segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PRESENTE DE NATAL

Pessoal,
Recebi no sábado esse precioso presente da Chef Clara Aurora Perednik, mandei um email pedindo autorização para postá-lo no nosso Blog e hoje ela me enviou a seguinte resposta:
"ola! sim, pode colocar elas no blog nao estaba sabendo que a rede tenha um blog...me passa
ele para conhecer-lo!bjss Clara"

Quem é Clara?
Ela nasceu em Buenos Aires, Argentina, filha de uma famosa cozinheira especializada em
macrobiótica, a Chef Adriana Friedheim. Desde muito pequena passava muitas horas dentro da
cozinha, alimentando-se de maneira sadia e natural.
Veio para São Paulo para estudar na Escola Musso, onde se formou como cozinheira.
Voltou a Buenos Aires, onde se dedicou a elaborar produtos macrobióticos.
Hoje ela trabalha como cozinheira, acessorando diferentes empresas e, como professora de
culinária, tem dado cursos no METAMORFOSE.

Segue, abaixo o material que ela me mandou com as devidas adaptações.

"Para as festas de fim de ano.....meu presente de natal para todos vocês que me acompanharam
durante 2011 e, tomara, sigamos juntos em 2012 compartilhando alimentos, recetinhas.....e
algumas coisas mais!
Eis minha proposta de Natal para uma mesa linda, colorida, com alimentos frescos, ideais para
o verão, nutricionalmente equilibrada e completa, para compartilhar com a família e os amigos
...e vamos todos juntos a cozinhar!!!


COQUETEL MACROBIÓTICO: "SONHO DA ALMA"

Ingredientes
1 maracujá
2 laranjas
50 ml de saquê
1 colher de mel
6 cubos de gelo

Preparo
Coloque a polpa do maracujá no liquidificador, bata, peneire e volte a colocar no liquidificador,
acrescente o suco das laranjas, o saquê e o mel, bata até ficar bem espumoso. Acrescente o gelo
e bata novamente. Esta pronto para servir!

VARIEDADES DE BRUSQUETAS

Ingredientes
1 pão
Azeite
Shoyu
Ervas secas

Preparo
Escolha um pão de boa qualidade, corte em rodelas de 1 cm, coloque em uma forma, tempere com azeite, shoyu e ervas secas a vontade! Arrume numa forma e leve ao forno médio por 7 a 10 minutos, ou até obter uma leve torrada. Elas não ficam legais se secarem muito.

HOMUS TAHINE

Ingredientes
100 g de grão de bico
100 g de tahine
Sal a gosto

Preparo
Lave e coloque o grão de bico de molho por 12 a 20h. Cozinhe até que ele fique bem macio, quase
passando do ponto. Coe e coloque no liquidificador acrescentando 5 colheres de água do cozimento.
Bata até ficar um creme homogêneo. Tempere com sal a gosto. Pode ser conservado em geladeira por até 5 dias.

GUACAMOLE

Ingredientes
1 abacate médio
1 tomate médio
Suco de 2 limões
Sal, azeite e shoyu ao gosto
3 colheres de sopa de folhas de coentro fresco
Opcional: pimenta rosa ou tabasco

Preparo
Prepare o suco dos limões, corte o abacate em dois, uma das metades corte em cubos o menor possível, com a outra faça um purê com um garfo, misture, acrescente o suco dos limões imediatamente para evitar a oxidação do abacate. Corte o tomate em cubos, também os menores possíveis e acrescente à mistura. Adicione o coentro picado. Tempere a gosto. Guarde na geladeira até o momento de servir.

CREME DE TOFU

Ingredientes
200g de tofu
15 azeitonas verdes ou pretas
5 colheres de sopa de azeite
5 colheres de sopa de água
Sal e shoyu ao gosto
Opcional: alfavaca fresca, tomates secos, alcaparras, cenoura

Preparo
Retire o caroço das azeitonas, corte o tofu em cubos de 1 cm, coloque todos os ingredientes
no liquidificador, bata até obter um creme homogêneo. Pode ser conservado até 4 dias na geladeira.

TABULE DE QUINOA

Ingredientes
250 g de quinoa
2 pepinos japoneses
10 rabanetes
3 tomates
1/2 aipo pequeno
Suco de limão
Vinagre umeboshi ou de arroz
Sal
Shoyu
Azeite

Preparo
Lave a quinoa, coloque 1 e 1/2 xícara de água por cada xícara de quinoa. Coloque numa panela,
acrescente 3 pitadas de sal, tape, coloque no fogo alto até ferver e depois cozinhe por 10 minutos
em fogo baixo, destampe e deixar esfriar. Corte todos os legumes em cubos o menor possível, quanto menor mais bonito e gostoso ficará este prato.
Pepino: coloque em uma bacia com 1 colher de chá de sal, deixe repousar entre 30 minutos e 1 hora.
Rabanete: coloque em uma bacia com 1/2 colher de chá de sal, deixar repousar entre 30 minutos
e 1 hora.
Aipo: coloque em uma bacia com 1/2 colher de sal, deixe repousar entre 30 minutos e 1 hora.
Passado o tempo, esprema para tirar todo o ácido dos legumes e o excesso de sal.
Incremente a quinoa, junto com o tomate, misturar bem.
Vinagrete: 30% suco de limão, 30% de shoyu, 30% de azeite, 10% de vinagre. Misturar bem e acrescente.
Sirva sobre as folhas de alface.

HOROFUKI DAIKON
tradicional receita japonesa de nabo daikon, algas, missô e mostarda em grão.

Daikon em japonês significa "raiz grande", legume típico hoje da culinária japonesa, mas originário da Ásia central e do mediterrâneo. Existem textos antigos que relatam que os escravos egípcios produziam um creme de nabos no desjejum para assim obterem força o suficiente e aguentar o duro trabalho na construção das pirâmides. Não existem registros históricos de como ele chegou ao Japão, mas sim que a partir de IV A.C. já era um legume popular. É altamente desintoxicante e digestivo, um bom acompanhamento sem dúvida para os excessos alimentícios das festas do fim de ano.

Esta é uma receita bem antiga, com uma variante: a mostarda em grão.

Ingredientes
1 nabo pequeno
10 cm de alga kombu
3 colheres de sopa de mostarda em grão
1 colher de sopa de mirin ou saquê ou vinagre de arroz
1 colher de sopa de shoyu
1 colher de sopa de missô
1 colher de sopa de azeite
Preparo
Corte o nabo em rodelas de 2,5 cm, coloque-as em uma panela. Acrescente água até cobrir. Lave
a alga e coloque-a por cima. Ponha no fogo alto até ferver, baixe ao mínimo, e cozinhe de 10 a 12 minutos. O nabo deve ficar translúcido. Na hora de servir esquente novamente.

Para o creme
Coloque em uma panela pequena 3 colheres de sopa do suco do cozimento do nabo, acrescente a
mostarda, o saquê e o shoyu, cozinhe em fogo baixo por 5 minutos. Misture o missô com 1 colher
do suco do cozimento do nabo e acrescente na panela, cozinhe mais um minuto. Coloque 3 rodelas
de nabo em cada prato e acrescente o molho. Finalize com azeite. Este prato é bom quente, pode
ser preparado com antecedência e esquentar ambas as panelas na hora de servir.

ESPUMONE DE AMORAS ORGÂNICAS

Ingredientes
1 colher de chá de Agar-agar.
1 xícara de chá de suco de amoras
1 clara de ovo orgânica
1 colher de sopa de açúcar demerara

Preparo
Bata no liquidificador e coe (peneirar) as amoras junto com o açúcar. Acrescente o agar-agar
e leve ao fogo mexendo até ferver. Deixe ferver por 3 minutos. Bata as claras em neve. Acrescente muito devagar as amoras, mexa suavemente com movimentos envolventes até homogeneizar nossa espuma. Coloque em uma forma grande ou em pequenas vasilhas individuais. Levar a geladeira por 2 horas ou até ficar frio. (PARA 2 PESSOAS)

COULIS DE LARANJAS AO SAQUÊ

Ingredientes
3 laranjas
1 colher de sopa de saquê
1 colher de sopa de açúcar demerara

Preparo
Rale a casca de uma laranja na parte mais fina do ralador. Retire o suco das 3 laranjas.
Acrescente o açúcar. Coloque em uma panela e leve ao fogo médio até reduzir a 1/3 do volume.
Desligue o fogo e acrescente o saquê.

Guarde e coloque sobre o espumone na hora de servir

BROWNIE DE CHOCOLATE SEM LACTOSE
Chef Mauricio Saes

Ingredientes
225g de farinha de trigo integral
225g de farinha de trigo comum
15 g de fermento químico
150g de açúcar mascavo
150g de chocolate meio amargo
150g de chocolate branco
150g de nozes picadas
300 ml de leite de coco
100 ml de óleo de girassol

Preparo
Misture em uma bacia o açúcar e o óleo dissolvendo bem com uma colher de pau para não ficar
grumos. Peneire as duas farinhas diretamente na bacia de massa e misture. Acrescente o fermento e despeje, aos poucos, o leite de coco. Misture bem a massa e junte os chocolates e as nozes picados. Unte um tabuleiro com óleo e farinha de trigo, espalhe a massa e leve ao forno
pré-aquecido. Asse por 40 minutos em fogo médio ( 130 graus).

Para finalizar, gostaria de oferecer uma receita de um cozinheiro que adoro, um homem que
revolucionou a culinária de seu tempo e se atreveu a mostrar coisas que nada tinham a ver
com a concepção do que era uma mesa bem servida no seu tempo, entre outras coisas, promovendo a alimentação vegetariana.

Uma receita de LEONARDO DA VINCI, escrita nos seus dias como cozinheiro na corte de Ludovico
em Milão. Ele foi um gênio da culinária, e uma influência importante na minha formação como
cozinheira.

DOCE DE REPOLHO

"Pegue um repolho com o cuidado de escolher o que esteja mais seco, limpe e retire do seu
interior tudo aquilo que se moviemente. Corte-o em pedaços de 1 centimetro e coloque-o em
uma panela, junto com mel em uma proporção de 50% do seu peso, folhas de louro e folhas de
manjerona. Coloque a panela no fogo, coberta com um pano para que não entre fumaça, Uma vez
que esteja fervendo, deixe-a reduzir até que seu volume esteja a um terço do volume inicial
(não esqueça de ir retirando a espuma e mexendo continuamente com uma colher de madeira
grande). Ponha em diferentes recipientes e cubra com folhas de "ruipontico". Battista afirma
que é o acompanhamento ideal para uma ovelha morta ou uma "vaca apodrecida", porque melhora o sabor das carnes. Eu não estou de acordo, e não experimentei nenhuma delas"

Sugestão minha: ele é incrivelmente gostoso......esqueça do ruipontico, pode conservar em
vidros na geladeira por até 15 dias, ideal para acompanhar proteínas como tofu, seitan
e tempeh. Também como acompanhamento para torradinhas ou um simple arroz cateto!

Y UN EXELENTE 2012 PARA TODOS!!!!!!!!!!!!!!!!"

Consultas
http://www.claraaurora.blogspot.com/
http://www.ime.usp.br/~adolfo/aev/emusso.htm
http://www.restaurantemetamorfose.com.br/

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

GUANDU

Quando eu era criança na minha casa tinha um pé de guandu. Eu adorava retirar a vagem ainda verde e comer os grãos, ali mesmo no quintal. Quando eles já estavam crescidos minha avó pedia para eu ir lá e colher para comermos no almoço ou no jantar. Lembro que ela preparava do mesmo jeito que preparamos o feijão.
Na entrega passada foi oferecido o guandu. Não sei se chegou em outros núcleos mas em Niterói ele não deu "as caras".

Dizem que o guandu foi trazido da Índia ao Brasil e Guianas pelos mercadores de escravos.
Por aqui, a planta que, diferente dos outros feijões, tem formato arbustivo geralmente perene,
é também usada nos projetos de recuperação florestal e de solo.
Bastante rústica, a planta se mantém verde mesmo durante a seca, é um ótimo fixador de
nitrogênio do solo e ainda tem raízes que penetram na terra dura em busca de água profunda,
abrindo espaço para raízes mais frágeis de outras plantas, como o milho, por exemplo – por
isto é apelidada de “arado biológico”.

Quando for fazê-lo jogue fora a primeira água em que ele ferveu pois ela fica amarga e por isso não serve para cozinhá-lo.

RECEITA DE FAROFA DE GUANDU

Ingredientes
1 xíc de guandu cozido
1 colh de sopa de cebolinha
cebola
salsa
manteiga
2 xícaras de farinha de mandioca
Sal

Preparo
Frite a cebola na manteiga. Coloque o feijão cozido. Deixe refogar por 3 minutos, junte a
farinha de mandioca e os temperos. Deixe no fogo por mais 3 minutos. Está pronta a farofa.

RECEITA DE VIRADO DE GUANDU

Ingredientes
1 kg de guandu escolhido lavado
500gr de farinha de mandioca fina
300gr de tofu defumado picado
1 cebola grande
3 dentes de alho amassados
sal
pimenta a gosto
cheiro verde bastante

Preparo
Lave e cozinhe o feijão na pressão por 20 minutos, escorra e reserve. Refogue a cebola e alho sempre bem fritos até ficarem bem dourados e acresecente o tofu. Coloque o guandu, o sal e pimenta a gosto. Deixe refogar um pouco para pegar gosto dos temperos no guandu, vá aos poucos acrescentando a farinha de mandioca sempre mexendo, até o ponto de virado, não é muito molhado e nem muito seco como farofa.
Sirva com arroz e salada.

Fonte
http://www.receitinhas.com.br/receita/7876/farofa-de-feij-atilde-o-guandu
http://come-se.blogspot.com/2009/03/feijao-guandu.html

terça-feira, 22 de novembro de 2011

FEIJÃO DE CORDA II

Vejam como ficou bonito o meu Baião de Dois!
Agora que fiz dei uma adaptada a mais na receita.
Ficou uma delícia!

BAIÃO DE DOIS VEGETARIANO

Ingredientes
feijão de corda cozido e escorrido (reserve o caldo)
1 xícaras de arroz integral cozido (pode cozinhar o arroz no caldo do feijão)
1 cebola picada
colorau
2 dentes de alho picado
2 folhas de louro
salsinha picada
coentro picado
tofu assado ou queijo
sal
pimenta a gosto

Preparo
Refogue a cebola, coloque o alho e deixe começar a dourar, acrescente o colorau e adicione o feijão, o louro e água.Tempere com o sal e a pimenta e deixe cozinhar por uns 5 minutos na pressão. Precisa ficar ao dente. Escorra e coloque a salsinha, o coentro, o tofu (eu tinha um queijo frescal dos nossos produtores de Seropédica no freezer e coloquei no lugar) e misture no feijão. Adicione o arroz, misture, apure o sal e deixe mais uns 3 minutos em fogo baixo. Se quiser um pouco mais molhadinho coloque um pouco do caldo reservado.

TOFU ASSADO
Tempere o tofu picado a gosto, embrulhe no papel alumínio e leve para assar em forno médio
por 30 minutos.

Redeita adaptade de
http://cozinharconsciente.blogspot.com/2009/08/baiao-de-dois-vegetariano.html
http://sonhodocesonho.blogspot.com/2011/03/tofu-assado.html

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

FEIJÃO DE CORDA

Essa semana tivemos feijão de corda. Nunca fiz nem comi.
Primeiro perguntei a minha consultora associada italiana e ela me disse que se poderia fazer uma sopa e também refogadinho.
Agora parti para a pesquisa na internet porque comprei e quero ver como fazer.
Vi que feijão de corda é o mesmo feijão fradinho, só que um é fresco e o outro é seco.
Hum! Eu não gosto de feijão fradinho...
Pra começar, experimentei o caldinho.
Na hora que estava cozinhando, aquele cheiro característico...
Pensei que não ia gostar mas até que gostei.
O próximo agora que vou experimentar vai ser o Baião de Dois.


FAROFA DE FEIJÃO DE CORDA

Ingredientes
1 kg de feijão de corda fresco
cheiro verde
coentro picado
1 cebola
1 alho
colorau
cominho
farinha de mandioca
sal

Preparo
Cozinhe o feijão com pouca água na panela de pressão por 10 minutos, retire do fogo e escorra.
Refogue a cebola (eu estou refogando sem gordura), acrescente o alho, cominho, colorau e, por
último o feijão escorrido, deixe pegar um pouco de gosto e depois coloque a farinha, a salsa, o coentro, misture e é só saborear.

SALADA DE FEIJÃO DE CORDA I

Ingredientes
200 g de feijão de corda cozido ao dente
1 cebola picada
1 dente de alho bem picado
3 colheres de sopa de coentro picado
sal a gosto

Preparo
Misturar bem todos os ingredientes. Confira o sal. Acrescente outros ingredientes de salada que gostar. Levar à geladeira por 3 horas ou mais.


SALADA DE FEIJÃO DE CORDA II

Ingredientes
2 xícaras de feijão de corda
1 folha de louro (opcional)
1 talo de aipo picado
1 cebola picada
2 colh sopa de cebolinha picada
1 colh sopa de coentro picado
1 xícara de queijo cortado em cubos pequenos
Sal a gosto

Preparo
Cozinhe o feijão de corda na água com sal e com a folha de louro. O feijão não deve ficar muito mole. Escorra, ponha numa vasilha grande e espere esfriar. Misture o feijão com o restante dos ingredientes (eu coloquei palmito, azeitona preta, cebola picada, coentro e cheiro-verde). Cubra a vasilha e deixe-a na geladeira por pelo menos 30 minutos.



CALDINHO DE FEIJÃO DE CORDA

Ingredientes
1 cebola média picada
2 dentes de alho picados
2 folhas de louro
feijão de corda
1 pimenta vermelha picada sem sementes
Sal a gosto
cheiro-verde picado

Preparo
Na panela de pressão, refogue (sem óleo) a cebola, depois o alho até que doure. O fundo da panela vai ficando com aquele ferrugem do refogado, pingue um pouquinho de água. Misture,
acrescente o louro, o feijão, a água, o sal e a pimenta (que eu não coloquei) e deixe cozinhar por 10 minutos. Retire do fogo, bata o feijão, sem o caldo, no liquidificador e passe por uma peneira (passei, mas sinceramente não vi tanta necessidade disso). Volte ao fogo, vá acrescentando o caldo até ficar na consistência desejada, deixe ferver e em seguida sirva decorado com o cheiro-verde.
Obs: Uma outra opção e preservar a água do cozimento e engrossar o feijão com farinha de mandioca...

Estou acrescentando a receita que nossa associada, Renata, me enviou.
"Essa è una antiga, ótima receita italiana"

FEIJÃO DE CORDA REFOGADO
Ingredientes
cebola
aipo
salsa
polpa de tomate
sal
pimenta (opcional)

Preparo
Cozinhe o feijão. Em outra panela refogue as ervas picadas em pouco azeite e acrescente a polpa de tomate, sal, pimenta. Acrescente o feijão cozido e refogue tudo junto (coloque um pouco da água do feijão se precisar).

Obrigada, Renata! Valeu!

Receitas adaptadas
http://iserv.com.br/culinaria/Farofa_de_feijao_de_corda_564.asp#ixzz1eGkwHW7J
http://www.receitas.com/salada-de-feijao-de-corda-do-fernao-4d50633252e0b252bc00072d
http://allrecipes.com.br/receita/3517/salada-de-feij-o-de-corda-com-queijo-coalho.aspx
http://cantinhovegetariano.blogspot.com/2008/10/caldinho-de-feijao.html

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Cozinhando sem Óleo - Pizza de Aipim

Pessoal,
Esse final de semana participei do Curso de Alimentação na casa da minha terapeuta, Rosele, lá em Petrópolis.
Foram 3 dias muito ricos tanto em informações, quanto em prática.
É um novo modo de fazermos os alimentos, totalmente sem óleo.

Todo o trigo do mundo está impróprio para nos alimentarmos. Não existe mais milho amarelo e trigo puros, tanto que no trigo eles já estão colocando o nome de Triticale. Só os de semente crioula não estão geneticamente modificados.
Mais um motivo para fortalecermos os produtores familiares e o banco de sementes!

PIZZA DE AIPIM

Ingredientes da Massa
aipim
sal

Preparo
Cozinhar o aipim sem sal. Amassar com garfo, colocar sal. Vai molhando a mão e abrindo a massa no tabuleiro. Assar, até secar, mais ou menos 30min. Colocar o recheio depois.

RECHEIO DA PIZZA

ABOBRINHA – castanha do Brasil ralada, abobrinha, orégano, cebola
RÚCULA - castanha do Brasil ralada, alho poró, rúcula, orégano
Levar ao forno sem a castanha. Salpicá-la quando retirar do forno.

sábado, 22 de outubro de 2011

RISOTO

A APRUCARE é uma Associação dos Produtores Rurais de Campo Redondo, fundada há mais de 10 anos, com a intenção de mobilizar os pequenos produtores deste bairro rural, na época somente
produtores de leite, para uma melhoria na sua qualidade de vida, a partir de mudanças desde
o manejo de sua atividade, assim como da diversificação na administração de seus negócios.
Foram alcançadas algumas metas propostas inicialmente, outras foram sendo mudadas como
conseqüência do caminhar.

A principal dificuldade dos pequenos produtores rurais foi sempre comercializar seus produtos
na cidade por um preço justo, já que o custo de transporte e logística são altos quando se
tem uma produção pequena.

Por isso são de opinião de que iniciativas como a Rede Ecológica são muito importantes e
deveriam ser multiplicadas entre os consumidores que têm essa preocupação com a questão
socio-ambiental do planeta.

Neste mês de outubro ela nos fornece milho e ervilha congelados.

Perguntei ao Pedro sobre os produtos e ele me enviou a seguinte resposta: "os dois produtos
estão "pré- cozidos" , isto é , foram passados por uma rápida fervura.
O milho, na verdade, um pouco mais... Depois desse processo eles são congelados e só....
Não foi adicionado nada de tempero, nem sal.

Podem ser usados "no risoto, a ervilha pode cozinhar junto com o arroz, se for branco, já
no arroz integral, pode colocar um tempo depois, pra não cozinhar demais."

Seguindo a sugestão do Pedro, vamos à receita.

RISOTO

Ingredientes
arroz integral já pronto
milho e ervilha cozidos no vapor
alho ou cebola
azeite
tomate cereja cortados ao meio
farofa de castanha do Brasil
molho shoyo
sal

Preparo
Refogue o alho ou a cebola até dourar, coloque o milho e a ervilha, misture, coloque o arroz, vá misturando, acrescente o tomate cereja, o shoyo, a castanha do Brasil e apure o sal.

Receita adaptada de http://www.eurooscar.com/YouTube/risoto_vegano.htm

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

"OMELETE" DE BATATA (SEM OVOS)

Recebi hoje a Revista dos Vegetarianos e como nessa quinzena temos batata inglesa na Rede,
aqui vai uma sugestão interessante.

"OMELETE" DE BATATA (SEM OVOS)


Ingredientes

2 batatas cortadas em rodelas de aproximadamente 0,5 cm
1/2 cebola picada em cubos bem pequenos
2 dentes de alho picados
2 tomates firmes e sem sementes picados em cubinhos
coentro picado
sal
pimenta a gosto
1/2 xíc de far de trigo
1/2 xíc de água
3 colh sopa de azeite

Preparo
Frite ou cozinhe as rodelas de batata e reserve. Em uma tigela, misture todos os outros ingredi
entes, mas coloque a fainha aos poucos,até que tenha uma massa um pouco mais grossa que massa de
panqueca. Acrescente as batatas e misture. Em uma frigideira com um fio de óleo, espalhe e
molde a massa. Frite dos dois lados até dourar.

Rende 1 "omelete" grande

Fonte: Revista dos Vegetarianos - outubro 2011
Receita do Chef do Restaurante Loving Hut em SP, André Vieland.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

BOLO DE CASTANHA-DO-BRASIL

Para comemorar o aniversário de 10 anos da Rede este mês, aí vai a receita de um bolo.

BOLO DE CASTANHA-DO-BRASIL

Ingredientes
3/4 de xíc de far trigo
3/4 de xíc de far trigo integral
3/4 de xíc de açúcar demerara
1 de xíc de água (ou leite de soja)
1/4 de xíc de óleo
1/2 xíc de castanha moída na hora (ou bem picada)
1 colh chá de fermento em pó
1 colh café de bicarbonato de sódio

Preparo
Em uma tigela, junte a farinha, o açúcar, a água e o óleo. Misture bem até incorporar todos os
ingredientes. Acrescente a castanha, misture e, em seguida, junte o fermento e o bicarbonato,
mexendo com delicadeza só até incorporar. Coloque a mistura em uma froma pequena untada com óleo e farinha e leve para assar em forno preaquecido por aproximadamente 30 minutos.

Rende 8 porções

FONTE REVISTA DOS VEGETARIANOS - MARÇO DE 2011

terça-feira, 27 de setembro de 2011

MOLHO PESTO COM PINHÃO

A época do pinhão já se foi e esta receita foi ficando, em detrimento de outras que apareceram.

Nos meses de maio e junho, as pinhas estouram ao sol do meio-dia, possivelmente como reflexo da dilatação após a manhã fria. Com o estouro estes pinhões espalham-se num raio de aproximadamente cinquenta metros a partir da planta mãe. Mas, apesar de engenhosa, esta não
é a principal forma de disseminação desta notável planta. O homem e os animais que se alimentam desse pinhão também atuam no transporte e disseminação das sementes. Os serelepes (esquilo) costumam armazenar os pinhões, enterrando grande quantidade de sementes no solo. Essas sementes acabam sendo esquecidas e assim geram novas árvores. Apesar da crença de que a gralha-azul dissemina o pinhão, na verdade são os pequenos roedores terrestres os principais vetores.
Em Santa Catarina o pinhão é talvez a comida mais típica do estado, sendo consumido assado ou
cozido.
No Paraná, cujo pinhão é símbolo do estado, são feitos os doces de pinhão, é comido como aperitivo e em várias sobremesas. Existem até mesmo diversas "festas do pinhão", que são
festivais culinários que se realizam em cidades onde há a ocorrência da araucária.

Embora no passado o pinhão tenha feito parte da dieta dos índios guarani, a coleta para o consumo humano não é recomendada e é até coibida em algumas épocas e locais. Isto ocorre
porque os animais silvestres necessitam do pinhão como suplemento alimentar, para enfrentar
o inverno. O grande consumo humano poderia, portanto, prejudicar a perpetuação dessas espécies animais - assim como a da própria araucária.

Sugestão: colocar pinhão processado no bolinho de arroz.

PINHÃO COZIDO
Ingredientes
1 kg de pinhões escolhidos
1 litro de água
4 colheres de sopa de sal

Preparo
Lave muito bem os pinhões. Coloque em uma panela de pressão água e sal. Misture e acrescente os pinhões, tampe e leve ao fogo. Tão logo consiga pressão na panela, abaixe o fogo e cozinhe por 40 minutos.

MOLHO PESTO COM PINHÃO
Ingredientes
pinhões cozidos triturados, se passar no liquidificador, só pulsar
mangericão
alho
azeite
sal

Preparo
O ideal é socar no pilão mas você pode passar no liquidificador o azeite, o alho e o manjericão e depois misturar o pinhão triturado. Apurar o sal.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

DICAS DE BELEZA E HIGIENE

Minha pele ficou muito ressecada nesse inverno. Pensei em passar azeite, óleo de girassol... mas fiquei em dúvida e, contrariada, porque sei que só devemos passar na pele o que podemos comer, acabei passando um hidratante artificial que alguém tinha me dado de presente.
Para minha alegria saiu uma matéria na Revista dos Vegetarianos de julho/2011, Beleza Pura, com muitas dicas interessantes, que me deixou animada para experimentar. Agora estou passando óleo de girassol prensado a frio. Aquele que a gente usa para bochechar.
Descobri também que existe um batom de manteiga de cupuaçu que pode até ser ingerido. Não é o máximo?!

O Rafael Ninno Muniz (educador ambiental e pesquisador de energias alternativas) nos dá as dicas.

DESODORANTE
Ingredientes
100ml de água filtrada
100ml de álcool de cereais
1 colh café de bicarbonado de sódio
algumas gotas do óleo essencial que preferir (opcional)

Preparo
Mistura-se primeiro o óleo com o álcool para que ele possa dissolver, depois coloca
a água. Pode colocar também o PasBas (feito com cravo, canela e bicabornato de sódio).
O perfume fica delicado.

OBS: Eu gosto de usar os óleos da Laszlo, que sei que são naturais e uso até internamente. No que fiz coloquei lavanda, que adoro! Como eu tinha um frasco de 90ml apenas, usei 20ml de medida que é o vidrinho que está na foto, coloquei 2 vidrinhos de álcool, 10gts do óleo de lavanda e misturei bem, mais 2 vidrinhos de água e uma colher de cafezinho, rasa, de bicarbonato.

SABONETE E SHAMPOO
O sabonete e shampoo pode ser feito com o pó antisséptico base (PasBas). Em ambos dá para misturar algumas gotinhas do óleo de copaíba, que faz a maior diferença. Em sua apostila, que você pode baixar gratuitamente no site, ele nos diz para começar a "substituir imediatamente o shampoo por causa do Éter Lauril pois é um químico muito forte e agressivo". A espuma em demasia acaba removendo a camada natural de hidratação da pele.

A receita que ele dá é a seguinte:
Faça um chá com erva de sua preferência na quantidade que for usar em um banho (uma garrafa
de 200 ml de chá, por exemplo). As ervas recomendadas e testadas para xampus são: Alecrim, Arruda, Bardana, Camomila, Gengibre, Jaborandi e Sálvia.
Nessa garrafada coloque uma (01) colher pequena (pitada) do Pó Anti-séptico Básico (PasBas).
Agite bastante e deixe esfriar. Está pronto para uso, lavando os cabelos com todo o conteúdo
preparado.

Cabelos secos: coloque mais cravo-da-índia;
Cabelos oleosos: use mais canela no lugar do cravo;
Cabelos mistos: use cravo e canela em equilíbrio.
Para todos os tipos de cabelos, utilize sempre o juá em maior quantidade, que é neutro e bastante anti-séptico, rico em saponinas, elementos que produzem espuma.

O óleo de copaíba é útil para aplicar nas pontas de cabelos oleosos e o óleo de andiroba para as pontas de cabelos secos.

CONDICIONADOR
Para condicionamento capilar é possível usar as ervas, frutas ou óleos diretamente, sem a
necessidade de aquecimento, infusão ou maceração.

HIDRATANTE
Duas gotinhas do óleo e uma colher de sobremesa de óleo de coco é um ótimo hidratante para
as mãos.
A polpa do abacate é oleosa e umectante. Aplicada com um algodão, remove as impurezas dérmicas.
Esmagado e friccionado pelas mãos é uma excelente loção. Funciona como bronzeador solar e
hidratante.

OBS: Minha única dúvida é se não ficamos grudentas, adocicadas...

PÓ ANTI-SÉPTICO BÁSICO (PasBas)
½ Juá; ¼ Cravo; ¼ Canela
Leva esse nome pois é a base para a formulação dos xampus, desodorantes, talco para os pés
e pasta de dente. A idéia principal é fazer um composto rápido de confeccionar, simples de
usar e fácil de transportar. Na sua formulação pessoal, ele utiliza pó de juá, cravo em pó e
canela em pó. Mas fica aqui aberta a proposta de que cada um chegue a uma fórmula pessoal,
usando elementos anti-sépticos e aromáticos. Como opção a esses 3 citados temos o gengibre
e a berinjela (ambos em pó).
Para fazer o pó da beringela, coloque uma berinjela inteira no forno até torrar e depois triture até virar um pó.

MAIS HIDRATANTES
Óleo vegetal de coco, gergelim, semente de uva, abacate, amêndoa ou mesmo azeite.
Eles também servem para remover maquiagem, limpar o rosto e deixar sedosos os cabelos.
A casca da manga, sempre jogada fora, funciona muito bem como hidratante.
Bata um pouco de aveia com água, até ficar com consistência de creme. Está pronto o chamado
“leite de aveia” natural, excelente hidratante!

MAIS DESODORANTE
Pode colocar uma pitada da PasBas em cada axila ou fazer um preparado para 50ml de volume,
colocando 7 gotas de óleo vegetal de Copaíba (fixador) + 3 gotas de óleo essencial de Manjericão + 2 gotas de óleo essencial de Tangerina. Também pode-se usar como fixador o óleo de Patchoulli: 5 gotas de Patchoulli + 2 gotas de óleo essencial de Alecrim + 2 gotas de óleo essencial de Laranja.

Para a função de talco anti-séptico para os pés, uma pitada do mesmo PasBas dentro da meia ou sapatos é suficiente. Isso combate também frieiras e previne rachaduras, além de eliminar o mau cheiro.

PROTETOR SOLAR
A polpa do abacate funciona como bronzeador solar e hidratante, que deve ser utilizado com
cautela por pessoas de pele clara.

Quando vou ao clube pegar sol, uso água de coco como hidratante e protetor solar, foi uma sugestão da Terapeuta Rosele.

LIMPESA BUCAL
PARA ESCOVAR

Faça uma mistura de Argila (3/4) + Bicarbonato de Sódio (1/4).

DEPOIS USE O SPRAY
Num frasco spray de 30ml, coloque álcool de cereais (apenas um pouco para diluir os óleos), acrescente 2 gotas de óleo essencial de Tea Tree, 3 gotas de óleo essencial de Menta e 1 gota de óleo essencial de Cravo. Complete com água filtrada.

Carol Daemon, sugere duas práticas diárias: "besuntar óleo natural ao redor dos olhos e nas
pontas dos cabelos antes de dormir e, ao acordar, lavar o rosto com água fria e enxaguar os
cabelos com vinagre de maçã ou limão após a lavagem." Importante ter o cuidado de não deixar respingar limão na pele e sair ao sol.

BABOSA
Colher, lavar, tirar o miolo e bater no liquidificador.
Dá para cultivar a babosa em um vaso, se você mora em apartamento. É fácil de cuidar. A polpa é gosmenta e bastante liquefeita. Funciona super bem para passar no corpo ou nos cabelos.

ESFOLIANTE
Para preparar um esfoliante, misture a babosa com fubá e argila em pó. Em cinco minutos a
mácara está seca e, com a ponta dos dedos, dá para tirar a mistura.

IMPORTANTE
"Ao usar produtos caseiros, tenha muito cuidado. Faça um teste preliminar na pele do braço
e não se exponha ao sol."

A vontade era colocar mais coisas ainda mas entrem no site do Rafael, Cosmética Viva, vá em Biblioteca, clique no círculo da direita e vejam mais dicas interessantes que ele tem na apostila.

Fonte
http://cosmeticaviva.energialudica.org
http://www.laszlo.ind.br/default.asp

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

CHARUTINHO DE REPOLHO


HISTORINHA DO REPOLHO
Devido as confusões ocorridas na entrega passada, vou contar-lhes uma historinha.

Ator principal: o REPOLHO!

Ele nasce aberto, como uma flor e vai fechando, fechando como podem ver na foto. Suas folhas
são verdinhas porque têm clorofila, que é uma dádiva oferecida pelo nosso gradioso sol.
Quando ele acaba de fechar, colhe-se e ele vai para o Mercado.

O que o Mercado faz?

Pega o Repolho e retira todas aquelas folhas verdinhas, cheias de clorofila, joga fora, te dá algo branco, mais bagaço que outra coisa e lhe diz que é repolho.
Você acredita, pensa que "aquilo" é repolho, de verdade, e quando vê um Repolho de Verdade,
não consegue reconhecê-lo, desprezando-o.

Foi o que aconteceu. Acreditem, não levaram o repolho! Acharam que o repolho de verdade não
era repolho! Eu quase não acreditei quando Elielton me contou!

Depois de mandar essa historinha para o pessoal do núcleo, Paulinha me respondeu: "Acabei de
descobrir que posso ser amiga de repolho! Gostei da historinha! bjs"

Escolhi então para homenagear o lindo repolho, uma receita que gosto muito, que já fiz com recheio de arroz. Essa que vou colocar, vi na Revista dos Vegetarianos. Esse é um prato originário do Líbano.

CHARUTINHO RECHEADO

Ingredientes
5 folhas de repolho
4 abobrinhas cortadas em cubinhos
sal a gosto
1/2 xíc castanha do Pará em lâminas
1 1/2 colh sopa de salsinha picada
1 1/2 colh sopa de endro dill fresco (eu nunca consigo encontrar)
1 colh sopa de cebolinha picada
azeite
1 colh sopa de óleo de linhaça
2 colh sopa de passas escaldadas e picadas ao meio
1 colh sopa de suco de limão
1/2 colh chá de pimenta rosa
1/4 colh chá de sal
1/2 colh chá de alho picado

Preparo
Em uma panela com água fervente, coloque as folhas para escaldar por um minuto. Reserve.
Coloque as abobrinhas em uma vasilha e salpique um pouco de sal. Deixe descansar por 10 minutos. Em seguida, gentilmente esprema as abobrinhas para remover seu líquido. Incorpore o restante dos ingredientes às abobrinhas com a metade das castanhas. Corte o centro das folhas de repolho para remover a parte mais dura da folha e corte ao meio. Recheie cada metade da folha colocando 1/2 colher de sopa das abobrinhas sobre cada folha e enrole dorando as laterais pressionando levemente para que o rolinho fique firme. Sirva com o molho cítrico de laranja (receita no outro bloco abaixo) e as castanhas restantes por cima.

Rende 15 a 20 charutinhos

MOLHO CÍTRICO DE LARANJA

Ingredientes
1/4 xíc de suco de laranja
1/4 xíc de azeite
1 colh sopa de suco de limão
1/2 colh chá de sal
1/2 colh chá de açúcar mascavo
1/2 colh chá de alho picado

Preparo
Misture todos os ingredientes numa tigela e reserve.
Este molho faz parte da receita do charutinho de repolho.

Fonte
Revista dos Vegetarianos de junho de 2011 da Chef Tatiana Cardoso, sócia do Restaurante
Moinho de Pedra, em são Paulo. www.moinhodepedrarestaurante.com.br

TORTA DE AIPIM

Nosso aipim tem estado maravilhoso! É só constatar pela foto. Cozido em pouco tempo e sem ser na pressão.
Essa semana recebemos uma variação: o aipim ralado.
Julia me disse que iria experimentar e me enviaria a receita.
Por uma questão de marcação do blog, separei a doce da salgada, portanto está em dois blocos.

"Oi, Rosangela, como prometi, aí vão as receitas. Fiz um bolo doce ontem e comemos tudo -
ontem! Aline ficou comendo como uma louca :-)
Este aipim da Terra Prometida promete mesmo! Não sou brasileira e sei muito pouco sobre aipim, na teoria. Mas eu gosto de comer, e este aipim achei sensacional! Procurei receitas para uma torta salgada, mas todas elas usam aipim cozido e eu queria usar o aipim ralado. Enfim, me deixei inspirar pelo que tinha na cozinha e aí vai o resultado...
Beijos,
Julia"

TORTA DE AIPIM - SALGADA, MAS NÃO TANTO

Ingredientes
1kg de Aipim ralado
3 cebolas grandes
1 ovo
1 molho de salsa lisa (picada)
sal
pimenta do reino
nós-moscada
azeite

Preparo
Cortar a cebola em pedaços de tamanho médio, fritar em azeite (não experimentei com azeite de babaçu, mas isso farei da próxima vez) até ficar dourada. Bater o ovo até ficar uma espuma leve. Misturar tudo. Colocar numa forma untada e assar primeiro em fogo alto, depois médio, por 1h30min (de fato não olho para o relógio, mas lembro que foi bastante, sempre vou pelo desenvolvimento da massa no forno, dou uma experimentada com uma faca).

A Torta tem um sabor bem doce pela cebola e a salsa lisa...

Mais abaixo você encontra a continuação, com a receita do Bolo.

BOLO DE AIPIM COM COCO

Essa é a continuação da receita de Julia.

BOLO DE AIPIM COM COCO - DOCE, MAS NÃO TANTO

Ingredientes
1kg de aipim ralado
1 coco inteiro
mel à vontade
leite de coco
um pouco de fermento (nem sei se precisa)


Preparo
Fazer o leite de coco, seguindo as instruções do blog ( http://ecosdarede-receitasecologicas.blogspot.com/search/label/Leite%20Vegetal ), acho bom usar menos água, talvez uns 700ml. Misturar o aipim, a polpa de coco, o mel, um pouco do leite de coco e, se quiser, o fermento. Colocar numa forma untada e deixar assar primeiro em fogo alto, depois médio por bastante tempo (a mesmo regra da receita da torta salgada, vai pela massa).

Julia fez novamente o bolo e me mandou essa "alteração na receita: de fato não se precisa do fermento! Ontem eu fiz simplesmente assim: 01 coco (mas usei pouca água para fazer o leite, no máx. 400 ml), 1 kg de aipim ralado e 8 colheres de sopa de mel. Tem que ser uma sopinha mesmo, a massa não pode ser seca. Deixar assar por um bom tempo, 90 min (metade em fogo alto, outra em médio). Saiu muito melhor que o primeiro :-)"

Obrigada, Julia, pela contribuição! Valeu!

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

VINHO QUENTE NA REDE???


Assisti, no programa da Eliana, o quadro "Receitas Divertidas para fazer com as crianças" com a Sueli Rutkowski. Entrei no site e vi também essa receita que estou postando.
Como na Rede não temos vinho mas temos um suco de amora delicioso e não tenho receita nenhuma com ele aqui no Blog, resolvi adaptar e ver como ficava.
Quis fazer logo, aproveitando que esfriou novamente e antes que o calor voltasse!
O suco de amora da Rede vem da Aprucare (Associação dos Produtores Rurais de Campo
Redondo).


VINHO QUENTE SEM ÁLCOOL

Ingredientes
3 xícaras (chá) de água
6 cravos
6 pedaços de canela
1 xícara (chá) de gengibre picado
3 xícaras (chá) de suco de amora concentrado

Preparo
Em uma panela coloque a água, o cravo, a canela e deixe ferver. Acrescente o gengibre picado e deixe ferver um pouco mais. Junte o suco de amora, abaixe o fogo e deixe por mais alguns minutos. Retire do fogo, coe e sirva em seguida.

OBS: A primeira vez fiz com uma calda com açúcar mascavo, como manda a receita original, mas como o suco de amora já vem adoçado, ficou doce demais. A segunda vez fiz como está acima, para oferecer a Camila, que está fazendo sua monografia sobre a Rede e veio aqui em casa me entrevistar. Ela aprovou a receita!

Fonte
http://redeecologicario.org/aprucare/
http://eliana.uol.com.br/programaeliana/categoria/receitas-da-sueli/

FUNCHO

Na entrega de antes de ontem o ti-ti-ti foi sobre o Funcho. É que Adriana errou na mão e, ao invés de pedir 1 funcho, saíram 11 na planilha. O pessoal, para ajudá-la, comprou e queria saber como se comia.

Eu costumo comer cru, na salada. Aprecio daquele gostinho, mentolado que fica na boca mas sei que podemos fazer chá também.
Combinei então, que ia pesquisar e colocar algo no Blog.

Descobri que o Funcho é frequentemente utilizado em pequenas quantidades na cozinha mediterrânea como planta aromatizante, consumido fresco, como parte de saladas.
O funcho pode também ser incorporado a sopas, em particular sopas destinadas a serem consumidas frias. Um dos pratos típicos dos Açores é uma sopa de feijão e inhame com folhas e caules tenros de funcho, que eu adaptei.

É frequente o seu uso como aromatizante em molhos, conservas de vegetais e outros preparados semelhantes. Usado em baixas concentrações dá um aroma e sabor discretos, semelhante ao mentolado, bastante mais suave e doce.

A receita da salada com laranja conta que foi tirada de um livrinho de Tapas.
Lembrei da minha viagem à Espanha... Pesquisando as comidas típicas espanholas, conheci as Tapas e quando estava lá, eu e meu marido, provamos uma. Vimos que as Tapas são aperitivos, que podem se equiparar as nossas porções, só que as Tapas vêm variadas e em menores quantidades. Beeem menores!!!

Segundo o Chef Jamier Oliver o funcho pode ser cozido, frito, assado... servindo com azeite,
manteiga e tempero. Coloquei também sua receita de funcho assado.

SOPA DE FEIJÃO E FUNCHO

Ingredientes
500g de feijão branco
1 pedaço de tofu defumado
1 folha de louro
1 pau canela
1 cebola
2 dentes de alho
Rama de funcho
Sal
Água

Preparo
Deixar o feijão de molho cerca de 12 horas (li que devemos deixar o feijão de molho de 8h a 12h para eliminar as toxinas). Cozinhar em água, com louro, cebola, alho, canela, tofu e sal (se usar panela de pressão, quando o vapor começar a sair conte apenas 5 minutos). Retirar o tofu , o pau de canela e a folha de louro. Triturar o feijão, a cebola e o alho, com a água da cozedura. Adicionar água quente, até a sopa ficar com a consistência desejada. Juntar a rama de funcho picada (eu voltaria com o tofu picado também. Levar a sopa ao fogo até levantar fervura.



FUNCHO ASSADO

Ingredientes
3 bulbos de funcho, sem os caules e folhas, cortados de qualquer forma
folhas do funcho picadinhas
alho picado
sal
pimenta
1/4 de tablete de manteiga


Preparo
Pegue os bulbos cortados e coloque em uma assadeira, jogue as folhas picadinhas por cima, o alho
picado, dá uma misturada. Coloque uma boa pitada de sal e pimenta, misture de novo. Espalhe
pedacinhos de manteiga por cima. Jogue um pouquinho de água por cima para que os pedaços se unam. Leve ao forno, se preferir, coberto com papel alumínio (ele usou um outro papel mas não conheço) e asse, por 30 a 40min na temperatura de 220ºC a 230º C.

TAPAS - SALADA DE LARANJA E FUNCHO

Ingredientes
4 laranjas sumarentas e grandes
1 funcho grande e tenrinho
1 cebola média em rodelas
2 colh sopa de azeite
1/2 xíc de azeitonas pretas descaroçadas
1 haste de salsa picada

Preparo
Descascar as laranjas, remover as partes brancas e cortar rodelas finas. Reservar. Cortar o funcho em tiras finas. Cortar as azeitonas também em rodelas. Misturar todos os ingredientes cuidadosamente. Temperar com azeite e salpicar com salsa.

FUNCHO COZIDO

Ingredientes
Funchos


Preparo
Corte a rama e a base do caule de modo a não separar as folhas. Ponha de molho em água com
vinagre durante 15 minutos. Escorra e introduza os bulbos em água fervente, temperada com
sal. Deixe cozinhar até os dentes do garfo penetrarem no bulbo com relativa facilidade. Escorra e passe rapidamente por água fria.

Mais uma salada de funcho, essa com azeitonas, prato típico do Marrocos.

SALADA DE FUNCHO E AZEITONAS

Ingredientes
2 bulbos de funcho
Azeitonas pretas
Pimenta malagueta em pó
Salsinha moída
Suco de limão
Azeite
Sal marinho

Preparo
Retire a base do bulbo e elimine as folhas externas. Reserve as folhas para a decoração. Lave os bulbos com água fria e corte em lâminas finas. Disponha as lâminas no prato e adicione as azeitonas em cima.

Molho
1 colher (sopa) de suco de limão
3 colheres (sopa) de azeite de oliva

Preparo
Misture até formar uma emulsão e tempere com sal e uma pitada de pimenta. Adicione a salsinha e derrame o molho sobre o prato.

Saiba mais em:
http://www.clickgratis.com.br/receita/entradas-e-aperitivos/funcho-cozido.html#ixzz1ViOUSbr1
http://threefatladies.blogspot.com/2008/10/sopa-de-feijo-e-funcho.html
http://pt.petitchef.com/receitas/tapas-salada-laranja-funcho-fid-755532
http://gnt.globo.com/receitas/Cozinha-Mediterranea--Salada-de-funcho-e-azeitonas.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/Funcho


Para ver a receita do Funcho assado em vídeo
http://www.petiscos.com/receita.php?catid=34&recid=18008

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

CATALONHA

Temos tido Catalonha na Rede. Ela tem uma folha linda!
Como já houve gente que me perguntou como é que se come, resolvi postar hoje umas receitinhas com ela.
Da mesma família da chicória, almeirão , alface, dente-de-leão e serralha. Segundo nossa associada italiana, Renata, na Itália ela se chama chicórea e a chicórea se chama escarola, que aqui também é uma outra verdura.
É mais amarga que o almeirão. Devido a este sabor amargo, que é eliminado durante a fervura, a catalonha deve ser cozida por muito tempo com bastante água.

PARA FAZÊ-LA COZIDA
Coloque-as na água fervendo, deixando cozinhar em fogo lento por 10 minutos. Escorra a água e repita o processo mais uma vez. Escorra novamente as folhas espremendo bem, para retirar toda a água. Ao prepará-la, escorra bem antes de adicionar tempero. Além das folhas, os talos também são utilizados.
Em uma panela aqueça o azeite e doure o alho, coloque as folhas de catalonha, refogue e, se precisar, acrescente sal a gosto.

SALADA I
Limpe a catalonha cuidadosamente e, depois de cortá-la em pequenas fatias, mergulhe-as numa tigela com água fria e coloque na geladeira por 1 hora. Transcorrido esse tempo, escorra muito bem e ponha na saladeira. Tempere-a com azeite, sal e caldo de limão.

SALADA II
Doure alho espremido no azeite e acrescente tomates secos, cortados em tirinhas. Com esse composto, tempere a catalonha já preparada como na receita anterior.

FAROFINHA DE CATALONHA

Ingredeientes
1 maço de catalonha
2 xícaras (chá) de farinha de milho ou de mandioca
4 colheres (sopa) de azeite
1 cebola

Preparo
Depois de escolhida, lavada e cortada bem fina, leve a catalonha a cozinhar em água e sal por 10 minutos. Escorra bem e reserve. Faça um refogado com o azeite, alho e cebola, coloque a catalonha, depois de refogada acrescente a farinha e deixe ficar com consistência de farofa. Adicione sal a gosto.

Nota
Cheguei ao blog da Kris http://www.cozinhandopararelaxar.com/2011/04/voce-conhece-catalonha.html que me remeteu ao blog da Lisa. Lá tem uma mensagem linda! Vale a pena conferir!
http://lisasukys.blogspot.com/2009/07/catalonha-nao-desperdice-o-seu-dia.html

terça-feira, 9 de agosto de 2011

BEM-VINDOS! WELCOME! BIENVENUE! WILLKOMMEN! BIENVENIDOS! BENVENUTO!

Não essa não é mais uma receita!
Agora nossos seguidores e afins já podem ver o blog no seu idioma ou naquele que preferir.
É mais uma gentileza da Claudia Marcelino.
Há tempos que eu estava querendo colocar tradução para outros idiomas no nosso blog.
Hoje, ela me deu umas dicas a respeito dos links nas postagens e, como vi que no seu blog tinha essa opção, explorei-a mais um pouquinho pedindo que me dissesse o que fazer.
Mais uma vez, obrigada, Claudia!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

LEITE VEGETAL DE COCO

Depois que postei a mousse, pensei que poderia ser que algumas pessoas não soubessem fazer o leite de coco natural. Como nunca fiz, fui pesquisar e escolhi a receita que encontrei no Blog da Claudia Marcelino.
O motivo dessa escolha se deve ao fato da Claudia ser uma pessoa que tem um filho Autista e descobriu que uma dieta isenta de glúten, leite animal e aditivos químicos poderia ajudar no tratamento do seu filho.
Isso me remeteu a uma experiência que acompanhei, na escola onde trabalho, com uma criança do maternal, que a professora identificou características de autismo, encaminhou para avaliação
e foi comprovado.
Essa mãe, Nutricionista, começou a tratá-lo com uma dieta e a criança teve um progresso enorme.
Na época, eu nunca tinha ouvido falar da relação entre autismo e alimentação.
Fico emocionada até hoje, ao lembrar do ano seguinte, quando ele estava no Jardim I, com um brinquedinho na mão, eu passei, o seu "tutor" me chamou e perguntou para ele o que era aquilo que estava na sua mão e ele respondeu:
- Lagatixa!
Pra quem se interessa sobre o assunto, a Claudia Marcelino lançou um livro pela M. Books:
Autismo Esperança Pela Nutrição.
Entrei em contato com ela e recebi permissão de postar aqui suas receitas.

Claudia nos diz que este é o seu leite preferido, tanto por suas propriedades, quanto pelo seu sabor suave. O leite de coco mantém todas as propriedades da água, do fruto e da gordura. Trazendo inúmeros benefícios à saúde.

Mas o seu maior trunfo em relação aos outros leites vegetais é a presença do ácido láurico,
substância presente em grande quantidade no leite materno e que possui propriedades contra
fungos, vírus e bactérias, ajudando a combater infecções e aumentando a imunidade.

Além disso é um alimento completo e excelente para dietas restritivas de leite animal e outros alimentos. Então, se você tem um bebê alérgico a leite, pode ser uma boa opção.

O seu sabor suave, permite ser bebido puro, com prazer, ou ser utilizado em receitas doces
e salgadas.

LEITE DE COCO CASEIRO

Ingredientes
1 coco
900 ml de água mineral morna

Preparo
Fure o coco, retire a água e reserve. Quebre o coco e leve-o ao forno quente por poucos
minutos. Isto fará com que a polpa desprenda com mais facilidade. (Aprendi também que se pode ir batendo com o martelo, virando o coco até que o barulho mude). Com uma faca retire a
polpa da casca dura. Coloque a polpa no liquidificador junto com a água do coco que foi reservada e a água morna. Bata por uns 3 minutos. Coe com um pano de algodão espremendo bem
para retirar todo o leite. Está pronto para uso. Guarde o coco ralado no freezer para utilizá-lo em receitas.

Fonte
http://dietasgsc.blogspot.com/2010/08/leite-de-coco-caseiro.html

LEITE VEGETAL DE INHAME

LEITE DE INHAME

Procurando o leite de coco encontrei também, no Blog da Claudia, essa receita de leite de inhame, que eu não conhecia. Achei muito interessante pois inhame é algo muito mais fácil de se encontrar, mais barato que as castanhas, coco, arroz integral e poderá ser também usado pelas pessoas da Rede que estão ajudando aos bebês que estão sem leite materno.
Este leite, segundo Claudia, pode ser utilizado em todas as receitas que pedem leite vegetal e ela acredita que deva ser ótimo para mingaus. Ela nos alerta que, se formos utilizá-lo crú como em vitaminas, observemos se a criança não apresenta nenhum incômodo, pois a presença do ácido oxálico pode provocar pinicamento ou coceira na boca ou na pele em pessoas sensíveis.

Quanto ao ácido oxálico, Sonia Hirsch, no DEIXA SAIR, nos fala: "Algumas pessoas me escreveram perguntando se podiam consumir inhame cru, no suco, apesar de seu alto conteúdo de ácido oxálico. Fiquei surpresa, porque nunca tinha ouvido falar nisso e, pior, dou receitas com inhame cru no site Inhame Inhame, aliás Taro Taro. Aí, susto! Ácido oxálico em excesso incomoda o corpo. Pesquisando na web confirmei a informação, mas um tanto técnica demais. O melhor que consegui deduzir é que são os cristaizinhos de ácido oxálico que fazem alguns inhames pinicarem a gente, uma vez ou outra, na pele e na boca.

Resolvi então falar com quem entende dessa química nutricional e escrevi para minha amiga
Luciana Ayer, nutricionista clínica da maior competência. Pedi informações e tabelas, se houvesse.

Luciana respondeu:

"O ácido oxálico, assim como o ácido fítico, está presente naturalmente em diversos alimentos
de origem vegetal. Porém, embora seja alardeado por alguns que estes têm princípios antinutricionais, outros trabalhos mostram que há um certo exagero nesta afirmação. A absorção de nutrientes e de nutracêuticos em vegetais acontece de forma satisfatória, a despeito da presença de alguns dos possíveis fatores antinutricionais, uma vez que outros ácidos orgânicos presentes equilibrariam a equação.

Concordo com esta última afirmação pois, se assim não fosse, indivíduos que escolhem comer
eminentemente vegetais estariam com deficits nutricionais expressivos (principalmente de minerais, segundo o alarde contra), o que, definitivamente, não acontece.

Não tenho nenhuma tabela que possa te indicar, Sonia. Existem poucas disponíveis e, como todas
as tabelas nutricionais, elas são discrepantes entre si.

No que tange a ingestão de inhame cru, que é feita cada vez mais por conta do modismo do suco
da luz, fico de olho nos resultados bioquímicos e clínicos. Com exceção de um paciente que
apresentou reação alérgica, a maioria não teve nenhum tipo de alteração prejudicial."

Valeu, Luciana!

E então fica assim: se o inhame estiver pinicando, não deve ser comido cru.

Se for usar o emplastro de inhame para unha encravada, e ele pinicar ou der coceira, retire,
lave, passe um pouco de óleo e torne a aplicar que o problema desaparece. Pode ser água bem
salgada em vez de óleo."

Já falei sobre esse assunto aqui no blog em Dicas sobre banana e espinafre cozidos.
Durante um ano e meio que fui "Bonitora" de Ana Branco, vivendo apenas do Alimento Vivo, Tomando suco de Luz diariamente com inhame cru, fazendo receitas na Barraca de Desenho com Hortaliças, onde usávamos sempre os cremes coloridos, cuja base era inhame cru, nunca senti nada e nunca vi nenhuma pessoa que trabalhava lá conosco ou que comia nossas receitas na Feira do Alimento Vivo sentir absolutamente nada.

Claudia diz que, neste caso, há duas soluções: utilize o leite de inhame cru para produzir receitas que serão cozidas e para produzir vitaminas, faça o leite com inhame cozido. Quando cozinhamos o inhame, ele perde os oxalatos. Cozinhe um inhame com casca. Depois de cozido, descasque e bata com uma ou duas xícaras de água.

LEITE DE INHAME DE CLAUDIA

Ingredientes
1 inhame japonês pequeno
1 xícara de água mineral


Preparo
Descasque o inhame, corte-o em pequenos pedaços e bata-o no liquidificador com a água. Coe
o leite com um pano de algodão. Utilize-o em seguida ou guarde na geladeira por 3 dias.
Se quiser um leite mais ralo, adicione água a gosto. Eu fiz com um inhame médio e duas
xícaras de água.

Fontes
http://dietasgsc.blogspot.com/2010/07/leite-de-inhame.html
http://www.soniahirsch.com/2009/05/inhame-cru-tem-acido-oxalico-mas-nem.html

domingo, 7 de agosto de 2011

MARCARRÃO COM MOLHO DE ABOBRINHA


Vi essa receita no folheto do supermercado Prezunic e resolvi experimentar pois tinha uma
abobrinha que precisava uzar. Dei uma adaptada e aí está.

MARCARRÃO COM MOLHO DE ABOBRINHA

Ingredientes
1/2 tofu
1/2 vidro de palmito Reca
2 dentes de alho
1/2 pacote de macarrão
abobrinha menina cortada em lâminas (usei só o pescoço)
alcaparras (era para colocar majericão mas não tinha)
azeite
pimentão vermelho e amarelo picados (era para colocar pimenta dedo de moça sem sementes e picadas)
brócolis cozido no vapor picadinho
repolho picadinho
sal

Preparo
Coloque no liquidificador o palmito, o tofu, o parmesão, as alcaparras e o sal. Bata até formar
um creme. Vá acrescentando a água do palmito para ficar um creme mais mole.
Refogue o alho no azeite, coloque a abobrinha, os pimentões, o brócolis e mexa sem parar, por
uns cinco minutos. Desligue o fogo, acrescente o limão e o creme de tofu.
Após cozinhar o macarrão e escorrê-lo, volte com ele para a panela e jogue o creme, misturando.

Ficou muuuuito bom!!!

PARA SABER UM POUCO MAIS SOBRE OS AGROTÓXICOS



O VENENO ESTÁ NA MESA


Segue os links do filme "
O veneno está na mesa" do cineasta Silvio Tendler.
Documentário denuncia a problemática causada pelos agrotóxicos, e faz parte de um conjunto de materiais elaborados pela Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida.

Sinopse do Filme: O Brasil é o país do mundo que mais consome agrotóxicos: 5,2 litros/ano por habitante. Muitos desses herbicidas, fungicidas e pesticidas que consumimos estão proibidos em quase todo mundo pelo risco que representam à saúde pública. O perigo é tanto para os trabalhadores, que manipulam os venenos, quanto para os cidadãos, que consumem os produtos agrícolas. Só quem lucra são as transnacionais que fabricam os agrotóxicos. A idéia do filme é mostrar à população como estamos nos alimentando mal e perigosamente, por conta de um modelo agrário perverso, baseado no agronegócio.

Parte - 1 http://www.youtube.com/watch?v=WYUn7Q5cpJ8&NR=1
Parte - 2 http://www.youtube.com/watch?v=NdBmSkVHu2s&feature=related
Parte - 3 http://www.youtube.com/watch?v=5EBJKZfZSlc&feature=related
Parte - 4 http://www.youtube.com/watch?v=AdD3VPCXWJA&feature=related

Divulguem.

A reproduçã
o e multiplicação é livre. Copiem, multipliquem, distribuam nas escolas, sindicatos, igrejas, etc.

Pra variar não consegui colocar o filme direto, na aba da direita. Fico devendo.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

MOUSSE DE VERÃO

Ah! O verão!
Agosto já anuncia sua chegada!
Eu adoro o verão! O sol e o mar!
Reverenciando-os, estou postando essas receitas de hoje para quando a época das mangas vierem...

MOUSSE DE VERÃO
Ingredientes
2 mangas grandes e maduras (de preferência, palmer ou haden, que têm poucos
fiapos)
100 ml de leite de coco

Preparo
Bata as mangas com o leite de coco no liquidificador e leve para gelar.

Fonte: Receitas vegetarianas –Mestra Luíza, Curitiba/PR, 28/7/2001, compiladas por Sueli Rocha em 30/9/2006.

GELEIA DE CASCAS DE FRUTAS


GELEIA DE CASCAS DE FRUTAS
Ingredientes
casca de 2 mangas
cascas de 3 maçãs
1 xíc de açúcar demerara
1 xíc de água

Preparo
Pegue as cascas da manga utilizada para fazer a mousse e corte as cascas em pequenos pedaços. Em uma panela, misture as cascas com a água e cozinhe por aproximadamente 5 minutos. Bata no liquidificador e volte ao fogo, acrescentando o açúcar. Cozinhe sem mexer até atingir o ponto de geleia, ou seja, quando a mistura começar a grudar nos dedos.

Rende 1 xíc de geleia

Você pode usar também casca de tangerina, laranja, mamão, abacaxi, melão, maracujá ou goiaba.

Fonte: adaptada da Revista dos Vegetarianos - janeiro de 2011
Receitas da culinarista Fernanda Franco

terça-feira, 26 de julho de 2011

ROCAMBOLE DE TOFU


ROCAMBOLE DE TOFU
Ingredientes
Massa
250 g de manteiga
1/2 kg de farinha de trigo branca
1 xícara de leite de soja
1 colher de sopa de fermento químico
1 pitada de sal

Preparo
Junte todos os ingredientes e amasse bem. Deixe descansar por 30 minutos.Divida a massa em
quatro e abra-a até ficar com uma espessura fina.

Ingredientes
Recheio
300 g de tofu
sal
3 colh sopa de manteiga

Preparo
Esmigalhe o tofu, tempere com sal e 3 colheres de sopa de manteiga. Misture tudo até
um creme e divida o recheio em quatro. Passe o recheio na massa e enrole como um rocambole.
Embrulhe em papel impermeável, torça as pontas e leve à geladeira. No dia seguinte, corte a
massa em rodelas e asse em forno quente.

Fonte: “Lar Vegetariano”
Livro de receitas: “Quitutes do Rafa” de Sueli Rocha.

terça-feira, 19 de julho de 2011

SUCO DE CAPIM LIMÃO, SITA E NIMBO PANI


Participei de um curso de Psicomedicina, onde ficamos um final de semana em Teresópolis, na gostosa casa de Vanda. Lá, provei pela primeira vez esse suco. Gostei tanto, que servimos no almoço da Rede no ano passado.
Para quem gosta de comida indiana, Vanda escreveu o livro Sabores da Índia, de onde tirei essas receitas.

SUCO DE CAPIM LIMÃO
Ingredientes
capim limão fresco, picado, que dê para encher um copo de liquidificador
1/2 copo de liquidificador de água filtrada
1/2 xíc chá de suco de limão galego
1 folha de couve (opcional)
mel ou açúcar a gosto

Preparo
Bata o capim limão com a água e a couve picada. Peneire. Acrescente o limão, o açúcar e complemente com a água necessária. Sirva bem gelado.


SITA À MODA CHANDRA MANI
Ingredientes
1 litro de caldo de cana
2 colh sobremesa de gengibre ralado
suco de 3 limões

Preparo
Bata tudo no liquidificador, peneire e sirva gelado.


NIMBO PANI
Ingredientes
5 limões grandes
1/2 colh chá de sal
1 litro de água gelada
3 colh sopa de açúcar ou à gosto

Preparo
Misture todos os ingredientes.

Nota da autora: Esta limonada leva uma pitada de sal. Por seu efeito refrescante, é muito utilizada nos dias quentes do verão indiano.

domingo, 10 de julho de 2011

PASTEL DE FORNO



Há tempos estou para experimentar a receita de pastel de açafrão mas ainda não foi dessa vez porque Camila esteve aqui em casa e me deu dois pastéis de forno para experimentar. Eu e meu marido gostamos muito e resolvemos fazer nesse final de semana a receita dela e não a que eu tinha.
Para o recheio me inspirei um pouco no Creme de tofu com palmito e no do Pastel de açafrão abaixo.
Qualquer dia vou experimentar com abobrinha pois adoro pastel de abobrinha.
Fizemos a metade da receita, usei um copo de boca larga para cortar a massa, pincelei por cima com shoyo. Deu 30 pasteizinhos.

Aí vai o email dela com a receita.
"Oi Rô, também achei que a massa ficou boa, ainda bem que lembrei de anotar as proporções.
Foi muito simples:

PASTEL DE FORNO COM GUARANÁ

Ingredientes
1kg de farinha de trigo (usei branca e integral meio a meio)
2 tabbletes de manteiga (200g + 200g) - temperatura ambiente
1 copo e meio de guaraná - temperatura ambiente

Preparo
Misturei tudo e amassei como se fosse uma massa de pão.
Deixei descansando por 1 h (a indicação era só 30min).
Depois fui abrindo a massa com rolo e tirando círculos com um pote redondo, recheei e fechei.
Pode usar gema de ovo para pincelar por cima e a clara pode usar para selar.
Minha vó me deu uma dica de botar uma colherinha de café (pronto) na gema de ovo para dar
mais uma cor. Eu botei e ficou bom. Acho que nos seus (1ª leva) estavam sem.


Vi umas receitas de recheio de legumes e de palmito que devem ficar muito boas... Também acho
bom de escarola, chicória com alho poró...

Pode repassar a receita. De repente pode-se testar com água com gás ao invés de guaraná (?).

Beijos e boa sorte!"


PASTEL DE AÇAFRÃO

RECHEIO
Ingredientes
2 xíc de tofu firme
1 1/2 xíc de cenoura ralada
1 espiga de milho pequena debulhada
1/4 xíc de cebola
1/4 xíc de azeitonas verdes ou pretas em rodelas
1/2 pimenta dedo de moça fresca quequena (se desejar)
1/4 xíc de cebolinha
1/2 colh chá de açafrão
1 colh óleo para refogar
sal a gosto

Preparo
Esprema bem o tofu e reserve. Refogue a cebola no óleo até ficar transparente e adicione
os outros ingredientes. Desligue o fogo e acerte o tempero.

MASSA
Ingredientes
1 xíc far de trigo integral
1 xíc far de trigo comum
1/4 xíc de óleo
1 colh chá de açafrão (cúrcuma)
1/2 colh chá de sal marinho
água morna para dar o ponto
shoyo

Preparo
Misture as farinhas, o sal e o açafrão e faça um buraquinho no meio. No centro, coloque o
óleo e água morna e misture bem até ficar no ponto de abrir com o rolo. Abra a massa bem
fininha e corte usando cortador em formato redondo.

Coloque no centro da massa aproximadamente 50g ou 1/4 de xíc do recheio e aperte as bordas
com um garfo (com cuidado para não pefurar a massa). Se preferir, pode usar forminhas plásticas disponíveis em lojas de artigos para cozinha, elas cortam e fecham a massa. Pincele com shoyo.

Leve os pastéis ao forno preaquecido em temperatura média até ficarem ligeiramente dourados na parte de baixo.

Rende 12 pastéis
Fonte: Revista dos Vegetarianos - março de 2011