimentar o de soja)
1 fava de baunilha
noz moscada ralada
cravo
canela em pó
um bom punhado de passas brancas
uma dosinha de nada de vinho do porto
2 ovos caipira
1/2 xíc. de açúcar
1 colh de manteiga
geleia de damasco ou calda de caramelo

Preparo
Pegue as 5 fatias de pão, pique e coloque de molho em 1 xíc de leite, por uns 15 min, não sem antes "temperar" com a fava de baunilha, a noz moscada, um pouquinho de cravo, canela em pó, o vinho e as passas.
Enquanto isso, bata no liquidificador os ovos, açúcar, o leite restante e a manteiga. Junte o pão que estava de molho. Deixe tudo descansar por uns 30 min e leve ao forno pré-aquecido, em forma untada, por uns 20 min.
Depois de frio, desenforme e joque por cima a caldinha feita com geleia de damasco ligeiramente derretida em fogo baixo mas a boa e velha calda de caramelo também fica boa.

Fonte: www.rainhasdolar.com