sábado, 12 de janeiro de 2013

CARURU

Desde o início de dezembro não postava nenhuma receita pois na última não consegui inserir foto. Estava dando um problema. Hoje, sem que eu fizesse nada, a foto entrou.

Na véspera de Natal, recebi essa mensagem de Simone pelo Facebook.
Rosangela, que nosso Blog nos traga, cada vez mais, muitas bençãos culinárias como esta que compartilho.
Estar na Rede Ecológica tem sido um canal direto com minha memória de menina.
Assim, esta semana recebi como presente de Natal o caruru, lembrança querida de meu pai que sempre nos contava que sua mãe o mandava buscá-lo no mato para as refeições da família. No entanto, ele nunca nos disse de que forma comiam. Tive que pesquisar! Abaixo o que encontrei.
Feliz Natal!


OBS: Na realidade Simone não mandou uma receita específica e também não a achei na internet.

ABENÇOADO CARURU, DA FLORA AO RECHEIO

Quem vê essas plantinhas, delicadas e graciosas, não imagina que as suas folhas, são usadas em chás caseiros, na fitoterapia e nos tratamentos promovidos pelos índios e pelos escravos, que nas senzalas lançavam mão do poder das ervas. Tratavam os males do corpo, uma vez que não dispunham de medicamentos, e sim do conhecimento oriundo das aldeias, e do saber respeitoso dos mais velhos.

Também usada na culinária das nossas avós e mães, a folha de caruru, conhecida em uma de suas formas como vinagreira, segundo minha avó dizia, é rica em vitamina C. Lembrando que a vitamina C não resiste ao calor do cozimento. 

O caruru verdadeiro, flor de amor, flor de ciúme ou bredo macho, que é este acima, tem suas folhas comestíveis e podem ser consumidas como o espinafre. É parente do amaranto.

Na culinária das minhas avós, suas folhas batidinhas, refogadas, ou como saladas, são acompanhamento nas refeições, principalmente de carnes pois, segundo relatos de família, é um poderoso adstringente e tônico estomacal, assim como o louro.
Atualmente o caruru comestível é utilizado em pratos até sofisticados, como no quiche de caruru, que consta de alguns menus (aqui no Blog nós temos receita da massa de quiche http://ecosdarede-receitasecologicas.blogspot.com.br/search/label/Quiche).
Incluído no recheio do acarajé, pode ser servido de várias maneiras, inclusive à La Carte.
Seu sabor é sem dúvida bem peculiar e sua consistência é a de um ensopado encorpado, o que para os que não são apreciadores, conta muito na hora da degustação.

Precisa-se somente ser conhecedor dos segredos de preparo deste prato, pois assim como o VATAPÁ, manda a tradição, que "começou tem de terminar", ou seja, quem começa tem que ir até o final do preparo, não devendo outra pessoa tocar no CARURU até que esteja pronto.
No Brasil, foi incluído ao seu refogado, o amendoim, salgado e torrado, pois acentua bastante o seu teor energético. É considerado por muitos, uma comida forte e de alta sustentabilidade para quem o consome.



Todas as partes do caruru são comestíveis. As microssementes, bem escuras, são potentes: têm a mesma quantidade de proteína dos grãos de quinoa. Transformadas em farinha, podem ser usadas em pães ou ingeridas torradas.

Fonte
http://blogln.ning.com/profiles/blogs/abencoado-caruru-da-flora-ao?xg_source=facebookshare
http://blogln.ning.com/profiles/blogs/iguarias-da-terra-brasil

2 comentários:

  1. ufa, que bom, meu marido acho que já comeu no quartel e deu um pedacinho pro meu filho, pois encontrou no quintal do meu irmão, eu fiquei super preocupada, agora já fiquei contente, muito boa a sua matéria, ajudou muito!!!

    ResponderExcluir